Tuberculose: sintomas, transmissão e prevenção

Tuberculose: sintomas, transmissão e prevenção

Por mais que seja uma doença conhecida há mais de 6.000 anos de acordo com registros históricos, a tuberculose continua a afetar milhares de pessoas ao redor do mundo, custando centenas de milhares de dólares às organizações de saúde. Aqui entenderemos mais a respeito dos sintomas, transmissão e prevenção de tuberculose, uma infecção causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis pelo ar, através da tosse ou espirro da pessoa contaminada.

Sintomas da tuberculose

Conhecidamente o sintoma mais comum de tuberculose é a tosse. É importante notar que esta não é a mesma tosse de uma gripe ou resfriado, mas sim a tosse persistente que tende a durar muitos dias, sendo geralmente acompanhada por catarro e sangue. Outros sintomas recorrentes são febre, cansaço, suores noturnos, inchaços no pescoço e perda de apetite.

Em termos gerais uma pessoa que esteja tossindo há mais de 3 semanas deve ser encaminhada a um médico ou profissional de saúde para que o mesmo possa realizar os testes necessários para comprovar a presença da doença ou não. É importante ainda notar que alguns grupos de pessoas, como os fumantes e/ou idosos, tendem a ignorar a tosse como sintoma acreditando ser apenas uma tosse normal, decorrente do fumo ou mesmo da idade. Este são grupos de risco que devem estar atentos aos primeiros sinais e procurar um médico o mais rápido possível.

Transmissão da tuberculose

A tuberculose é transmitida por alguma pessoa que porte o vírus, através da tosse ou mesmo espirro. Esta transmissão é feita pelo ar. Portanto uma pessoa contaminada pode contaminar todos os presentes em um mesmo ambiente.

Isso não significa, no entanto, que a transmissão é fácil ou mesmo muito comum. Organismos mais saudáveis, ou seja, com um forte sistema imunológico, serão capazes de impedir a propagação do vírus da tuberculose pelo corpo, fazendo com que o vírus entre em estado latente. A tuberculose pode permanecer latente em um organismo durante muitos anos, por isso sob a menor suspeita de contaminação é necessário procurar por orientação médica. Esta latência é normalmente interrompida por um fraco sistema imunológico, fazendo com que a bactéria se fortaleça e prolifere.

Prevenção

Além das vacinas disponibilizadas pelos postos de saúde aplicada nas crianças no primeiro mês de vida, a prevenção da tuberculose consiste mais em hábitos saudáveis de vida. Hábitos que incluem evitar ambientes com muitas pessoas e pouca ventilação, ou mesmo lugares altamente frequentados mas com pouca incidência solar, pois são muito propícios à propagação da tuberculose.

Além disso, um estilo de vida saudável e equilibrado com as vitaminas ideais também é um forte aliado na prevenção da tuberculose, isso porque vitaminas como o ácido ascórbico (vitamina C) ajudarão a fortalecer o sistema imunológico, impedindo a evolução desta bactéria no organismo.

Como na maioria das doenças, a tuberculose pode ser contraída por qualquer um, porém há alguns grupos de risco que devem ficar atentos, como as pessoas que mantenham contato com pessoas enfermas, idosos e crianças muito jovens.

Recomendações finais para tuberculose

A tuberculose é uma doença grave e pode até mesmo matar caso não seja tratada. No entanto, se o tratamento for inciado cedo, ou seja, quando a infecção é contraída, sua cura é quase sempre efetiva. Normalmente o tratamento é feito com a utilização de antibióticos por mais ou menos 6 meses.

Como esta infecção pela bactéria Mycobacterium Tuberculosis pode ser fatal, é altamente recomendado que um médico ou profissional de saúde seja consultado tão logo apresente-se os primeiros sinais desta doença. Assim como explicado, se detectada logo no início, o tratamento será efetivo para a cura e também para evitar os incômodos sintomas da tuberculose.

Especialmente indicados para você:

OS MELHORES REMÉDIOS CASEIROS PARA TOSSE

TOSSE CHEIA OU SECA: DIFERENÇAS E REMÉDIOS NATURAIS

PARAR DE FUMAR? É POSSÍVEL COM 10 REMÉDIOS NATURAIS

Fontes: saude.sp.gov.br home.bt.com