Dormimos duas horas a menos do que há 60 anos. Quais são os riscos?

Dormimos duas horas a menos do que há 60 anos

Muitas vezes, ocupados com nossos compromissos, trabalho e vida diária, nos esquecemos de que o sono é fisiologicamente essencial para o nosso bem-estar e que apenas 4 ou 5 horas não são suficientes para suprir a necessidade de repouso do nosso corpo. A soar este alarme sobre o fenômeno da falta de sono e os riscos desse hábito, foram alguns especialistas entrevistados pela BBC.

Cientistas das universidades de Oxford, Cambridge, Harvard, Manchester e Surrey têm apontado que, no momento, ao sono são dedicados, em média, duas horas a menos do que há 60 anos e isso nos expõe a um maior risco de doenças cardiovasculares, diabetes ou câncer.

As razões pelas quais nos privamos das horas essenciais do sono, segundo os especialistas, são absolutamente inaceitáveis ​​e induzida pela nossa sociedade que nos quer sempre super produtivos a todo o custo: "Nós somos a espécie mais soberbamente arrogante de todas, pensamos sermos capazes de abandonarmos quatro bilhões de anos de evolução e ignorar o fato de que nós evoluímos seguindo a alternância do dia e da noite", disse Russell Foster, da Universidade de Oxford.

Quais são os riscos de dormir tão pouco?

- Aumenta o risco de ataque cardíaco se você dormir menos de 6 horas por noite, revelou uma pesquisa de 2012. Além disso, também aumenta o risco de outras doenças relacionadas ao coração e à circulação, devido à pressão arterial alta ou a aterosclerose.

- Metabolismo anormal: a falta de sono, de acordo com alguns estudos, prejudica o metabolismo com o aumento do risco de excesso de peso ou de desenvolver diabetes tipo 2.

Leia também: A obesidade infantil se combate dormindo mais

- Alteração na produção de melatonina e antioxidantes, o que significa que, a longo prazo, você vai se tornar mais exposto ao risco de contrair certos tipos de câncer, como o de cólon retal e o câncer de mama.

- Diminuição da fertilidade masculina: um estudo de 2013 mostrou que não dormir o suficiente pode fazer cair a concentração de espermatozóides em 29%, e a falta de sono teria um impacto negativo sobre a vida sexual em geral.

- Memória fraca: quem se contenta em dormir 4 ou 5 horas por noite, vê reduzida em 15% a capacidade de memorizar e aprender com facilidade.

- Deficit de atenção: menos de 6 horas de sono afeta a capacidade de atenção, com o consequente risco maior de acidentes, principalmente no caso de quem tem que dirigir.

Há tantas boas razões para desfrutar de um bom descanso, todas as noites! Vamos tentar dormir mais?

Fonte foto: freeimages.com