O que as fezes dizem sobre o nosso estado de saúde

fezes

Algumas ações na nossa vida são tão naturais, como andar, que não prestamos muito atenção a elas. Uma dessas ações é a defecação, ou como todos nós popularmente dizemos, fazer cocô.

Por ser algo que fazemos todos os dias (embora algumas pessoas tenham muita dificuldade para fazê-lo diariamente), é comum não prestarmos atenção às nossas fezes. Entretanto, elas dizem muito sobre nós.

O material fecal revela muitas informações sobre o nosso estado de saúde e, por isso, devemos estar atentos às características, ao odor, à textura e à cor de nossas fezes. Embora o assunto possa (e seja mesmo) escatológico, devemos tratá-lo com naturalidade e seriedade.

Existem variações de fezes consideradas normais e outras que podem estar relacionadas a problemas de saúde.

O que é matéria fecal?

A matéria fecal ou fezes são rejeitos do nosso organismo eliminados pelo aparelho digestivo através do reto. Aproximadamente, 75% é água e o resto são bactérias mortas e vivas, proteínas, comida sem digerir (fibras), restos de alimentos, células, sais e substâncias segregadas pelo intestino e pelo fígado.

Comidas, bebidas e medicamentos podem alterar a cor e a consistência normal das fezes. Para diferenciar o normal do anormal, o primeiro é conhecer as suas próprias fezes.

Paleta de cores:

Gama do marrom: os tons marrons e verdes são considerados normais. A cor é determinada pelo o que se come e pela quantidade de bílis.

Marrom amarelado ou amarelo: pode ser uma infecção causada pela bactéria giárdia ou por um transtorno como síndrome de Gilbert. A giárdia produz diarreia amarelada. Já a síndrome de Gilbert, caracteriza-se por um excesso de bilirrubina na corrente sanguínea. A bilirrubina tem a cor laranja-amarelado.

Verde: é um sinal de que a comida passa pelo intestino grosso muito rapidamente, devido, por exemplo, à diarreia. Como resultado, a bílis não tem tempo de degradar-se completamente. Verduras, alimentos com corante e suplementos de ferro também podem dar essa coloração às fezes.

Branco: fezes brancas não são normais e devem ser diagnosticadas rapidamente. A razão é ausência de bílis, o que pode indicar algum transtorno no fígado ou na vesícula.

Os tons de vermelho indicam a presença de sangue nas fezes. Isso pode ser causado por um sangramento do aparelho digestivo, da boca ou do ânus.

Vermelho quase preto: indicam que o sangramento é na parte alta do sistema digestivo: esôfago, estômago e a primeira parte do intestino delgado. As causas podem ser úlceras, gastrite ou varizes no esôfago ou estômago.

Vermelho brilhante ou quase marrom: o sangramento se localiza na última parte do trato intestinal, como o intestino delgado ou o reto, causando, inclusive, hemorroidas. Pode ser causado por dano aos esfíncteres, devido à pressão de fezes muito duras. Também pode estar relacionado a pólipos no intestino, câncer de intestino, enfermidade de Crohn e infecções intestinais.

Odor:

As bactérias presentes nas fezes produzem gases e mau cheiro. O odor varia em função do que comemos e bebemos. Ele será mais intenso quando ingerimos mais comidas artificiais e químicas. As fezes muito mal cheirosas podem estar relacionadas a problemas de saúde, como transtornos de má absorção, enfermidade celíaca, de Crohn, pancreatite crônica ou fibrose quística.

Tamanho:

Quanto ao diâmetro, as fezes estreitas não indicam problema algum, em geral. Quando se afinam, assemelhando–se a um lápis, podem indicar obstrução do cólon devido a um tumor ou câncer de cólon. As fezes que são muito largas podem indicar falta de tônus muscular do cólon por falta de exercício, escassa absorção de minerais ou uma dieta pobre em fibras.

Consistência:

Fezes pastosas: uma pequena quantidade pastosa nas fezes é considerada normal. É indício de que essa esse aspecto gelatinoso é fabricado pelos intestinos para manter a parede do cólon úmida e lubrificada. A presença regular de pastosidade excessiva e, especialmente, se acompanhada de sangue, pode ser um sinal de alarme. Pode-se tratar de uma infecção intestinal ou causas mais sérias, como enfermidade de Crohn e, até mesmo, câncer.

Fezes que boiam: nas fezes saudáveis, metade boia e a outra metade afunda. As fezes que boiam podem conter gordura sem digerir o excesso de gás por fermentação. As fezes que afundam completamente contêm minerais sem digestão ou estão demasiadamente compactadas por retenção e falta de umidade.

Fezes com alimentos: quando aparecem restos de alimentos significa que eles não foram corretamente digeridos, isto é, que o organismo não os absorveu. Se vierem acompanhadas de diarreia, o melhor é procurar um médico.

A tabela de fezes de Bristol

A tabela de Bristol classifica as fezes em sete tipos. Cada um deles depende do tempo em que a matéria fecal permaneceu no cólon. As fezes ideais são as numeradas em 3 e 4.

Agora que você tem informações para conhecer melhor as suas fezes, esteja atento aos sinais que elas dão a você. E não se esqueça que as suas fezes são um reflexo dos seus hábitos de vida. 

Leia também:

CARNE DE PORCO: PENSE BEM ANTES DE COMÊ-LA

BIO-BUS: NA INGLATERRA UM ÔNIBUS MOVIDO A LIXO E EXCREMENTOS

Fonte foto: wikipedia