Câncer: seu cafezinho diário faz bem à saúde

Muitos estudos têm dado informações sobre os benefícios da ingestão rotineira de café para os doentes de câncer. Agora, segundo uma publicação do Journal of the Clinical Oncology, o consumo habitual de café pode aumentar as condições de sobrevida dos que têm câncer de cólon e intestino, protegendo os pacientes de reincidências.

O que afirma esse estudo é que, pacientes em tratamento de cirurgia e quimioterapia, que consumem de quatro a mais xícaras de café por dia têm 42% menos chances de registrar reincidências no câncer tratado, em comparação com aqueles que não consumem a bebida. Quatro xícaras de café por dia corresponde a uma média de 460 miligramas de cafeína pura. Esta seria a boa medida.

E parece que há uma idéia de que os consumidores de café têm, em geral, 33% menos chances de morrer de câncer, que os demais pacientes, por exemplo, em casos de remissão de melanoma, câncer de fígado, de mamas ou de próstata. Porém, a medicina ocidental tem cautela ao considerar a ingestão rotineira de café como um tratamento alternativo.

Essa boa nova é apontada em vários estudos científicos realizados mundialmente, mas e por que isso acontece?

Qual o efeito do café sobre as células cancerosas?

Bom, ao que parece, os pesquisadores apontam que este efeito se deve à cafeína, mas ainda não está claro qual o motivo da cafeína atuar dessa maneira promissora na cura do câncer. Uma hipótese resulta da descoberta de que a ingestão de café, com cafeína, tem a possibilidade de redimir a diabetes melitus tipo II, e pensa-se então que o corpo fica mais sensível à menor quantidade de insulina.

Extrapolando-se este efeito, a conclusão é de que a cafeína ajuda na redução das inflamações que são fatores de risco tanto para o câncer quanto para a diabetes.

Leia também:

CAFÉ: QUEM DISSE QUE FAZ MAL AO CORAÇÃO?

CAFÉ COMO VIAGRA PARA A DISFUNÇÃO ERÉTIL

Fonte foto: freeimages.com