Djokovic: situação se complica. Eis que surge um novo problema

Djokovic: situação se complica. Eis que surge um novo problema

O jogo ainda não acabou, aliás, sequer começou. Djokovic conseguiu liberação da justiça mas governo australiano promete recorrer da decisão.

Por ordem judicial, o governo australiano teve que libertar imediatamente o número 1 do tênis mundial e cancelar a revogação do visto do atleta.

O tenista teve sua entrada negada no país na semana passada porque não tinha sido vacinado contra a Covid, mas teria sido infectado. A disputa sobre se uma infecção nos seis meses anteriores, seria motivo para uma isenção médica para viajantes estrangeiros está no centro da saga.

Foram quatro dias de interrogatórios e uma “estadia” forçada em um hotel.

Leia mais aqui:

Constrangimento internacional

‘Constrangimento internacional’, a Fox News diz que o mundo está chocado com Djokovic livre para ficar na Austrália, mas um outro mundo está chocado com a péssima organização do evento.

Djokovic deve disputar o Open pelo recorde de 10 títulos no Melbourne Park (já que foi 9 vezes campeão no Open Australia).

Mas a aprovação do visto do campeão, bem como a sua participação nos jogos, está longe de estar garantida, já que o advogado do governo, Christopher Tran, disse ao juiz após a decisão que o ministro da Imigração, Alex Hawke irá considerar se deve exercer um poder pessoal de cancelamento do visto.

Quero ficar e tentar competir

“Estou satisfeito e grato que o Juiz anulou o cancelamento do meu visto. Apesar de tudo o que aconteceu na semana passada, quero ficar e tentar competir no Aberto da Austrália. Continuo focado nisso. Eu voei aqui para jogar em um dos eventos mais importantes que temos na frente dos fãs incríveis. Por enquanto, não posso dizer mais, mas obrigado por ficar comigo através de tudo isso e me encorajar a ficar forte 🙏

E eis que surge um novo problema

Enquanto o tenista corre o risco de ficar 3 anos sem poder entrar no país se tiver seu visto de novo cancelado, um novo problema aparece.

Agora, a imigração australiana está verificando se Djokovic teria dado informações falsas em seu formulário de entrada no pais.

No formulário, o tenista teria afirmado que não viajou para outros países nos últimos 14 dias anteriores ao voo para a Austrália. Ou seja, de acordo com o período informado no formulário, o tenista não teria viajado desde o dia 22 de dezembro. Mas fotos e vídeos publicados nos últimos dias nas redes sociais mostravam o tenista, primeiro em Belgrado e depois no dia 31 de dezembro em Marbella, na Espanha. O formulário preenchido alerta que “fornecer informações falsas ou enganosas é crime grave. Você também pode estar sujeito a uma penalidade civil por fornecer informações falsas ou enganosas”.

Caso confirmada a informação falsa, o tenista poderia até ser preso.

Esse é um dos jogos mais importantes dos últimos tempos. Disso ninguém duvida!

O Australia Open começa no dia 17 de janeiro mas até lá muita bola vai rolar. O governo australiano poderia ter que ressarcir danos ao jogador se tudo acabasse a seu favor? O jogador encerraria sua carreira por aqui? O evento seria um fiasco pois Djokovic é a estrela e quem quer que vencesse sem disputar com ele “não teria valor”?

Façam suas apostas

O desfecho dessa história é importante por vários motivos. Estamos falando de um dos esportistas mais poderosos da atualidade, em meio a um estado de emergência sui generis onde ninguém, ninguém mesmo, está entendendo nada. É lockdown, obrigação vacinal, passaporte verde e vacinação infantil… E mesmo com isso tudo, nada parece placar a situação, pois estamos na terceira dose, e agora com infecção tripla (Delta, Omicron H3N2).

Talvez te interese ler também:

Jogar tênis é moda na pandemia. Veja todos os benefícios!

Lewis Hamilton heptacampeão, black and plant power

Conheça celebridades veganas que você não imaginava

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *