©mustrarenews.com

Tom Daley: tricô e crochê valem ouro nas Olimpíadas de Tóquio

Tom Daley: tricô e crochê valem ouro nas Olimpíadas de Tóquio

Tom Daley é um caso raro, quase um extraterrestre em um planeta onde o celular é o novo cigarro. Para esperar uns minutinhos para qualquer coisa, o que a gente faz? Abre o celular é claro. Por isso, as imagens de um jovem lindo e tricotando causa tanta estranheza. Ademais, no imaginário coletivo, tricô é coisa de vovó, ou seja, de mulher e anciã… Só que não!

Além de atleta, Tom Daley, 27 anos, é estrela de TV e amante do tricô e do crochê. Em sua quarta Olimpíada, o moço é medalha de ouro em Tóquio, junto com seu parceiro Matty Lee, após um disputa emocionante pela medalha.

Mas se o prêmio não viesse, Tom Daley teria uma carta na manga: seguir carreira como designer de malhas.

Viralizou a foto dele tricotando nas arquibancadas da final do salto ornamental feminino de 3 metros em Tóquio, neste domingo.

Como informa a CNN, o atleta começou a tricotar e a fazer crochê em março passado para superar o lockdown na pandemia, e até criou uma página no Instagram para compartilhar suas criações com os fãs. O nome da página é muito fofa: feito com amor por Tom Daley @madewithlovebytomdaley

“A única coisa que me manteve são ao longo de todo esse processo foi meu amor por tricô e crochê e todas as coisas de costura”, disse ele aos seus milhares de seguidores no Instagram

Quebrando tabus, Tom Daley ganhou o coração da torcida olímpica universal. Parabéns por tudo!

Orgulho gay

Na história di Tom Daley teve bullying, sofrimento e muito sentimento de ser um peixe fora d’água mesmo estando em um esporte aquático.

“Sou incrivelmente orgulhoso de ser gay e campeão olímpico, depois de ter passado anos me sentindo só e diverso, convencido de não poder conseguir nada de importante”, disse emocionado, feliz e com a medalha no peito”.

E para quem quiser seguir o exemplo, saiba que este é um passatempo muito relaxante e saudável para o cérebro. E dá para tricotar sem agulha, você sabia?

Talvez te interesse ler também:

Chega de sensualização: ginastas alemãs fazem história nas Olimpíadas

Reciclagem: como foram feitas as medalhas das Olimpíadas de Tóquio?

Quem é Ítalo Ferreira: a prova em pessoa de que a fé vale ouro!

Quem é Rayssa Leal, Fadinha, atleta brasileira mais jovem a ganhar prata em Tóquio?

Fonte foto: mustrarenews.com

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *