Como estimular a criatividade? Dançando!

Dançar bom para a criatividade

Quem dança a criatividade alcança. De acordo com psicólogos, a dança não apenas melhora o humor e a forma física, mas também pode auxiliar no ganho de criatividade e fazer com que nos sintamos mais vivos. Quer saber mais sobre a importância da dança? Então acompanhe e encontre a razão que faltava para você colocar seu corpo em movimento já!

O Movement Choir – ou Coral de Movimento, em livre tradução – é uma forma de se relacionar e ativar elementos internos de cada indivíduo através do movimento e da dança. É uma forma de possibilitar às pessoas, experienciar tanto individual, quanto coletivamente, as forças emocionais, físicas e espirituais reunidas na dança. Não é questão de fazer uma apresentação a uma plateia de críticos.

Inclusive, é um incrível modo de dançar e interagir em um grupo grande de pessoas – sejam novatos ou experientes – por um dia ou uma tarde, de modo a criar trechos de coreografia conhecidas como coral.

O que é o Coral de Movimento?

Foi uma ideia trazida à tona pelo lendário coreógrafo e performer Rodolf Von Laban, criador do Método Laban de dança e expressão corporal. A organização Laban Guild justamente tenta disseminar seus ensinamentos, entre os quais se destacam o Coral de Movimento. Consiste na reunião de um grupo de pessoas, que se movimenta de maneira coreografada, embora haja pleno espaço para a expressão individual de movimento, mesmo dentro do grupo.

Então, o grupo maior é dividido em conjuntos menores de pessoas, por um líder, chamado de facilitador e os dançarinos têm papéis pré-definidos, e acordo com a temática daquele encontro. Há algum treino coreográfico, até que o conjunto flua de forma completa e harmoniosa.

Por que será que a dança faz emergir elementos que os exercícios não conseguem?

Segundo um psicólogo especialista em dança, Peter Lovatt, as pesquisas têm apontado que a simples movimentação do corpo de diferentes formas pode nos levar a pensar de forma diferente e nos tirar de um determinada linha de raciocínio. Por exemplo, ficar parado em uma pose poderosa, muda nosso estado hormonal para melhor, e fazer movimentos de forma não-planejada ou improvisada pode nos fazer pensar mais criativamente.

foto: spiegel.de

É impressionante pensar ainda que a literatura científica sugira que a forma por meio da qual paramos, ou nos movimentamos, muda nossa química orgânica e nossos pensamentos.

Quem dança os males espanta! Simples assim!

Leia também: Morning Gloryville: acordar e dançar

Fonte foto: peterlovatt.com