©Misha Voguel/Unsplash

Criança de maquiagem: permitir ou proibir? Quais são os riscos?

Pode parecer inofensiva a ideia de meninas pequenas se maquiarem, afinal de contas, muitas mulheres passaram pela experiência de experimentar maquiagens, quando eram crianças. Mas o uso em larga escala – e com outra finalidade, que não a lúdica – pode trazer uma série de problemas.

De alergias de pele à adultização na infância, existem vários fatores que devem ser ponderados na hora de comprar aquele estojo infantil de maquiagem.

A proibição, é claro, não é um bom caminho, e cada família sabe o que é melhor para si. Porém é importante saber que maquiagens em crianças podem ser mais nocivas do que benéficas.

Por isso, vale conferir abaixo quais são as principais desvantagens.

Faz mal usar maquiagem em criança?

A maquiagem dos adultos tem muitos componentes químicos perigosos para crianças, como vaselinas, silicones, formaldeídos, talcos, triclosan e outros.

Eles podem trazer danos à saúde em longo prazo, como maior propensão ao desenvolvimento de câncer.

Mesmo nos produtos de uso infantil, é importante ler a embalagem para verificar se todos os componentes são mesmo adequados.

Antes dos 3 anos, os especialistas desaconselham o uso, tendo em vista que a pele das crianças até essa fase é muito sensível.

De modo geral, a pele da criança não tem a mesma barreira cutânea da pele dos adultos, o que a torna mais permeável.

Algumas substâncias presentes nesses produtos têm potencial para causar alergias, em longo prazo, principalmente por entrarem em contato com a corrente sanguínea, se usadas com frequência.

Além da questão de saúde, há ainda um dano psicológico grande, que pode parecer exagerado, mas não é. Crianças que usam maquiagem com muita frequência podem passar por um processo de adultização, que é extremamente nocivo.

A adultização ocorre quando a criança é exposta a um estilo de vida de adultos, como, nesse caso, o uso de maquiagens. As crianças precisam ter tempo para brincar livremente, se movimentar, experimentar. Em suma, precisam vivenciar a infância em toda sua plenitude. Quando o crescimento delas é acelerado por fatores externos, há um risco de adultização.

Usar maquiagem em crianças pode passar para elas a falsa impressão de que elas precisam de tais produtos para serem bonitas, o que está muito longe de ser verdade.

Permitir ou proibir? Fale com as crianças

É essencial que os adultos mostrem para as crianças que elas são bonitas naturalmente, sem precisar recorrer a maquiagens e outros acessórios.

Vale lembrar que já existe uma pressão estética muito grande para que as mulheres estejam sempre lindas e impecáveis, e isso pode começar na infância, se incentivada.

No caso das crianças, especificamente, não há sentido em usar um produto para deixar a pele delas mais bonita – pois a pele delas já é naturalmente assim.

No caso dos traços físicos, é bom que elas aprendam a valorizá-los como são, ao invés de tentar disfarça-los ou mudar o aspecto do rosto.

Fale com as crianças, exponha as questões de saúde e incentive a autoestima delas.

Mas dá para usar maquiagem com moderação?

Caso os responsáveis entendam que não há problema a criança utilizar maquiagem de vez em quando, tenham em mente que o uso deve ser sempre lúdico, no contexto das brincadeiras, e nunca normalizado.

Use com moderação, mostre para a criança que ela é bonita como é e evite expô-la a propagandas e conteúdos que incentivem o uso de maquiagem. Insista no diálogo, principalmente se notar que o uso desses produtos é uma questão maior do que apenas uma brincadeira.

Por fim, dentro da permissão ocasional e saudável, escolha sempre produtos com ingredientes naturais, como óleos vegetais, amido de arroz ou milho, calêndula, Aloe Vera, entre outros.

Talvez te interesse ler também:

Bebês estão se alimentando de plástico, desde a mamadeira, revela estudo

Frases de crianças para trazer alegria e leveza à vida adulta

12 de Outubro: Nossa Senhora, salve nossas crianças das redes!

Sobre Daia Florios

Daia Florios
Ingressou no curso de Ecologia pela UNESP e formou-se em Direito pela UNIMEP. É fundadora e redatora-chefe em GreenMe Brasil.

Veja Também

Morte de crianças por engasgo é muito comum. Veja como prevenir e salvar

Acidentes domésticos estão no topo da lista de ocorrências entre crianças, e, muitas delas, com …