Tragédia de Mariana: áudio revela absurdos no processo de reparação às vítimas

Tragédia de Mariana: áudio revela absurdos no processo de reparação às vítimas

Não bastasse a tragédia socioambiental em Mariana (MG), ocorrida devido ao rompimento da barragem do Fundão, a violência social segue contra as vítimas do desastre.

A Folha de S. Paulo divulgou, a partir de uma reportagem da Agência Pública, um áudio de uma reunião na qual Viviane Aguiar, advogada da Fundação Renova, que representa a Samarco, a Vale e a BHP Billiton para executar ações de reparação às vítimas, grita:

“Eu que chamei a reunião, eu que vou dar o tom”.

Acontece que o tom da “conversa” é de ameaça e intimidação aos representantes de uma comissão que havia feito uma manifestação dias antes, em Naque (MG,), que interditaram os trilhos de uma linha de trem da Vale para protestar contra o Sistema Indenizatório Simplificado (Novel).

Os absurdos contidos na fala da advogada ainda se revelam na declaração:

“Não sou eu que estou falando isso, é o juiz dono do processo que está falando”.

A Fundação Renova é alvo de extinção por uma ação movida pelo Ministério Público de Minas Gerais, que rejeitou várias vezes a contabilidade apresentada pela entidade. O órgão alega desvio de finalidade e ineficiência da Fundação, que teria conluio com as mineradoras, com a participação do juiz Mário de Paula, no intuito de, através da Novel, as empresas rés pagarem indenizações inferiores às vítimas.

Procuradas pela reportagem, a BHP Billiton defendeu-se, em nota, afirmando “refuta[r] veementemente as graves alegações feitas pelos procuradores do Ministério Público Federal”.

Já a Samarco não quis comentar o assunto.

Não bastasse a tragédia ambiental, cujos efeitos se delongam no tempo até não se sabe quando, a tragédia humana social que poderia ser resolvida de maneira rápida e racional, tampouco parece ter fim.

É o Deus Dinheiro no comando!

Talvez te interesse ler também:

Vale inventa o “health washing” e faz marketing para inglês ver

Rompimento de barragem em Brumadinho faz 2 anos e Vale segue impune

Asteroide contém metais tão preciosos que foi estimado em US$ 10.000 quadrilhões

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *