5,2 milhões de brasileiros passam fome. Número cresce pelo terceiro ano consecutivo

  • atualizado: 
Fome no Brasil

A questão da segurança alimentar é mundial. Milhões de pessoas no mundo passam fome ou têm uma alimentação subnutrida. Desde 1990, a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) divulga um relatório sobre o Mapa da Fome no mundo, informando quais os países estão na rota da fome.

Em 2017, havia cerca 821 milhões de pessoas em todo o mundo ingerindo calorias em quantidade menor do que a recomendada – um dado que tem se tornado cada vez mais preocupante, já que é o terceiro ano consecutivo em que esse número aumenta, conforme informa o Observatório do Terceiro Setor.

Tanto a subalimentação quanto a insegurança alimentar têm aumentado em quase todas as regiões da África e América do Sul, enquanto na Ásia a situação tem se mantido estável. Engana-se quem acredita que a insegurança alimentar acarreta, somente, a desnutrição. Problemas relacionados à obesidade e ao desenvolvimento de certas doenças são explicados pela má nutrição em muitos países.

As causas da fome no mundo

O último relatório da ONU aponta como as principais causas da fome no mundo:

  • a subnutrição,
  • os conflitos armados,
  • as crises econômicas e
  • os fenômenos naturais extremos, como secas e enchentes.

O que é o Mapa da Fome?

O Nexo Jornal explica que a questão alimentar é tratada pela ONU a partir do indicador "prevalência da subalimentação" para dimensionar e acompanhar a fome em nível internacional.

Tal indicador combina diferentes tipos de dados, desde a oferta de alimentos em regiões do mundo e a aplicação de questionários por amostra populacional, a fim de averiguar a quantidade de pessoas abaixo de um requisito dietético mínimo.

A fome no Brasil

Após muitas, décadas, em 2014, o Brasil saiu do Mapa do Fome graças a esforços de políticas públicas orientados às populações que viviam em bolsões de pobreza no país. Uma dessas políticas é o programa Bolsa Família, que teve reconhecimento internacional, sendo, inclusive, seguido por outros países. Embora o programa não seja propriamente de segurança alimentar, a maior parte dos recursos foi convertida em alimentos.

O Brasil conseguiu sair do mapa da fome ao reduzir para 3% o índice de pessoas ingerindo menos calorias do que o recomendado - a ONU estabelece como mínimo populacional 5%. Em 2017, 2,5% da população brasileiro teve fome – o que correspondente a 5,2 milhões de brasileiros e coloca o país em alerta.

O relatório 'Luz da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável', realizado pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil, indica que o Brasil está em risco de voltar para o Mapa da Fome da ONU.

Esse documento está ancorado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): 1 – Erradicação da Pobreza; 2 – Erradicação da fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição, além de promover agricultura sustentável; 3 – Saúde e bem estar; 5 – Igualdade de gênero; 9 – Indústria, inovação e infraestrutura; 14 – vida na água; 17 – Parcerias e meios de implementação.

Os fatores que apontam para a reinserção do Brasil no Mapa da ONU são:

  • o aumento da pobreza,
  • o congelamento em investimentos sociais pelo período de 20 anos, aprovado pelo Congresso nacional,
  • a alta taxa de desemprego e
  • a redução de beneficiários do Bolsa Família.

O relatório destaca, ainda, a importância de políticas que sejam capazes de integrar formas de adaptação às mudanças climáticas à redução de riscos a catástrofes. O documento é um instrumento norteador importante recomendado para governos locais e nacionais na construção de plataformas sobre alimentação, agricultura e saúde.

O relatório da ONU pode ser conferido na íntegra AQUI.

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!