10 hábitos que aprendemos na quarentena e que devemos manter para sempre

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

A quarentena nos forçou a fazer uma parada obrigatória, mudando nosso estilo de vida e trazendo novos hábitos para a nossa rotina. Desde o trabalho em home office até mesmo a prática de atividade física, essas e outras atividades vieram para ficar. Veja porque devemos mantê-las depois da pandemia.

Culinária

Nesse período de quarentena, ouvimos muito o termo “pãodemia”, criado para designar as pessoas que viram na confecção de pães caseiros, uma terapia para ajudar a lidar com a pandemia de coronavírus. Isso porque cozinhar, além de ser mais econômico, é mais saudável e também ajuda a relaxar e a esquecer um pouco as preocupações.

Além de pães, pizzas, bolos e afins, a quarentena também fez com que algumas pessoas resolvessem melhorar os hábitos alimentares, diminuindo o consumo de carne e buscando por alternativas que ajudem a melhorar a imunidade do corpo.

Desaceleração

Vivíamos num ritmo frenético antes da quarentena: trabalho, escola, trânsito, compromissos e mais compromissos. No entanto, a pandemia pausou todos os eventos da nossa agenda e nos obrigou a buscar outras formas de interagir com as pessoas e até mesmo repensar o nosso estilo de vida.

Mudamos a maneira de estudar, trabalhar e não podemos mais nos locomover como antes. Três meses depois, mesmo que alguns países estejam voltando aos poucos à “normalidade”, sentimos que não podemos mais voltar ao ritmo de antes.

O ideal para o nosso próprio bem e para o bem do planeta, seria se todos pudessem viver de forma menos acelerada e mais equilibrada. No entanto, nem todos conseguem ou tem a oportunidade de viver assim, infelizmente.

Exercícios físicos

Todos nós sabemos a importância da atividade física, até mesmo para manter a sanidade mental e o equilíbrio entre o corpo e a mente. Porém, muitas pessoas ainda não tinham passado pela experiência de praticar certos exercícios em casa e a quarentena mostrou que sim, é possível.

Basta olhar nas redes sociais para ver exemplos de pessoas que adaptaram atividades como dança, treinos, pequenos circuitos e até corrida no lugar. Muitas modalidades foram adaptadas para que as pessoas conseguissem praticar atividades dentro de casa, pois mesmo que o espaço seja pequeno, não podemos desistir e deixar de fazer algo que ajuda no bem estar físico e mental.

Consumo reduzido

Logo no início da pandemia, muitas pessoas foram tomadas pelo medo da escassez de comida e de produtos de higiene e compraram mais do que precisavam. Com o passar do tempo, essas pessoas aprenderam que isso não era necessário, pois o básico não faltou.

O problema mesmo foi com relação à renda da população que caiu mais da metade, fazendo com que tivéssemos que rever o consumo e optar apenas pelo essencial.

Compras desnecessárias de supérfluos foram banidas nesse período para que o básico fosse mantido. Esse talvez seja o hábito mais importante adquirido na quarentena e que deve ser levado para a vida toda, pois além de evitar o consumo indevido, ajuda a preservar os recursos que ainda nos restam.

Meditação, ioga e psicoterapia

A pandemia de coronavírus prejudicou a vida de muita gente, inclusive no âmbito emocional. A população que já vivia estressada antes desse período, teve que aprender a lidar com uma avalanche de emoções.

Por isso, meditação, ioga e psicoterapia foram grandes aliadas para lidar com esse turbilhão de sentimentos e incertezas. Muitos conteúdos online foram disponibilizados por profissionais com o intuito de ajudar a relaxar e acalmar a mente e o coração. Muitos psicólogos também se dispuseram a trabalhar on line, e muitas vezes grátis, para ajudar quem precisasse.

Quem puder que continue nesse caminho do auto-conhecimento que estas práticas propiciam.

Cuidados pessoais

Devido ao fechamento dos salões de beleza, muitas mulheres e até mesmo homens, buscaram alternativas para continuarem cuidando dos cabelos, das unhas e da pele em casa.

Retocar a raiz branca dos cabelos, por exemplo, pode ser algo muito complicado para fazer em si próprio, mas existem truques que ajudam a disfarçar ou até mesmo a deixar mais evidente, se estiver com vontade de assumir os cabelos grisalhos, por que não?

O fato é que as pessoas tiveram que aprender a cuidar de si mesmas (selfcare) e aceitar as transformações naturais causadas pelo tempo… Não há nada de errado com isso!

Solidariedade e voluntariado

Com essa onda de ficar em casa e consumir apenas o necessário, a preocupação com aqueles que não possuem um lar e muito menos têm o que comer, aflorou ainda mais a solidariedade de algumas pessoas, despertando nelas a necessidade de praticar o voluntariado e ajudar o próximo.

Empatia e sororidade também entraram para o vocabulário nessa pandemia e, graças a essas palavras, muitas campanhas positivas foram criadas nas redes sociais, mostrando que ainda há esperança na humanidade.

Laços familiares e amigos

A desaceleração e a obrigação de ficarmos em casa e mantermos distanciamento social, fez com que déssemos ainda mais valor para nossa família e amigos.

Além de sentir falta de abraçar os pais, avós, parentes e amigos, sentimos na pele a dor das pessoas que perderam alguém da família vítima de Covid-19.

Milhares de mortes em pouquíssimo tempo fizeram com que passássemos a valorizar momentos simples junto de nossos entes queridos e que talvez nunca mais possam acontecer.

Encontros virtuais nunca foram tão valorizados, mesmo não suprindo a força de um abraço!

Hortas em pequenos espaços

O isolamento social nos fez sentir falta da natureza e do contato com a terra. Para lidar com essa necessidade, muitas pessoas buscaram formas de cultivar plantas dentro de casa, mesmo em pequenos espaços como apartamentos e casas em grandes cidades de puro concreto.

Isso deixou ainda mais evidente a necessidade de estarmos em conexão com o meio ambiente e nos faz compreender a importância de cuidarmos do nosso planeta. As plantinhas de casa nunca foram tão bem cuidadas como nessa quarentena!

Trabalho em casa

A pandemia trouxe à tona diversos hábitos que já existiam, mas que eram pouco difundidos por causa de algumas crenças e limitações da sociedade.

O trabalho em casa, por exemplo, existe há muito tempo, porém nem todo mundo imaginava passar por essa experiência.

As pessoas tiveram que se reinventar e adaptar a essa modalidade de trabalho para manterem suas atividades econômicas.

Esse também é um dos hábitos que devem ser mantidos depois da quarentena, pois além de melhorar a qualidade de vida, reduz consideravelmente o impacto ambiental das atividades econômicas no planeta.

Talvez te interesse ler também:

Mundo pós-pandemia: empresários no Reino Unido pedem por economia verde

Crie um ambiente saudável com o Feng Shui para ter bem-estar físico, mental e emocional

Bucha vegetal: resgate essa maravilha, ajude o meio ambiente. Veja benefícios e como usar

Mundo pós-pandemia: o que poderá mudar no comportamento humano?

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Formada em Administração de Empresas e apaixonada pela arte de escrever, criou o blog Metamorfose Ambulante e escreve para GreenMe desde 2018.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook