2017: o brilho do Oscar negro

2017: o brilho do Oscar negro

Desde que La La Land – Cantando Estações foi lançado nos cinemas, ele passou a ser o queridinho para ganhar o Oscar. Mas, por outro lado, muitos cinéfilos e simples espectadores não viram nada demais no filme para que ele recebesse 14 indicações ao Oscar, incluindo a de Melhor Filme.

Apesar das críticas de que o filme trazia uma fórmula já vista várias vezes no cinema, o musical, protagonizado por Ryan Gosling e Emma Stone, despontava como o favorito da noite de premiação até ter a crítica lançar os seus olhos para Moonlight – Sob a Luz do Luar, considerado o único filme capaz de derrubar La La Land na disputa pela principal estatueta do Oscar.

Moonlight – Sob a Luz do Luar

Moonlight recebeu oito indicações ao Oscar, além de outros prêmios. Trata-se de um filme diferente para o contexto de Hollywood, já que relata a história de um jovem negro, Chiron, em três fases de sua vida. Chiron vive no subúrbio de Miami, em uma região pobre que está sob a influência do tráfico de drogas.

O filme é de um diretor e roteirista negro, Barry Jenkins, conta o amadurecimento de um jovem gay afroamericano em Miami e todo o seu elenco é formado por atores negros.

The Oscar goes to…

Moonlight!

Além de o vencedor da estatueta ser um filme delicado e sublime, acabou, na noite de ontem, tornando-se um marco na história do Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood ao fazer uma reparação histórica, dentro e fora das telas.

Ano passado, o Oscar envolveu a polêmica #OscarsSoWhite, criticando a supremacia de atores brancos na premiação.

Entretanto, a expectativa sobre o vencedor foi digna de um enredo cinematográfico. Os apresentadores da premiação anunciaram, por engano, La La Land como o vencedor da noite. A equipe do musical já estava no placo agradecendo o Oscar quando, ao perceber a gafe, a organização do evento deu o título de Melhor Filme do ano para Moonlight.

Uma premiação, sem dúvidas, marcada por muitas emoções.

Veja o trailer de Moonlight no vídeo abaixo:

Especialmente indicado para você:

RACISMO GANHA DESTAQUE NA NOITE DO OSCAR 2016

“O REGRESSO”: VEJA PORQUE O FILME É CONSIDERADO UM HINO À NATUREZA

DOCUMENTÁRIO “CINEMA NOVO”, DE ERYK ROCHA, GANHA O PRÊMIO “OLHO DE OURO” EM CANNES

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *