O lixão oceano. Fotos de Alessandro Puccinelli

Alessandro Puccinelli

Nos oceanos do planeta prossegue um incessante acúmulo de lixo que pode levar à formação de uma verdadeira ilha de plástico. Muita gente ainda acha que o mar e o rio leva tudo embora. Embora para onde?

Para nos lembrarmos deste problema, especialmente hoje, Dia Mundial da Água, veja aqui os clicks feitos de forma poética mas dura, pelo ítalo-português Alessandro Puccinelli. O artista partiu do pressuposto que os oceanos representam uma potente e aparentemente inexaurível fonte de vida. E escolheu uma prospectiva não usual para retratar o lixo que contribui na poluição de suas águas e que constitui uma verdadeira ameaça a este bem comum.

Os oceanos ocupam nada mais nada menos que 71% da superfície terrestre. A vida na Terra depende totalmente da sua presença, eles constituem uma fonte contínua de água, vida e oxigênio. Tudo o que comemos, bebemos e a nossa própria vida depende do estado de saúde deles.

O fotógrafo escolheu como protagonista de seus retratos o próprio lixo, por meio de detritos que aparecem como heróis machucados e espancados após uma longa batalha, e que no entanto, em grande parte ainda parecem ser indestrutíveis. Suas fotografias nos lembram que estes detritos não desaparecem dos oceanos, continuam a mover-se entre as suas águas durante anos e anos.

A Terra está se transformando em um lixão a céu aberto, e os detritos recuperados pelo artista representam tristes soldados alistados no batalhão do consumismo.

Puccinelli espera que seu trabalho possa atrair a atenção de todos para a importância da preservação das águas.

Para ver mais fotos do artista: alessandro.puccinelli.com