Ahr: de bicicleta conhecemos a Idade Média na Alemanha

Vale do Ahr

Você, que é tão apaixonado por sua bike, que até mesmo em viagens não dispensa esse meio de locomoção, não pode deixar de conhecer um destino alemão, cheio de belezas naturais e totalmente adequado aos ciclistas: trata-se do Vale do Ahr.

Das montanhas Eifel até o Rio Reno

São maravilhosos 80 km por uma ciclovia, que acompanhamos o trajeto plano do Rio Ahr, que tem como cenários campos verdejantes, castelos e mosteiros centenários, em uma das grandes –e belíssimas – regiões produtoras de vinho do país europeu.

O ponto de partida é em Eifel como vimos; mais precisamente em Blankenheim. Caso queira, antes de começar, visite os arredores dessa cidade, cujas origens remontam à Idade Média – há construções realizadas no século XII, que hoje servem como albergues.

Outra companhia que o ciclista terá por 15, dos 18 km do percurso, será a estrada de ferro, o que deixa o cenário ainda mais romântico e atemporal.

Kreuzberg

fonte foto: wikipedia.org

Mais à frente temos a segunda cidadezinha que iremos conhecer, no trajeto do Ahr. Trata-de de Kreuzberg, um burgo medieval, que fica no topo de um platô composto por rochas, que desce até encontrar o rio. É um autêntico castelo, mas que não pode ser visitado, pois é uma propriedade privada.

Altenahr

fonte foto: romantic-germany.info

Esse local marca o começo da área dos vinhedos íngremes, que passam a dominar as paisagens do resto do trajeto do Ahr. Primeiros povos a cultivar uvas na área, os romanos, deram oigem à maior produtora de vinhos tintos de toda a Alemanha, com vinhos reconhecidos mundialmente.

Esse é o caso da cooperativa de produtores vinícolas, Mayschoss. Criada no século XIX, em 1868, atualmente conta com 123 hectares de área total. Caso deseje, pode-se degustar vinhos, após uma visita guiada à área.

Há ainda um mosteiro, Calvarienberg, que é administrado por irmãs, devotas de Santa Úrsula de Colônia. A igreja está aberta diariamente, mas o mosteiro, apenas em dias específicos – embora também possa ser visitado, nessas ocasiões.

Bad Neuenahr-Ahrweiler

fonte foto: holidaycheck.de

Última cidade pela qual o ciclista passará, é composta por variadas fontes termais, que são objeto de fascínio para turistas, desde o século XIX; em Kurhaus há, inclusive, um cassino, aberto e funcional.

Reno

fonte foto: rhine-river-germany.european-vacation.net

Enfim, chegamos. Este é o ponto, no qual, Ahr está desembocando no Reno, que fica entre Remagen, Sinzig e Kripp, constituindo uma foz sob proteção ambiental das autoridades alemãs.

Agora pense: ciclismo, vinho, cultura e beleza: que combinação fantástica, não acha? Vamos pedalar?

Fonte: home.online.no