Uso de bicicletas em Paris dispara na pandemia e prefeita amplia o número de ciclovias

Uso de bicicletas em Paris dispara na pandemia e prefeita amplia o número de ciclovias

Antes da pandemia, já era bastante comum ver as vélos (bicicletas, em francês) pelas ruas parisienses. Adultos de todas as idades usam o veículo de duas rodas, que se tornou ainda mais popular no último ano.

A demanda por bikes fez com que a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, ampliasse o número de ciclovias na capital francesa.

Apenas em 2020, foram construídos 170 km de ciclovias, o que fez o deslocamento sobre as vélos aumentar 62% em dois anos, como informa El Pais.

Até 2025, a meta da prefeitura é fazer uma revolução na Cidade Luz através da criação de uma rede de ciclovias que liga a capital às suas periferias. 

A pandemia do coronavírus impulsionou esse hábito que está transformando a cartografia de Paris com uma alternativa menos poluente. A pandemia, por mais irônico que pareça, contribuiu para o maior número de ciclistas. De acordo com o secretário dos transportes de Paris, David Belliard, “a crise foi um acelerador”.

Mais contato com a natureza

Uma das promessas de campanha de Hidalgo foi reduzir o tráfego de veículos a motor em Paris, que é bastante intenso. Embora as suas intenções sejam boas, foram alvo de muitas críticas. Entretanto, conforme defende Belliard, as pessoas estão começando a perceber que aumentar as áreas de pedestres ajuda a fomentar o comércio e permite mais contato com a natureza.

Houve aumento de delivery por bicicletas em Paris, não apenas por causa dos apps de entrega. Os supermercados também aderiram à entrega em domicílio de bicicleta. As oficinas de conserto estão cheias de serviço, um mercado em que não há crise desde o lançamento de um programa nacional no valor de 50 euros (cerca de R$ 340) que incentiva o reparo de bicicletas velhas.

Fenômeno mundial

Não apenas em Paris mais pessoas têm adotado a bicicleta como transporte público. Parece tratar-se de um fenômeno mundial. Em São Paulo também registrou-se um aumento de 66% nas vendas de bicicleta em 2020 em relação a 2019, de acordo com a Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike). No país, o crescimento foi de 50%.

A necessidade de um programa específico para a promoção do uso de bicicletas deve-se a um problema contemporâneo: a mudança climática. Junto com a crise sanitária ficou mais evidente a urgência de uma ação que diversifique a mobilidade urbana ao mesmo tempo em que permita a natureza a permanecer onde está.

Talvez te interesse ler também:

O que era bom vai ficar melhor: Paris será mais verde e terá menos carros

Planejamento pós-covid: Paris constrói 650 km de ciclovias

Em Paris, o romântico “Muro do eu te amo”, em todas as línguas do mundo, une casais (e povos)

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *