Caminhando pelas ruas cheias de fontes, e história, em Roma

Roma cheias de fontes e historia

Turista esperto é aquele que leva na mala um bom tênis, acima de tudo, confortável, para caminhar pela cidade e observar detalhes que só a caminhada é capaz de proporcionar.

Principalmente em Roma, uma das cidades mais turísticas do mundo, andar a pé é obrigatório para quem ama a história antiga.

Com a ajuda do site Roma Antiqua 3D, escolhemos o percurso das águas para um roteiro feito literalmente para beber da fonte um pouco da civilização romana presente na maioria de nós. Aliás, a água das fontes são além de potáveis, deliciosas e geladas. Então, nada de comprar garrafinha plástica d'água em Roma, a cidade é cheia de bedouros públicos. Os Romanos sempre tiveram uma grande paixão pelas águas públicas, como demonstram os aquedutos e as termas da Roma Antiga. São mais de 2.000 fontes que ainda hoje fazem de Roma uma verdadeira cidade museu a céu aberto.

Fontes da Praça Barberini à Praça Navona

Na Praça Barberini, pare para ver as famosas e históricas fontes: Fontana delle Api e Fontana del Tritone, ambas feitas por Gian Lorenzo Bernini, o representante do barroco em Roma, a pedido do papa Urbano VIII Barberini, pertencente à família que dá o nome à praça. Repare nas três abelhas presentes nas fontes, símbolo da família Barberini.

Dali, pegue uma rua que liga a Piazza Barberini com a Via Nazionale, chamada Via delle Quatre Fontane cujo nome deriva das suas quatro fontes construídas a pedido do papa Sisto V por Muzzio Mattei. As fontes foram construídas entre 1588 e 1593 e representam: o rio Tibre, símbolo de Roma; o rio Arno, símbolo de Florença; a deusa Diana, símbolo da castidade; e a deusa Juno, símbolo da força. As fontes do Arno, Tibre e Juno foram desenhadas, provavelmente por Domenico Fontana, e a fonte de Diana pelo pintor e arquiteto Pietro da Cortona.

A via delle Quatro Fontane é cortada pela Via XX Settembre e Via del Quirinale, que são a mesma rua que bem ali no cruzamento das quatro fontes muda de nome. Caminhando pela Via del Quirinale, indo pelo lado direito, depois de passar por duas igrejas (S. Carlino e S. Andrea) chega-se à Piazza del Quirinale, com a sua magnifica Fontana del Quirinale bem ao centro.

Dali para chegar a mais das mais fontes de Roma, a Fontana de Trevi, basta descer a Salita di Montecavallo, que muda para o nome Via della Dataria e na esquina desta rua com a Via di San Vincenzo, seguir esta última até chegar à Fontana de Trevi. Da Piazza del Quirinale até ali são 5 minutos.

Da Fontana de Trevi, siga a direção da rua Via dei Crociferi, atravesse pela belíssima galeria Alberto Sordi, que se encontra em frente à Piazza Colonna, onde passeando pelas Vias Giulia e Via dei Pastini chega-se à Piazza della Rotonda, ou do Panteão, com sua fonte que remonta ao ano de 1575.

Dali é fácil se perder deliciosamente passando pelas Piazza di San Eustachio e Piazza dei Caprettari mas ao encontrar a Via degli Staderari, chega-se à Piazza Navona com suas magníficas fontes.

A Piazza Navona tem uma história que remonta aos tempos da Roma antiga. Na área em que hoje se encontra a praça, antes havia o Circo de Domiciano, no final do primeiro século d.C., onde se realizavam espetáculos públicos, jogos e até mesmo simulações de batalhas navais. O lugar permaneceu, mesmo após a sua destruição, como um espaço de divertimento onde o povo se reunia para festividades. Este costume chegou até o século XIX, quando comediantes, acrobatas e palhaços entretinham as pessoas com suas performances nos domingos festivos. E ainda hoje é assim! A forma atual da Piazza Navona remonta ao período entre 1600 e 1700 e já possuía as fontes, o palácio Pamphilj, hoje Embaixada do Brasil, e a igreja de Santa Inês. Desde então, a praça permaneceu quase inalterdada e este é uma dos motivos que a torna tão fascinante. O obelisco ao centro da praça, mede cerca de 16 metros de altura, é apoiado sobre uma base constituída da Fonte dos Rios que é composta de quatro estátuas que representam os quatro grandes rios: Nilo, Danúbio, Ganges e o Rio de la Plata.

Leia também: Espanha: descobrindo as Cittaslow, cidades onde se vive melhor

Fonte e fotos: Roma Antiqua 3D