Belém – Título mundial de Cidade Criativa da Gastronomia

belem culinaria

A cidade brasileira de Belém, capital do estado do Pará, acaba de receber o título mundial de Cidade Criativa da Gastronomia pela Unesco, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU), concedido em disputa com outras 47 cidades de 33 países integrantes da Rede de Cidades Criativas da Unesco. O título possui a finalidade de impulsionar o desenvolvimento do turismo gastronômico das cidades-membro do programa.

A confirmação da escolha aconteceu em Paris, sede da Unesco, e foi anunciada pelo prefeito Zenaldo Coutinho na última sexta-feira, dia 11, no Palácio Antônio Lemos, na capital paraense. A candidatura foi lançada há alguns meses pela Prefeitura de Belém. Outras duas cidades brasileiras apareceram na lista, Salvador, Bahia, no campo criativo da música, e Santos, São Paulo, no campo do cinema.

Este título representa o reconhecimento internacional do valor cultural da nossa gastronomia e uma enorme possibilidade de Belém se destacar ainda mais para o mundo. O grande charme da gastronomia é que ela não é só para a elite, é para o conjunto da sociedade. "Todo mundo ganha com este reconhecimento da Unesco”, disse o prefeito Zenaldo Coutinho.

400 anos de Belém e o projeto Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade da Amazônia

Fundada em 12 de janeiro de 1616, Belém do Pará está prestes a completar 400 anos de vida. Com aproximadamente 1,5 milhão de habitantes, o município é um dos principais do Norte brasileiro no Índice de Desenvolvimento Humano, e muita força no turismo, inclusive o turismo gastronômico.

“Quando falamos em gastronomia, falamos de uma enorme cadeia produtiva, das mulheres que produzem o cacau para o chocolate até o chocolate gourmet. A gastronomia paraense não traz só o refinamento do paladar; ela tem por trás a antropologia, a história de vidas de famílias, até chegar à mesa”, diz a secretária extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais Isabela Jatene.

O prêmio também valoriza o projeto de criação do Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade da Amazônia, que também faz parte das comemorações dos 400 anos, sendo anunciado na ExpoMilão, Itália, e motivo de grande repercussão na imprensa nacional e internacional.

Na feira internacional, que ocorreu em outubro em Milão, a Prefeitura de Belém e o Governo do Pará lançaram o evento “Diálogos Gastronômicos”, que promoverá o encontro de chefs renomados de vários países na capital paraense, em agosto de 2016.

O projeto Rede Cidades Criativas da Unesco foi criado em 2004 e hoje conta com 116 cidades em todo o planeta. O objetivo do programa é a promoção da cooperação internacional entre cidades, direcionadas no investimento em criatividade como motor de desenvolvimento urbano sustentável, como também a valorização da inclusão social e vitalidade cultural.

Gastronomia da cidade de Belém

foto: gazetadopovo

Agora vamos falar um pouco sobre o assunto primordial deste artigo e ganhadora de título internacional, a gastronomia de Belém do Pará.

Tendo enorme predomínio da cultura indígena, a gastronomia de Belém também possui influência das culinárias portuguesa, francesa e africana.

E, como não podia deixar de ser, vários ingredientes utilizados nos pratos típicos da região possuem a criatividade oriunda da Amazônia e tudo sua exuberante e rica biodiversidade oferece aos chefs locais.

Entre os principais pratos de Belém, temos a presença maciça de ingredientes como camarão, marisco, peixes, caranguejo, aves, pato, caça e outros. Temperados com folhas de maniva, chicória e coentro, pimenta-de-cheiro e ervas. A mandioca de Belém também é presença constante nos pratos da gastronomia da cidade.

Destes ingredientes, nascem pratos típicos como:

foto: belem1000

- o pato no tucupi, feito com pato tucupi (caldo amarelo retirado da mandioca) e jambu;

- caruru, feito com quiabo, camarões secos e inteiros, tempero verde (chicória) farinha seca fina e azeite de dendê;

- tacacá, prato de origem indígena que é um mingau quase líquido, feito de uma mistura de tucupi, goma de tapioca cozida, jambu e camarão seco;

- vatapá, diferentemente do vatapá do Nordeste, o vatapá de Belém não leva peixe, amendoim e castanha-de-caju e, sim, caldo de cozido de cabeças e das cascas de camarão salgado perfumado com alfavaca, chicória, alhos e cheiro verde. Complementa com farinha de trigo ou arroz, de onde sai o mingau. Ao final, acrescenta-se leite de coco puro, camarões já fervidos e azeite de dendê.

E há muito mais para experimentar da gastronomia de Belém, Cidade Criativa da Gastronomia mundial!

Leia também:

setaAFUÁ, A VENEZA MARAJOARA, É A CIDADE DAS BICICLETAS NA AMAZÔNIA

setaONDE FAZER TURISMO SUSTENTÁVEL NO BRASIL

Fonte foto capa: revistamenu