Afuá, a Veneza Marajoara, é a cidade das bicicletas na Amazônia

Afuá, a Veneza Marajoara

Localizada ao norte do estado do Pará, mais precisamente no noroeste da Ilha de Marajó, na foz do Amazonas, a pequena cidade ribeirinha de Afuá é conhecida por muitos como a Veneza Marajoara, por estar às margens das águas de três grandes rios da região; Cajuuna, Afuá e Marajozinho. Visitada por muitos que procuram descanso e lazer nas mediações do município, a cidade conta, segundo o último levantamento feito pelo IBGE em 2010, com cerca de 35 mil habitantes. Construída em meio a belas paisagens naturais, Afuá também é reconhecida internacionalmente como a cidade das bicicletas, devido ao estilo alternativo de transporte e locomoção adotados pelos afuaenses.

Ainda na década de 90 a população contava com as motocicletas para realizar seu deslocamento, mas por questões de preservação das vias e, também, segurança pública, o município acabou abolindo qualquer tipo de meio de transporte que não fosse a bicicleta. Isso porque, além de por em risco a vida dos pedestres e transeuntes que se encontravam nas vias e não eram respeitados pelos motociclistas, as motos contribuíam para a danificação mais rápida das vias, que são estruturas de madeiras que interligam a cidade.

Rio Afuá

A partir daí, Afuá foi se desenvolvendo. Cresceu em número de habitantes e, consequentemente, aumentou sua economia. Conforme reportagem da National Geographic Brasil, que no ano de 2010, a cidade conseguiu produzir cerca de 4 mil toneladas de açaí (fruto típico da região norte), movimentando algo em torno de 4 milhões de reais. E todo esse feito foi conseguido tendo a bicicleta como principal aliada. Ao visitar a cidade é de espantar a quantidade de pessoas que estão em constante trânsito com as suas bicicletas.

Rua da pista

Hoje a modalidade passou de um simples estilo de vida, à novas opções de trabalho e perspectivas de renda, como é o caso das bicitáxis inventadas pelo afuaense Sarito Souza. A invenção, lançada em 1995, surgiu diante de uma necessidade encontrada pelo ribeirinho que enfrentava certa dificuldade em transportar todos os seus oito filhos diariamente para lá e para cá. Com essa conta de matemática que não batia – oito filhos e uma bicicleta – Souza decidiu criar, sem querer, a bicitáxi. Na verdade, ele não criou nada intencionalmente, ela se deu a partir junção de duas bicicletas, uma do lado da outra. Além disso, para garantir mais comodidade aos passageiros, ele acoplou bancos com estofado e uma espécie de “guarda-sol” na parte de cima que resguardava os usuários do sol e da chuva. O que começou com uma necessidade, logo se tornou uma solução, não só pessoal (já que agora ele tinha condições de transportar seus filhos), mas, também, financeira.

Rua do estádio municipal de futebol

A ideia de Souza revolucionou a concepção de transporte público em Afuá, e, desde então, as pessoas vem reproduzindo a bicitáxi, gerando emprego, comodidade social e agregando um dinheiro a mais na renda familiar. Tudo isso sem falar da sustentabilidade ambiental que Afuá promove ao negar os veículos automotivos; contribuindo ZERO, ou quase isso, para o aquecimento global gerado das emissões de gases de efeito estufa, como o CO2.

Bairro Capim Marinho

Na cidade erguida sobre palafitas, onde os automóveis não têm vez, além dessa característica pitoresca e ecológica, a Veneza Marajoara, tem praças, arborização, rios e um povo simpático e hospitaleiro que atrai turistas do mundo inteiro :)

Leia também: Ahr: de bicicleta conhecemos a Idade Média na Alemanha

Fonte fotos: prefeituradeafua.com.br