Pita e seu poder curativo

  • atualizado: 
pita

A planta piteira é originária do México e Antilhas. No Brasil, a piteira, ou pita, é uma planta considerada ornamental, encontrada em áreas paisagísticas, praças, calçadões à beira-mar, orquidários, orlas marítimas, e jardins. O que muitas pessoas desconhecem é que essa planta tem um grande poder curativo, sendo benéfica para várias partes e órgãos de nosso corpo: olhos, pele, fígado, rins, bexiga, sangue, entre outros. 

Neste conteúdo será informado as propriedades dessa planta e como utilizá-la como tratamento fitoterápico, sem  substituir o diagnóstico e o tratamento médico que, por ventura, a pessoa esteja fazendo ou precise fazer.

Utilizada de forma correta, a pita pode ser uma aliada para o tratamento de diversas doenças.

 

1. Classificação, nome científico, origem e as outras denominações da pita

O nome científico da pita é Agave americana L.

A pita é pertencente:

  • ao Reino: Plantaea
  • Ordem: Asparagalesa
  • Família: Agavaceaeao
  • Género: Agavea
  • Espécie: Agaveamericana

Sinônimos botânicos:  

Agave complicata Trel. ex Ochot., Agave felina Trel., Agave gracilispina Engelm. ex Trel., Agave melliflua Trel., Agave rasconensis Trel., Agave subzonata Trel., Agave zonata Trel. ex Bailey.

A origem da palavra agave vem da grego“agauos”, que significa orgulho.

Existem outras denominações  para a pita, que são populares: caroatá-açu, gravatá-açu, piteira,  pita, caroatá-açu, gravatá-açu,  agave americana (Brasil); pite (França); agave (Itália); sisal agave, american aloe, american century plant, century plant, miracle of nature e spiked aloe ( em inglês); sisal (Espanha); acíbara, alzabara, henequén, maguey, pita e pitera (castelhano), lu-sung-ma (China), rakaspattah (hindu).

A origem da pita é das áreas desérticas selvagens da América Central e, particularmente, do México. 

A pita é cultivada como uma planta ornamental em regiões tropicais e subtropicais em várias partes o mundo.

2. Características da planta 

pita 2

A piteira ou pita possui as folhas compridas, lanceoladas e pontiagudas, de cor verde-azulada que podem chegar a medir 1,75 m de comprimento e 20 cm de largura, se afinando nas pontas.

A inflorescência (conjunto de flores) tem formato de candelabro com flores branco esverdeadas tubulares, chegando até 3 metros de comprimento, com ramificações horizontais e fica no topo de uma haste (caule) de 6 a 12 metros de altura.

As flores são de um tom amarelo pálido e polinizadas por borboletas e morcegos.

Em regiões tropicais a pita pode florescer, após 10 a 15 anos e em locais de climas mais frios pode levar até 50 anos para florescer. 

3. Utilizações da pita

A pita pode ser utilizada para diversos fins: alimentação, bebidas, remédios fitoterápicos, artesanato e ornamentação. Para fins terapêuticos e curativos se utiliza as folhas, seiva, flores e raízes da pita.

A pita contém isoflavonóides estrogênio, alcalóides, cumarina e vitaminas B1, B2, C, D e K e provitamina A, por isso, possui propriedades antissépticas, cicatrizantes, anti-inflamatórias e antibacterianas, podendo ser utilizada, externamente, como erva medicinal para tratar queimaduras, contusões, pequenos cortes, lesões e irritação da pele causada por picadas de insetos.

Na América Central, o suco da pita há muito tempo é utilizado no tratamento para feridas. Os astecas e maias usavam suco de pita como cataplasma para cicatrizar feridas.

Tradicionalmente, desde a antiguidade, a pita era utilizada, internamente, para tratar úlceras, inflamação do estômago, tuberculose, icterícia e outras doenças do fígado, sífilis, problemas menstruais, febre alta, dor de dente, psoríase, inflamações nos olhos.

O cataplasma feito da raiz e das folhas trata e alivia dor de dente.

O suco da pita serve

  • para problemas digestivos e intestinais
  • gases e constipação (prisão de ventre) e
  • impedecrescimento de bactérias prejudiciais no estômago e nos intestinos
  • Como alimento, pode-se utilizar os talos de flores e as folhas, preparando-as e as consumindo torradas
  • Com os talos das flores, pode se fazer um suco doce
  • As folhas da pita, servem  para fazer tapetes e  papel

A pita contém saponinas, o que lhe confere a propriedade de formar espuma na água, por isso, o extrato das folhas ou das raízes serve como matéria-prima de sabão, para isso, as folhas ou raízes são cortadas em pequenos pedaços e depois fervidas em água para extrair as saponinas.

pita deise

4. Propriedades e benefícios do chá da Piteira

  • Antisséptico: limpa e desinfeta a pele
  • Depurativo do sangue: elimina as toxinas na corrente sanguínea
  • Digestivo: protege o sistema digestivo e melhora as suas funções
  • Diurético: aumenta o volume de urina, contribuindo para o bom funcionamento  do sistema urinário
  • Expectorante: elimina o muco do organismo
  • Hemostático: interrompe possíveis hemorragias
  • Hepático: protege o fígado e o  ajuda  funcionar melhor
  • Laxante: estimula as contrações intestinais, combatendo a constipação e a prisão de ventre
  • Vulnerário: cicatrizante de ferimentos e outros problemas de pele
  • Antiescorbútico: serve para o tratamento do escorbuto, uma doença inflamatória na gengiva
  • Antissifilítico: tem efeito curativo sobra a sífilis

Para fazer o chá de pita basta o seguinte procedimento:

A  infusão da piteira usando as folhas, para fazer o chá. 

  1. Coloca-se 30 g das folhas secas em um litro de água fervente. 
  2. Tampa-se o recipiente, por 10 minutos. 
  3. Coa-se e toma-se este chá durante o dia, até acabar.

5. Receitas de remédios caseiros com a pita

Existem várias formas de fazer o chá de pita, seguem algumas:  

1. Infusão a base do pó (extraído das folhas e raízes desidratadas) desta planta:  

Adiciona-se uma colher (de chá) do pó em um copo de água fervente. Tampa-se o copo  por 10 minutos. Após isso, pode utilizá-lo de forma externa, para os seguintes casos:

Anemia, blefarite, sífilis, catarros bronquiais, lepra, feridas, fígado, hemorragia, icterícia, inchaços das pernas, intestino (inflamação), irritações na pele, lavar os olhos (irritações, inflamação), manchas azuladas, queda de cabelo, rins, seborreia, tosses.

2. Decocto ou infusão

Utiliza-se 1 colher de sopa das folhas verdes (2g) ou secas (4g) para cada xícara de água. Tomar 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12 hs. Em uso interno atua  como depurativo, hepático, digestivo e inflamações intestinais. 

3. O pó da planta das folhas desidratadas ou as folhas frescas com água

Usa-se  2g (1 colher de sobremesa) do pó das folhas em um pouco de água ou folhas frescas centrifugadas, com um pouco de água.Uso  externo em irritações da pele, feridas, edemas dos membros inferiores, traumatismos dos testículos e cordão espermático, hematomas. 

4. O decocto de 80g de raízes para 1 litro de água

Utiliza-se esse preparado para lavar cabelos e tratar o couro cabeludo que apresenta seborreia ou queda de cabelo.

6. Outras  variações e modos de usar a piteira para tratar de saúde: 

  • Suco das raízes, como antissifilítico
  • Folhas em infusão como chá ou suco para problemas: hepático, digestivo, sífilis e lepra
  • Suco fresco das folhas, como resolutivo (cessa inflamações), para irritações da pele, feridas e inchaços das pernas e manchas azuladas
  • Infusão de 30 g de folhas desidratadas, em um litro de água fervente, consumir em pequenos cálices, durante o dia, serve  para tratar inflamações nos intestinos
  • Infusão de 25 g de folhas secas em meio litro de água, com a finalidade de fazer compressas mornas com gaze  para tratar  irritações e inflamações nos olhos
  • Infusão de 50 g de rizomas (raízes) e folhas em um litro de água fervente, deixar em repouso por 25 minutos, beber três pequenas xícaras desse chá, ao dia,  servepara tratamento de sífilis
  • Decocção de 80 g de rizomas e folhas em um litro de água, por dez minutos, útil para lavagens dos cabelos, para eliminar seborreia
  • Maceração de 50 g de folhas em um litro de água, por um dia, após isso, lavar os cabelos, para tratar queda de cabelo
  • Pó de agave: dessecar (desidratar) as folhas e reduzi-las a pó em um pilão, tomar uma colherada ao dia, diluída em um pouco de água com um pouco de açúcar demerara, é benéfico para o fígado, rins, tratamento do icterícia e anemia.

7. Efeitos colaterais e contraindicações da pita

O uso abusivo e inadequando da pita pode  desencadear transtornos e distúrbios orgânicos, além de reações alérgicas.

Grávidas, recomenda-se consultar o médico, antes do consumo dessa planta.

Contraindicada para lactantes e pessoas alérgicas aos princípios ativos da planta.

8. Pita forte no porte e potente na cura

A pita, além de sua exuberância e porte firme, reúne propriedades que os povos da Civilizações Asteca e Maia, já conheciam e estudiosos da farmacopeia natural  vieram a descobrir e comprovar com seus estudos, a potência curativa, dessa planta, para uma gama de doenças.

Para tirar proveito do potencial dessa planta, é só saber usar! Para os antigos esotéricos e místicos, a pita tem uma forte energia de proteção.

Realmente, dá para dizer que a piteira é uma planta poderosa, em múltiplos sentidos, não é mesmo?

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!