ÓLEO DE ROSA MOSQUETA PARA RUGAS, CICATRIZES E ESTRIAS

rosa-mosqueta

O óleo de rosa mosqueta é considerado um dos mais preciosos para a regeneração da pele. Valioso (e caro), tanto quanto o óleo de Argan, o óleo de rosa mosqueta é usado há muito tempo pelas mulheres asiáticas. 

A rosa que hoje conhecemos, e que se cultiva no mundo todo, tem sua origem em duas espécies do gênero Rosae, a Rosa gallica e a Rosa canina, a nossa rosa mosqueta de que falamos neste artigo. As rosas são cultivadas em jardins há 5 mil anos mas, na sua forma selvagem, as duas espécies originárias de que falei acima, existe há, pelo menos, 35 milhões de anos.

Em tempos antigos egípcios e babilônios já usavam a água de rosas e o banho de pétalas por suas propriedades curativas que são reconhecidas até hoje.

Sim, a rosa é uma planta medicinal consagrada na medicina popular da Europa e da Ásia assim como da América Latina para onde foi trazida pelos espanhóis. Estas rosas viajantes eram rosas mosqueta que se espalharam pelos Andes e que foram usadas para cura pelos araucanos, povo indígena da região que hoje é o Chile onde, atualmente, se encontra a mais importante produção do óleo de rosa mosqueta (especificamente da variedade Rosa rubiginosa affinis).

Propriedades do óleo de rosa mosqueta para tratamentos dermatológicos

Este óleo é usado para tratar diversos problemas de pele, de marcas de expressão a cicatrizes, pois é muito eficiente no nivelamento e clareamento dos tecidos lesionados. Pode ser usado puro, diariamente, para a redução de rugas superficiais e para suavizar as manchas da pele ocasionadas pelo envelhecimento e exposição ao sol (melasmas).

É um excelente hidratante e protetor da pele, com ótimos resultados em casos de acne, rosácea, psoríase e para a regeneração das partes do corpo que se racham com o frio, o passar dos anos, que são as mãos, cotovelos, joelhos e calcanhares.

O que tem a rosa mosqueta que faz tanto bem à saúde?

A rosa mosqueta (Rosa canina) é muito rica em princípios ativos tanto na casca do fruto quanto nas suas sementes. A casca do fruto da rosa mosqueta é rica em vitamina C, caroteno, aminoácidos, sais minerais, ácidos orgânicos, tanino, pectina. Na Bulgária é costume tomar-se o chá dos frutos de rosa mosqueta para ajudar o corpo a driblar os efeitos dos frios e variações climáticas.

Já o óleo das sementes da rosa mosqueta é rico em ácidos graxos (oleico, linoleico, linolênico, palmítico, esteárico, mirístico, palmitoleico, tretinoína), cetonas vitamina A e licopeno que fazem deste um medicamento em si mesmo.

Para usar o óleo de rosa mosqueta, dê uma lida nessas dicas

O óleo de rosa mosqueta pode ser usado puro (1 ou 2 gotas é suficiente) diariamente (manhã e noite) no rosto ou em outras partes do corpo, massageando suavemente até sua completa absorção.

A rosa mosqueta é uma planta totalmente utilizável e comestível. Cada uma de suas partes tem bons efeitos medicinais: pétalas - comestíveis e com as quais se pode fazer banho de ervas, frutos - se faz geleia, compota, doces e chás, e o óleo - para a pele) pode ser usada durante a gravidez para vários problemas: prisão de ventre, resfriados, massagens para evitar ou atenuar as estrias da barriga e seios.

Como o óleo de rosa mosqueta é bastante caro costuma-se misturá-lo a outros - óleo de amêndoa, oleo de semente de uva, por exemplo - para um melhor aproveitamento. Ou você também poderá acrescentá-lo, em gotas, ao seu creme hidratante preferido. Guarde seu vidro de óleo de rosa mosqueta na geladeira pois, facilmente ele fica rançoso por efeito do calor.

Onde encontrar óleo de rosa mosqueta

É fácil de se encontrar óleo de rosa mosqueta nas farmácias fitoterápicas ou pela internet. Procure certificar-se da sua procedência - que seja puro, de cultivo orgânico certificado. Este óleo é caro mas rende bastante, e fará um bem enorme à sua pele.

Especialmente indicados para você:

ÓLEO DE COCO: 10 EXTRAORDINÁRIOS USOS ALTERNATIVOS

ÓLEO DE RÍCINO: DIVERSOS USOS PARA CABELOS E PELE

ÓLEOS ESSENCIAIS: O QUE SÃO E AS DOSES JUSTAS PARA UMA ÓTIMA UTILIZAÇÃO

AROMATERAPIA: PRINCIPAIS ÓLEOS E UTILIZAÇÕES