Arginina: usos, efeitos, interações e contraindicações

Suplementos

Famosa entre aqueles que fazem atividades físicas para ter um corpo atlético, a arginina, dizem, aumenta a capacidade de malhar, melhorando a execução dos exercícios e contribui para a produção de proteínas, o que aumentaria os músculos. Mas, como qualquer outro suplemento, não deve ser tomada assim ao léu. Vejamos do que se trata.

Arginina (ácido 2-amino-5-guanidino-pentanoico) é um aminoácido polar básico classificada como semi-essencial ou condicionalmente essencial em seres humanos, e considerada importante para a cicatrização e para o sistema imunológico. Aí é que a arginina pode ser indicada para pessoas submetidas a dietas muito restritivas, com estresses físico e psicológico e ou que sofreram traumas físicos. Mas até então, somente um médico pode receitar suplementos de arginina, pois existem contraindicações, o suplemento pode não dar os resultados esperados e pode até, pelo contrário, fazer mal como qualquer outro suplemento.

A moda do suplemento fez pipocar lojas destes produtos no Brasil inteiro. As pessoas devem ter um conceito muito simples em mente antes de tomarem suplementos. Na natureza tudo é equilibrado. Nada é apenas vitamina C (por exemplo), nada é apenas proteína, apenas arginina, apenas um composto. Acontece de as pessoas precisarem de determinadas substâncias em doses que somente um suplemento poderia resolver mas, repetimos, somente um médico pode indicar essa solução. Não se automedique!

Vejamos quais alimentos contêm naturalmente arginina:

Se você faz ginástica para ter saúde em primeiro lugar, veja quais alimentos contêm arginina antes de pensar em comprar suplementos:

Amendoim: 3736mg/100g
Avelãs: 2824mg/100g
Feijão, grão-de-bico, lentilha, soja: 2000-2200mg/100g
Amêndoas: 1587mg/100g
Peixe: 900-1200mg/100g. Carne: 1500-2000mg/100g
Ovo inteiro: 790mg/100g
Clara de ovo: 576mg/100g
Gema de ovo: 1131mg/100g
Queijo: 540mg/100g
Cereais e derivados (massas, pão, arroz etc.): 400-500mg/100g

Fonte da tabela: my-personaltrainer 

Usos e efeitos da arginina

arginina suplementos

É um aminoácido que desempenha um papel fundamental durante a puberdade, a adolescência e no decurso de certas condições patológicas, como em traumas e queimaduras.

Alguns de seus usos mais conhecidos são:

* Na síntese de glicose;
* Na síntese de proteínas;
* Na síntese de outros derivados de aminoácidos;
* Na desintoxicação de resíduos de nitrogênio;
* Na síntese de óxido nítrico, um elemento-chave com poder vasodilatador;
* Por sua ação imunoestimulante;
* Por sua ação antioxidante;
* Nos tratamentos de doenças cardíacas e hipertensão;
* Nos distúrbios metabólicos;
* Em traumas cirúrgicos;
* Queimaduras graves e
* Para atletas e esportistas por dar massa muscular, sendo a arginina uma precursora do óxido nítrico contribui para o aumento do abastecimento contínuo do sangue nos músculos e também é precursora da creatina, um importante substrato do metabolismo energético.

Efeitos comprovados da arginina

Existem vários estudos que testaram os efeitos da arginina em diversos tratamentos e nem todos são consensuais quanto aos seus efeitos. Aqui você poderá ver uma lista com os diversos estudos já realizados com a arginina. 

Entre alguns de seus efeitos mais conhecidos estão:

* Capaz de acelerar a cicatrização de ferimentos e inibir a perda de massa muscular após cirurgias;

* Resultados excelentes no tratamento de doenças do fígado como a cirrose;

* Produção de espermatozoides: a arginina demonstrou ótimos efeitos na cura de doenças da fertilidade masculina;

Interações medicamentosas

Não tome suplemento sem consultar antes um médico, especialmente se estiver fazendo uso de medicamentos como: ciclosporina, ibuprofeno, nitratos orgânicos, citrato de sildenafil e plantas fitoterapêuticas como a pau-de-cabinda (Pausinystalia macroceras) não tome suplemento de arginina que pode alterar as características destes fármacos.

Contraindicações e efeitos colaterais

Pessoas portadoras do vírus herpes simplex, portadores de doenças hepáticas e renais, durante a gravidez e a amamentação e em casos de hipersensibilidade a este aminoácido.

Náuseas, vômitos, câimbras abdominais e diarreia podem ocorrer em casos de superdosagem além de mais raramente dor de cabeça e pressão baixa. Consulte um médico antes de tomar qualquer suplemento para saber da necessidade, da dosagem e da eficácia do suplemento para caso particular.

Leia também:

CERVEJA: O MELHOR SUPLEMENTO DEPOIS DE FAZER ESPORTE

IRISINA, O HORMÔNIO DO ESPORTE REALMENTE EXISTE?

VOCÊ PRECISA MESMO TOMAR SUPLEMENTOS?