O país mais feliz da Terra

Butão

Você já ouviu falar do Butão? Saiba mais a respeito do pequeno país asiático e himalaio, com tradição budista vajrayana, que prioriza o conceito de Felicidade Interna Bruta (FIB) em detrimento do Produto Interno Bruto (PIB), e que pretende ser o primeiro país a ter uma produção agrícola 100% orgânica.

Neste ano de 2015 o país celebra o sexagésimo aniversário de seu ex-rei, Sua Majestade Jigme Singye Wangchuck, que ficou conhecido, dentre outras medidas, por intensificar a democratização do país, transformando-o de uma monarquia absolutista para uma monarquia constitucional, passando grande parte dos poderes reais para o parlamento, e inclusive instituindo a possibilidade de impeachment do rei por dois terços da Assembleia Nacional; pela introdução da televisão, em 1999 (foi um dos últimos países a fazê-lo); e pela criação do conceito de FIB.

Felicidade Interna Bruta

Não quero dinheiro, eu só quero amar?" Não, não é bem esse é o princípio que rege o conceito de FIB. O indicador criado pelo governo butanês objetiva medir a qualidade de vida e o progresso social de uma forma mais abrangente do que o Produto Interno Bruto. Mas também considera a economia. Tendo como pilares o desenvolvimento sustentável, a promoção dos valores culturais, a conservação do ambiente natural e o estabelecimento de boa governança, o índice leva em consideração os seguintes critérios: bem-estar econômico, ambiental, físico, mental, de ambiente de trabalho, social e político.

Monastério de Taktshang, conhecido como Ninho do Tigre, no Butão

Ecologicamente correto

A agenda de preservação ambiental também está no topo das prioridades governamentais no Butão. Há uma lei no país que prevê que 60% de sua cobertura florestal deve ser mantida, em nome das futuras gerações. Lá as sacolas de plástico são proibidas, há um "dia mensal do pedestre" em que todos os veículos particulares são proibidos de circular, e mais: o país anunciou que pretende ser a primeira nação de agricultura 100% orgânica no mundo.

Para atingir esse status até 2020, o Ministro da Agricultura butanês pretende usar apenas adubos naturais, obtidos do gado criado no país, aumentar a irrigação e usar variedades de alimentos mais resistentes a pragas.

Antes mesmo do anúncio, boa parte da produção agrícola butanesa já era orgânica, em razão do alto custo dos insumos artificiais.

Leia também: O alimento orgânico tem menos metais pesados e é mais rico em antioxidantes

Fonte fotos: Ryanne Lai via news.com.au e Stefan Krasowski via flickr