O primeiro Porsche? 100 anos atrás era elétrico e ecológico

Porsche 100 anos atrás era elétrico e ecológico

Os carros elétricos são sinônimo de modernidade! Errado! Já no final do século XIX, os veículos movidos por motores elétricos, como o P1 de Porsche, já tinham feito seus passeios pela mobilidade sustentável. A famosa marca alemã, em 1898, já tinha desenvolvido o carro ecológico por excelência.

À primeira vista, se parece uma carroça, mas na realidade é um carro para todos os efeitos. O P1 foi projetado e construído por Ferdinand Porsche e é um dos primeiros veículos matriculados na Áustria. Circulando pelas ruas de Viena desde 26 de junho de 1898, o veículo deve seu nome (Porsche número 1) ao fato de ter sido o primeiro carro elétrico da empresa.

Uma verdadeira beleza para os olhos. As inovações, da época, realizadas neste veículo, continuam a ser significativas até hoje. O motor elétrico é muito compacto, pesa apenas 130 kg e tem uma potência de 3 cavalos, como explica Porsche. Para distâncias curtas, o carro poderia passar a usar 5 cavalos de potência, permitindo chegar a uma velocidade de até 35 km/h.

A autonomia? Notável. O P1 era capaz de viajar até 80 quilômetros. Mais tarde, foi enriquecido com outras inovações tecnológicas.

O primeiro teste prático do carro foi em setembro de 1899 na Exposição Internacional do Automóvel, que teve lugar em Berlim. Na época, a concorrência para produzir os melhores sistemas de acionamento já era acirrada.

Em um concurso de veículos elétricos capazes de percorrerem uma distância de 40 km, com três passageiros a bordo, Ferdinand Porsche dirigindo o seu P1 cruzou a linha de chegada 18 minutos à frente do concorrente mais próximo. Mais da metade dos participantes não conseguiram chegar ao final, devido às dificuldades técnicas. Mas não é só isso. O P1 também ganhou o recorde no teste de desempenho, com o menor consumo de energia em trânsito urbano.

O velho carro elétrico ainda existe. A cópia está em exibição no Museu Porsche em Stuttgart, Alemanha, com uma versão em plástico azul translúcido, inserido para dar aos visitantes uma melhor ideia dos assentos originais do veículo.

Uma tecnologia que já existe há mais de 100 anos e ainda hoje, por motivos bastante questionáveis​​, ainda luta para se estabelecer no mercado.

Leia também: Enfield 8000: o ancestral do carro elétrico que os petroleiros detestavam

Fonte fotos: Porsche