Professor encaminha ratos de laboratório para adoção após término dos estudos

Queremos que a vivissecção seja abolida e substituída por alternativas ao uso de animais em experimentos laboratoriais, seja para o desenvolvimento de medicamentos que de produtos, até porque, estas alternativas existem e podem evitar sofrimento em seres sencientes como ratos, coelhos, macacos, etc.

Entretanto sabemos que testes envolvendo animais ainda acontecem em laboratórios e em estudos científicos, às vezes até desnecessariamente. Contudo, dentro desse contexto, a atitude do professor Richard Hein, da University of Wisconsin Green Bay nos EUA, chama a atenção.

Durante 20 anos, este professor ajuda os ratinhos de laboratório a serem adotados.

Após realizar estudos comportamentais utilizando os ratinhos em suas aulas, no final do ano letivo, o professor arruma lares para estes animais.

Adoção dos ratinhos

O professor Hein utiliza estes animais para ensinar biologia introdutória nos primeiro e segundo anos, para isso os alunos medem fatores como temperatura, exercício ou mesmo música para avaliar como estes aspectos podem afetar o metabolismo dos animais e aplicar esse conhecimento à anatomia e fisiologia humana.

Durante os estudos o professor percebeu que muitos dos estudantes criavam vínculos afetivos com os ratos.

Para alguns alunos, o relacionamento com os ratos vai além do laboratório e quase todos os anos, mais da metade desses animais tem sido adotada pelos próprios estudantes, disse o professor Hein à Rádio Pública de Wisconsin.

Animais inteligentes e sensíveis

“Os ratos são animais muito inteligentes e altamente sociáveis”- diz o professor Hein.

Desde que a UW-Green Bay divulgou em seu boletim o programa “adote um rato”  do professor Hein, todos os animais foram adotados.

A bióloga Stevie VanderBloomen, que concluiu o 2º ano nessa Universidade, levou três ratos e os batizou com os nomes  dos personagens de “Guerra nas Estrelas”. Ela disse que “ratos são ótimos animais de estimação”.

“Eles gostam muito de interação humana e conseguem se divertir com você”- comentou ela.

Segundo VanderBLoomen, os ratos desenvolvem laços fortes com seus tutores e, ao contrário do que se pensa, eles são bastante limpos.

“Normalmente, quando a maioria das pessoas pensa em ratos, elas dizem ‘ah, eles vivem do lado de fora e são nojentos’, mas na verdade se limpam mais do que os gatos”- diz.

Outras formas de adotar ratos

Para quem tem vontade de adotar ratinhos e tê-os como animais de estimação, podem encontrá-los para adoção em entidades como a Mainely Rat Rescue, a MSPCA e a Animal Rescue League de Boston.

Já no Brasil existe a comunidade Adote Ratos Brasil.

Fim dos testes em animais

Mesmo que os animais não sejam sacrificados ou tratados com crueldade, ainda assim, os laboratórios não  são os locais ideais para os bichos: ali eles são manipulados para fins de estudos e isso certamente lhes causa no mínimo estresse. Por isso, através das conquistas tecnológicas e científicas que temos hoje em dia, seria possível promover o fim do uso de animais, sejam em aulas ou laboratórios, para o bem-estar deles.

E já existem exemplos de que estamos caminhando para essa realidade:

Tratar os animais com compaixão promovendo liberdade e dignidade a eles é um verdadeiro avanço e progresso para a humanidade.

Talvez te interesse ler também:

Teste do Nado Forçado, um dos testes em animais mais cruéis que existem

10 famosas multinacionais do ramo dos cosméticos que ainda testam em animais

Corpo humano sintético pode ser solução para o fim de testes em animais

Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.