Ararinha Azul

Nasce mais uma Ararinha-Azul

Vocês viram o nosso artigo sobre o esforço entre nações (Brasil, Alemanha e Catar) para aumentar a população das belíssimas ararinhas-azuis? Consideradas extintas no meio ambiente desde o ano 2000, as ararinhas sobrevivem apenas em cativeiro, e são muito poucas, no Brasil mesmo só temos 11 do espécime. Felizmente, o dia 21 de março nos trouxe uma excelente notícia: A ONG alemã Associação para a Conservação dos Papagaios Ameaçados (Association for the Conservation of Threatened Parrots – ACTP), com sede em Berlim, registrou o nascimento de mais um filhote de ararinha-azul.

A Cyanopsitta spixii, nome científico da ararinha-azul, teve o quarto nascimento da espécie dentro da instituição alemã. O filhote recebeu o nome de Marcus em homenagem ao veterinário brasileiro, Marcus Marques, que ajudou no momento da eclosão do ovo.

Lembrando que no dia três de março, Dia Mundial da Vida Selvagem, o Ministério do Meio Ambiente recebeu da sua parceira na Alemanha um casal de ararinhas-azuis e foram encaminhadas na época para o quarentenário oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Cananeia em São Paulo. Atualizando a situação dos irmãos Carla e Tiago, ambos já deixaram o quarentenário e agora estão no Nest (sigla para New Ecological Scientific Treatment e também significa “ninho” em português) que é um criadouro científico da fauna silvestre para fins de conservação, localizado no interior de São Paulo.

A espécie consegue viver de 30 a 40 anos e, ao todo, somente 90 animais vivem nos criadouros dos três países envolvidos no esforço de impedir a extinção das ararinhas azuis. A intenção dos países é chegar ao número de 150 aves para começar a reintroduzi-los na natureza.

Infelizmente, as ararinhas-azuis encontrarão um cenário que até melhorou, mas não suficiente para evitar uma nova ameaça de extinção, com a vegetação ainda sofrendo com a degradação e os problemas com a caçada ilegal, capturada intensamente enquanto estava presente no meio ambiente até quase desaparecer completamente, situações que ainda acontece no mundo inteiro, inclusive no Brasil.

Leia também: Após período de 14 anos, ararinhas-azuis nascem no Brasil

About Redação GreenMe

Redação GreenMe
greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it
Previous Conheça a Lei do Feminicídio
Next Empresa brasileira recebe o primeiro selo prata do Programa Origem Sustentável

Check Also

Papagaio engarrafado

Tráfico de animais, um crime perverso sustentado por você!

Não se trata de um vício ou um desejo incontrolável. Não se trata de uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *