©jeffbezos/Instagram

O homem mais rico do mundo vai doar US$ 791 milhões para salvar o planeta

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, fundador da Amazon, acaba de anunciar uma doação de 791 milhões de dólares para proteger o planeta.

As doações fazem parte do Bezos Earth Fund e irá para 16 organizações ambientalistas, formadas por cientistas, ativistas, ONGs, grupos pela justiça climática, de reflorestamento, etc.

Mas o que são 791 milhões para quem tem US$ 184 bilhões?

Contudo, Bezos promete mais, ele se comprometeu a doar US$ 10 bilhões para o clima:

“Passei os últimos meses aprendendo com um grupo de pessoas incrivelmente inteligentes que transformaram o trabalho de suas vidas na luta contra as mudanças climáticas e seu impacto nas comunidades ao redor do mundo”, escreveu Bezos em um post no Instagram na segunda-feira, anunciando a notícia.

“Estou inspirado pelo que eles estão fazendo e animado para ajudá-los a crescer.”

Além dos milhões pelo clima, a Amazon também tem um compromisso de zerar emissões de carbono e fazer a empresa funcionar com energia renovável ao 100% em até 2025. Além disso, a Amazon comprou 100.000 veículos elétricos para suas entregas.

E por falar em carros elétricos e milionários, Elon Musk acaba e ficar mais rico. O fundador da Tesla Motors teve sua fortuna aumentada de US$ 15 bilhões em 1 dia e deve se tornar o 3º mais rico do mundo.

Até parece que se preocupar com o clima enriquece o bolso (além do espírito). Verdade é que o filme da Amazon é bem queimado e que foram os próprios funcionários a reivindicarem ações do patrão todo poderoso. Eles até fizeram greve pelo clima aos moldes Greta Thunberg, para que o billionaire Bezos abrisse a carteira pelo clima.

Talvez te interesse ler também:

Forbes 2020: a pandemia fez os ricos ficarem mais ricos

A epidemia da desigualdade: 6,7% dos brasileiros vivem com menos de 1,9 dólar por dia

Autoridade, desigualdade, vigilância, incerteza: o que nos espera depois da pandemia?

Sobre Daia Florios

Daia Florios
Ingressou no curso de Ecologia pela UNESP e formou-se em Direito pela UNIMEP. É fundadora e redatora-chefe em GreenMe Brasil.

Veja Também

Madeira ilegal e glifosato em esquema de escravidão moderna em MG

De acordo com o Ministério Público do Trabalho, conforme publicação em sua página no Instagram, …

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *