Composta São Paulo - 259 mil toneladas que já não foram para aterro‏

Composta São Paulo

Composta São Paulo é um projeto piloto da Prefeitura da capital paulista que começou em junho de 2014 e que, ao final de 1 ano já aponta ótimos resultados. São Paulo, que hoje é a 7ª maior cidade do mundo, com seus 11 milhões de habitantes, produz 20 mil ton/dia sendo que 12 mil destas são de domicílios. São Paulo produz uma media de 1 kg/hab/dia e deste volume, quase  metade é de matéria orgânica compostável.

Leia também: Quais são os países que mais produzem lixo?

O projeto tem como objetivo incentivar a compostagem doméstica e, para isso, a prefeitura distribui kits especiais para compostagem manual, minhocas e tudo o mais necessário para os cadastrados; com cerca de 1500 domicílios inscritos, o correspondente a um economia de volume de lixo que deixa de ir aos aterros sanitários já bastante significativa: 250 mil toneladas em seis meses.

Mas, o mais interessante é a mudança real de comportamento entre os participantes, quanto ao seu hábito alimentar e de consumo. Porque, como já se disse aqui, o planeta Terra já não agüenta mais de tanto lixo que a humanidade gera.

Se cada casa tiver a sua composteira, o lixo que será recolhido diminuirá em 50 %. É fácil entender que essa economia também alcançará o uso de aterros sanitários, em gestão e vida útil e, consequentemente, a cidade economizará metade do orçamento que atualmente gasta com lixo. Mas não só economizará dinheiro, também economizará terras para fazer novos aterros sanitários. O que quer dizer que a natureza também economizará recursos, saúde e vida. E quando a natureza ganha, ganhamos nós, os seres humanos, não tenha dúvida.

Por outro lado, como o composto que fizermos nossos vasos de plantas agradecerão o incremento de matéria orgânica. Mas, você não tiver vasos de plantas, ou não tiver lugar para eles, então as praças do seu bairro também poderão ser beneficiadas com o composto que você produzir. Porém, tendo paredes, janelas ou um pequeno espaço na varanda, você também poderá ter suas plantas, suas alfaces e tomates, suas flores, melhorando a qualidade da sua vida. Quem sabe, fazer aquela horta vertical, ou uma horta pequenina, de um metro quadrado, ou uma coleção de vasos de flores nas janelas. Enfim, há muita coisa a se inventar para usar o resultado da redução do lixo que vai para o caminhão recolher.

Tome consciência, participe, faça a sua parte mesmo que seja uma parte pequenina. Cada um aporta com o seu grão de areia e, no fim, dá certo.

Leia aqui tudo sobre a compostagem caseira e aqui mais sobre o Projeto Composta São Paulo.

Leia também: Hortas urbanas em São Paulo: uma forma sustentável de bem viver

Fonte foto: wikipedia.org