Projeto de lei 'Animal não é coisa' é aprovado pelo Senado

  • atualizado: 
Animal não é coisa

Vitória! Foi aprovado em Plenário do Senado, o Projeto de Lei Complementar 27/2018, de autoria do deputado Ricardo Izar (PSD-SP), que inclui e resguarda o direitos dos animais perante a legislação nacional, reconhecendo que os animais devem ser tratados como seres vivos e não como coisas ou objetos, como vigora no Artigo 82 do atual Código Civil, que considera animal como bem móvel.

Para isso, o texto desse PL acrescenta dispositivo à Lei dos Crimes Ambientais (Lei 9.605, de 1998) determinando que os animais não sejam mais considerados bens móveis para fins do Código Civil (Lei 10.402, de 2002).

De acordo com o Projeto, também conhecido por #AnimalNãoÉCoisaos animais passam a ter natureza jurídica especial, específica e sui generis, como sujeitos de direitos despersonificados.

Com essa mudança em nossa legislação, os animais passarão a ser vistos e tratados como seres sencientes, ou seja, dotados de sensibilidade, de naturezas biológica e emocional, portanto, passíveis de sofrimento, de sentir dor, prazer, afeto, alegria, tristeza e outros estados emocionais.

Esse Projeto, sendo instituído como Lei, proporcionará aos animais o direito à defesa e à proteção jurídica em casos de maus tratos e maior atenção, ética, responsabilidade e cuidados à integridade deles.

Infelizmente, a nova lei não afetará hábitos de alimentação ou práticas culturais e esportivas que envolvem a exploração e sofrimento dos animais, pois, foi acrescido ao texto do PLC 27/2018 um parágrafo reunindo emendas feitas pelos senadores Rodrigo Cunha (PSDB-AL) e Otto Alencar (PSD-BA).

Essa emenda visa ressalvar do alcance do rigor jurídico desse Projeto, os animais usados na agropecuária, em pesquisa científica e manifestações culturais reconhecidas, bem como de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro, como desafortunadamente é o caso, por exemplo, da vaquejada.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), relator da Comissão de Meio Ambiente (CMA) e defensor da aprovação desse Projeto de Lei, salientou que:

" Não há possibilidade de pensarmos na construção humana se a humanidade não tiver a capacidade de ter uma convivência pacífica com as outras espécies.”

Na visão desse Senador, esse Projeto representa uma questão importante para a Evolução da Humanidade!

Participaram ainda da Sessão do Plenário do Senado para análise e Aprovação dessa Lei, representantes das Comissões de Direitos dos Animais da OAB de vários estados, artistas e ativistas da causa animal.

A ativista Luisa Mell e as atrizes Paula Burlamaqui e Alexia Dechamps interviram junto ao presidente Davi Alcolumbre, para reforçar, apoiar e pedir a aprovação desse Projeto e também para poderem acompanhar a votação no Senado.

Como visto, ainda há muito o que ser feito e consolidado no avanço de nossa Jurisdição em Defesa do Direito Animal, mas já é um passo e uma porta que se abre para adicionar mais claridade, visão e compreensão à legislação brasileira, conferindo assim mais condições para proporcionar uma relação e um tratamento mais sensível, respeitoso e humanizado à vida animal. 

Talvez te interesse ler também:

NOVA ZELÂNDIA RECONHECE OS ANIMAIS COMO SERES SENCIENTES

CANTA A MÚSICA DO REI LEÃO E O BURRO COMEÇA A ACOMPANHAR. VÍDEO INCRÍVEL

TESTE DO NADO FORÇADO, UM DOS TESTES EM ANIMAIS MAIS CRUÉIS QUE EXISTE

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!