Castanha de Baru: conheça essa maravilha do Cerrado

Castanha de Baru: conheça essa maravilha do Cerrado

Saborosa, energética, nutritiva e rica em minerais, especialmente o potássio, assim é a castanha de baru.

O baru (Dipteryx alata Vog.) é uma árvore da família Leguminosae, nativa do Bioma Cerrado, de onde se aproveita a polpa e a semente do fruto, além da madeira. A planta vem sendo usada pela população regional como fonte de subsistência e renda familiar.

Popularmente, dependendo da região, é conhecida como

  • baru – nos estados de Goiás, Tocantins, Minas Gerais e no Distrito Federal
  • cumaru ou cumbaru – em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
  • castanha-de-burro, castanha-de-ferro, coco-feijão, cumaru-roxo, feijão-coco, fruta-de-macaco, entre outros,  em outros lugares.
  • No exterior, o baru é conhecido como tonka beans.

De fato, esta planta é parente da Cumaru, a árvore perfumada, de nome científico Dipteryx odorata.

Segundo a publicação da Embrapa, a ocorrência do baru é ampla no Brasil, podendo ser encontrada “em Cerradão nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso e em 26% das 316 áreas de Cerrado Sentido Restrito (Tocantins, Goiás, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul)”.

Importância ecológica

Para os biólogos e pesquisadores Sueli Matiko Sano, José Felipe Ribeiro e Márcia Aparecida de Brito, autores do artigo “Baru: biologia e uso”, a importância do baru fica ainda maior, “porque apresenta, também, destaque ecológico, podendo ser classificado como espécie-chave do Cerrado, uma vez que seu fruto amadurece na época seca e alimenta várias espécies da fauna dessa região, incluindo o gado”.

Usos

Da planta se aproveita tudo:

  • a madeira, de alta densidade e com boa durabilidade
  • o fruto, tanto a polpa quanto a semente são comestíveis e ricas em calorias e sais minerais.
  • A polpa é ingerida por vários animais silvestres, incluindo morcegos, macacos, roedores e pelo gado, servindo de complemento alimentar durante as secas sazonais. 
  • Da semente é possível fazer castanha, farinha e óleo.

Castanhas – atenção!

A castanha de baru não deve ser consumida crua porque possui alto teor de inibidor de tripsina, que dificulta a absorção de nutrientes importantes para o organismo.

Porém, a simples torrefação da castanha inativa o inibidor de tripsina e ela fica perfeita e apta para o consumo.

Da castanha do baru também podem ser obtidas a farinha e os óleos essenciais, de ótima qualidade por sinal, comparado ao azeite de oliva, em grau de instauração e, normalmente é usado como aromatizante para o fumo, em tratamento medicinal e na indústria de cosmético.

Segundo Paulo Ernani Ramalho Carvalho, Engenheiro Florestal, pesquisador da Embrapa Florestas, “a composição dos ácidos graxos desse óleo revelam um teor relativamente alta de ácido linoleico”.

Propriedades

A castanha de baru apresenta elevados teores de proteínas (entre 23% e 30%) e de lipídios (cerca de 40%), sendo rica também em cálcio, ferro, fósforo e manganês, assemelhando-se à composição característica das nozes.

Informações nutricionais

Nesta tabela constam as qualidades nutricionais da castanha de baru – componente/100g

  • Proteína 23,9
  • Gorduras totais 38,2 
  • Gorduras saturadas 7,18 
  • Gorduras insaturadas  31,02 
  • Fibras totais 13,4 
  • Carboidratos 5,8 
  • Calorias 502 kcal/100g 
  • Minerais mg/100g 
  • Cálcio 140 
  • Potássio 827 
  • Fósforo 358 
  • Magnésio 178 
  • Cobre 1,45 
  • Ferro 4,24 
  • Manganês 4,9
  • Zinco 4,1

Aminoácidos

Semente crua Semente torrada

Valina 4,49 – 4,53

Isoleucina 3,00 – 2,79

Leucina 7,15 – 7,04

Treonina 3,04 – 2,95 ½

Metionina 074 – 0,84

Tirosina 2,34 – 2,10

Fenilalanina 4,20 – 4,20

Histidina 2,10 – 1,95

Lisina 5,65 – 4,17

Triptofano 1,26 – 0,92

Ácido aspartico 7,47 – 7,56

Serina 3,03 – 2,91

Ácido glutâmico 19,18 – 19,30

Prolina 4,17 – 4,20

Glicina 3,79 – 3,80

Alanina 3,64 – 3,67

Arginina 7,26 – 6,99

Planta medicinal

As castanhas de baru apresentam propriedades

  • analépticas (estímulo sistema nervoso central),
  • diaforéticas (estímulo à transpiração)
  • emenagogas (estímulo à menstruação),

Ou seja, possui propriedades sudoríferas, tônicas e reguladoras da menstruação.

Na medicina popular, o óleo extraído da castanha do baru é usado como antirreumático e antiespasmódico.

A semente é considerada fortificante e usada para combater cólicas menstruais.

Popularmente, a castanha de baru é considerada o “viagra do cerrado”.

Conheça os benefícios da castanha de Baru em:

10 Benefícios do Baru, um Excelente Aliado para Nossa Saúde

Formas de consumo

As castanhas de baru podem substituir qualquer outro tipo de castanha, noz ou amendoim ou as oleaginosas, em geral.

Assim, na próxima vez que for consumir esse tipo de semente, lembre-se do baru, além de delicioso é nativo!

Ameaçado de extinção

Em função da procura pela madeira utilizada para fabricação de carvão vegetal, cercas (moirões), indústria moveleira, construção civil, entre outros usos e, dado o crescente e incessante desmatamento do Cerrado, o baru está ameaçado de extinção.

Por isso, é necessário e urgente maior fiscalização e controle quanto ao uso e corte indiscriminado do baru e com o próprio Cerrado, berço, terra e raiz de um bioma que precisa ser protegido, a qualquer custo e pelo bem da humanidade.

Talvez te interesse ler também:

Vinho de Jatobá: como fazer esse potente remédio natural

Astrágalo: a erva da longevidade! Conheça seus super benefícios

Folha do abacate para que serve: analgésica, antioxidante e muito mais

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *