Alimentos ricos em zinco para previnir Covid e outras doenças

Alimentos ricos em zinco para previnir Covid e outras doenças

O zinco é um mineral essencial para o bom funcionamento do nosso corpo e diversos estudos, linkados ao longo deste conteúdo, têm apontado e comprovado que esse nutriente é fundamental para fortalecer a imunidade e evitar diversas infecções, entre as quais, a pandêmica Covid-19.

Além disso, a ingestão de zinco contribui para recuperação do corpo da ação das infecções, atenuando os sintomas, principalmente os relacionamos a comprometimentos respiratórios.

Saiba com as informações a seguir, porque o zinco tem sido recomendado por especialistas para prevenir ou ajudar na recuperação da saúde frente ao novo coronavírus.

Zinco: que mineral é esse?

Segundo a revisão clínica intitulada: Zinco: um Micronutriente Essencial, publicada na American Family Physician

“O zinco é um micronutriente essencial para o metabolismo humano que catalisa mais de 100 enzimas, facilita o dobramento de proteínas, e ajuda a regular a expressão genética.

Em suma, o zinco é um mineral que atua na produção de substâncias que fortalecem a imunidade e contribuem para o equilíbrio e a regeneração das células.

Veja mais informações sobre a importância do zinco para nossa saúde em:

Zinco no tratamento ou prevenção à Covid-19

Em carta aberta direcionada à comunidade científica, o médico norte-americano Dr. Vladmir Zelenko, informou que vem utilizando o zinco, juntamente com outros medicamentos, como tratamento para doentes acometidos pela Covid-19, assim como tem ocorrido em países como China, Coréia do Sul e França.

Seguindo esse protocolo de tratamento, o Dr. Zalenko alega ter tido bons resultados e diversos médicos de diversos países, mostraram interesse em utilizar e incluir o zinco no protocolo de tratamento da Covid-19.

Uma das razões para a administração do zinco ter se mostrado eficaz no tratamento da Covid-19, é que esse nutriente tem sido considerado eficaz para a inibição da replicação do vírus, na modulação da resposta imunológica e na redução da expressão de citocinas pró-inflamatórias.

Vale salientar que, apesar dos resultados satisfatórios, há necessidade de mais estudos para comprovar a eficácia da administração desse suplemento nos tratamentos contra a Covid-19.

Funções do zinco no organismo humano

O zinco é necessário para o bom funcionamento do metabolismo, tendo participação nas funções  dos sistemas:

  • reprodutivo
  • cardiovasculares
  • cerebral
  • muscular
  • nervoso
  • e imunitário

Além destas funções, o zinco atua no combate a quadro inflamatórios, favorecendo a resistência humana às doenças infecciosas.

Outras funções que o zinco desempenha no organismo humano são:

  • tem ação antioxidante, combatendo os efeitos dos radicais livres  e contaminações
  • atua no crescimento do corpo
  • é um nutriente essencial para formação das estruturas proteicas,
  • age na organização e formação de macromoléculas como DNA e RNA
  • contribui no processo de adaptação da visão noturna
  • aumenta e estimula o sistema imunológico
  • coopera  no desenvolvimento de linfócitos (células de defesa do organismo)

Saiba mais funções e propriedades do zinco em:

Sintomas e doenças em decorrência da deficiência de zinco

A carência de zinco pode desencadear vários distúrbios e problemas de saúde, tais como:

  • enfraquecimento da imunidade, tornando o corpo vulnerável a infecções por vírus e bactérias
  • emagrecimento
  • diminuição dos níveis de testosterona
  • redução da produção dos hormônios sexuais
  • inflamação na língua
  • perda muscular
  • deformação nas unhas
  • problemas de pele, como dermatite de vários tipos
  • irritação
  • letargia
  • depressão;
  • diarreia
  • lesões orais
  • alopecia
  • anorexia
  • comprometimento no crescimento
  • mau funcionamento do fígado
  • propensão ao contágio de infecções ou desenvolvimento de inflamações.

Causas da deficiência de zinco

A deficiência de zinco pode ser provocada por várias causas como:

  • má-alimentação ou desnutrição
  • alcoolismo
  • doença inflamatória intestinal
  • síndromes de má-absorção de nutrientes pelo organismo
  • tabagismo
  • problemas metabólicos
  • uso de certas drogas medicamentosas

Alimentos ricos em zinco

Alguns alimentos naturais e saudáveis são fontes de zinco, como:

  • sementes de abóbora
  • sementes de gergelim
  • sementes de linhaça
  • germe de trigo
  • aveia
  • missô (pasta de soja)
  • tempeh (soja fermentada)
  • cereais integrais
  • brócolis
  • cacau
  • chocolate amargo
  • amendoim
  • castanha de caju
  • castanha do Pará
  • nozes
  • amêndoas
  • feijões
  • lentilha
  • ervilha
  • grão-de-bico
  • pistache
  • tofu
  • noz-pecã

Vale a pena incluir esses alimentos no dia a dia pois, além de fornecerem zinco, são fontes de outros nutrientes de vital importância. Uma alimentação saudável, rica e variada é fundamental para a saúde.

Suplementos e alimentos enriquecidos

É bom saber que o zinco encontrado em fontes vegetais pode ser menos absorvido por causa de outros compostos que inibem sua absorção (especialmente os fitatos, utilizados pelas plantas para armazenarem fósforo, como analisou este estudo).

Este estudo sobre o zinco nas dietas vegetarianas concluiu que o aquecimento, a germinação, a fermentação e o molho (deixar de molho) ajudem a aumentar a biodisponibilidade deste mineral nas leguminosas, como o grão-de-bico por exemplo.

Alguns alimentos – como cereais matinais, farinhas de trigo e outras farinhas, bebidas, barrinhas de cereais e outros snaks – são enriquecidos com zinco.

Além desses alimentos, existem suplementos, multivitamínicos e outros produtos ricos em zinco que podem ser consumidos mediante aconselhamento médico ou nutricional.

Quando suplementar é preciso

A suplementação de zinco – quando necessária e recomendada por um médico ou nutricionista – pode ser eficaz para a prevenção de infecções, principalmente respiratórias; no combate à diarreia e baixa-imunidade, além de outros problemas de saúde gerados pela deficiência desse nutriente.

O zinco, em combinação com nutrientes antioxidantes, também pode contribuir para retardar a progressão da degeneração macular. Além disso, esse mineral pode ser  eficaz no tratamento da doença de Wilson (má absorção e acúmulo do cobre no fígado).

Reações adversas pelo mau uso do zinco

O zinco é bem tolerado, quando administrado em doses adequadas, recomendadas por um médico e sob sua supervisão.

Quando em excesso ou utilizado de forma indevida pode apresentar efeitos adversos, como:

    • supressão da imunidade (o efeito contrário, pois o zinco aumenta a imunidade)
    • diminuição dos níveis de colesterol bom, lipoproteínas de alta densidade (HDL)
    • anemia
    • deficiência de cobre e ferro
    • complicações geniturinárias
    • Náusea e vomito
    • perda de apetite
    • diarréia
    • cólicas abdominais
    • dores de cabeça

Devido às possibilidade de reações adversas, é bom frisar que é preciso consultar um médico antes de fazer suplementação de Zinco para, além de não gastar dinheiro à toa, não colocar em risco a própria saúde.

Toxicidade e doses recomendadas

Assim como a deficiência de zinco pode causar problemas de saúde, seu excesso também pode causar efeitos colaterais negativos, por isso, é sempre importante consultar um especialista e nunca se automedicar, nem mesmo com suplementos aparentemente inofensivos.

A dose diária recomendada de zinco é de:

  • 11 mg para homens adultos
  • 8 mg para mulheres adultas.
  • Mulheres grávidas e amamentando devem consumir entre 11 e 12 mg por dia.

A maioria das pessoas pode obter sua dose diária de zinco somente com a dieta.

Consulte um médico se acredite que seja necessário suplementar.

Talvez te interesse ler também:

Nibs de Cacau: O que é, Benefícios e Receitas Deliciosas

Farinha de ora-pro-nóbis: como fazer, benefícios, usos e receitas

Nutracêuticos: o que são e para que servem

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *