Orange Fiber: com o que sobrou da laranja, um tecido sustentável, que perfuma a pele

Orange Fiber

Todos os anos, cerca de 25% da produção italiana de cítricos não tem lugar no mercado e torna-se desperdício, sendo jogada no lixo. E se há mais de 500 mil toneladas por ano de resíduos produzidos pelo processamento de cítricos, quem diria que esse volume poderia se transformar em um material como o tecido de excelência e que perfuma a pele?

Essa é a ideia de Orange Fiber, uma startup que tem como objetivo desenvolver têxteis inovadores e sustentáveis para a moda, a partir dos subprodutos das laranjas.

Idealizada por Adriana Santanocito e desenvolvida com Enrica Arena, ambas sicilianas de Catania e milanesas por adoção, o objetivo da Orange Fiber era transformar um descarte da terra em um produto inovador que pudesse trazer além da inovação, emprego e o relançamento do Made in Italy, com um olhar para o meio ambiente.

"Nossa aventura começou há cerca de dois anos, em Milão, quando estávamos terminando os nossos estudos e dividíamos um apartamento e nossas expectativas sobre o futuro. Adriana queria se tornar uma designer de moda especializada em têxteis de sustentabilidade e eu queria um trabalho que tivesse a ver com o social e com a sustentabilidade. Entre uma hipótese e outra, a ideia: e se pudéssemos usar a laranja para criar um tecido vitamínico e sustentáve", disseram as empreendedoras ao greenMe Itália.

Ao estudar e aprofundar seu projeto, descobriram que, na Itália a cada ano, são produzidos milhares e milhares de toneladas de resíduos do processamento de cítricos. Adriana e sua parceira começaram a estudar os processos de transformação de biomassa em tecidos para a sua tese e conseguiram desenvolver uma hipótese viável, que, em seguida, foi verificada e patenteada pelo Politecnico de Milão.

E não é só isso: elas desenvolveram um processo para enriquecer o tecido com óleos essenciais naturais que liberam vitamina C na pele do usuário. "Tome um minuto e imagine todos os cítricos de processamento de resíduos industriais transformados em um têxtil sustentável e biodegradável, que funcione como um creme cosmético e vitamina para vestir, para criar inúmeras coleções para consumidores responsáveis: este é o nosso sonho, e queremos alcançar a nossa terra, Sicília".