Minimalismo: o que é, benefícios e como praticar

  • atualizado: 
minimalismo

Neste conteúdo será compartilhado práticas minimalistas, com base no respeito ao equilíbrio da vida, dos seres e da Natureza. Você já se perguntou para onde vão as embalagens dos produtos que consumimos e as sacolas plásticas que usamos? Já pararam para pensar qual a origem e o fim dos aparelhos eletrônicos, roupas, móveis, construções e transportes? Este conteúdo tem a finalidade de contribuir para sermos consumidores mais conscientes, dando prioridade à qualidade em vez da quantidade.

Para isso, precisamos reduzir ao máximo o lixo que produzimos, praticando o consumo consciente e reduzindo os efeitos negativos que a humanidade tem feito com os recursos naturais.

O Minimalismo é ma forma de contribuir para a preservação do nosso planeta, bem como a de todos os seus habitantes. Existem muitas formas e atitudes que podemos aplicar com essa finalidade.

Praticar o Minimalismo é optar por um estilo de vida mais simples e com mais sentido e propósito, buscando o essencial e eliminando o supérfluo. Para isso é necessário compreender que consumo é diferente de consumismo.

Viver o Minimalismo é desenvolver a consciência ambiental, praticar o consumo consciente e fazer escolhas sustentáveis, além de viver com mais equilíbrio e disciplina. No Minimalismo o menos é mais!

Saibam mais com o que vem a seguir:

 

1. A origem do Minimalismo

O Minimalismo surgiu como um movimento artístico nos anos 50 e ressurgiu na atualidade como um novo estilo de vida. Um estilo de vida baseado em uma forma simples e mais consciente de viver.

Dentro dessa postura, o Minimalismo traz muito atitudes, benefícios e realizações que contribuem para melhorar nossa vida no planeta.

A seguir serão apresentadas algumas maneiras de praticar o Minimalismo.

2. Atitudes Minimalistas

2.1. 1. Desconectar para se reconectar consigo, com a Natureza e com a Vida

O fluxo incessante de informações através dos aparelhos eletrônicos e digitais, além de gerar gasto de energia elétrica, sobrecarrega nossa mente e abala nosso corpo com o sedentarismo provocado pelo uso excessivo da tecnologia. Por isso, ter momentos de reconexão conosco mesmo é uma forma de sair desse ciclo de gasto de energia, tanto de recursos ambientais, como de nós mesmos.

2.2. 2. O excesso faz mal

Acumular coisas, além de gerar desordem e estagnação, acaba fazendo com que se viva para as coisas, em vez de usufruir delas. Se não usa mais, passe para frente! Deixar de acumular coisas, dá mais leveza à vida!

2.3. 3. Use o dinheiro com consciência

O dinheiro é o veículo material que temos para cristalizar nossos propósitos. Ao esbanjá-lo, desequilibramos o fluxo de nossa existência. Compre o que necessita e não para ostentar.

2.4. 4. Simplificar a existência é uma forma de ser Minimalista

Viver com qualidade e de forma inteligente é simplificar o que se vive. Complicação é reflexo de excessos e desorganização. Isso abrange desde coisas materiais até relacionamentos, quando se tornam nocivos.

2.5. 5. Está funcionando e em bom estado, continue usando

Na era do descartável e do modelo última geração, as pessoas vivem trocando de aparelhos digitais, veículos e eletrodomésticos, mesmo sem necessidade, apenas para ter o modelo novo e não percebem que estão contribuindo com o desperdício, aumentando o uso dos recursos naturais e o aquecimento global, pois a fabricação desses produtos desencadeia esses efeitos.

2.6. 6. Priorize s atividades que são importantes para sua vida

As pessoas vivem atoladas de ocupações e por conta disso perdem o contato consigo mesmas e com o que realmente importa para ser feliz. Excessos de compromissos, agenda cheia, falta de tempo, existência acelerada, pressa para tudo, deixando de respirar, se alimentar e dormir direito.

A chave para a felicidade é ter mais tempo para nós mesmos e se relacionar com mais consciência com os outros. É saber dizer não para o que nos desequilibra e desarmoniza. Lembrando que a existência não é só trabalhar, que precisamos ter contato conosco, com outros seres e com a Natureza, para sentirmos e captarmos a plenitude da vida.

3. Pontos-chaves do Minimalismo

Este infográfico do site Eu Organizado sintetiza bem os fundamentos do Minimalismo e ajuda a entender com mais facilidade esses princípios para colocá-lo em prática.

O objetivo do Minimalismo é nos ajudar a tirar do nosso dia a dia tudo aquilo nos deixa confusos, estressados, complicados, cansados e sobrecarregados e, o que é pior ainda, sem necessidade, pois ao priorizarmos o essencial é necessário que nossa vida fique mais simples.

minimalismo 2

Observação sobre o tópico 2.

Destralhe: Se algo não tiver conserto ou não possa servir para doar para outra pessoa, encaminhe para reaproveitamento ou reciclagem. Só jogue no lixo o que não possa ser reutilizado, reaproveitado ou reciclado.

4. Viver mais, com menos

O Minimalismo é a arte de saber se alinhar com o que é importante e fundamental. Acumular coisas e viver de aparência vai na contra-mão do Minimalismo. A vivência do Minimalismo se baseia em se libertar dos excessos, seja na áreas pessoal, material, profissional ou social, reduzindo agitação, problemas, gastos expectativas, consumismo, desperdício, bens e objetos, que só nos fazem esbanjar nosso tempo, deixando de viver o essencial, que é o faz o nosso coração vibrar!

O Minimalismo nos ajuda a viver em prol do que é prioritário, em busca de uma vida com mais desapego, lucidez, felicidade, satisfação e liberdade.

E por falar em prioritário como você está aproveitando o seu tempo?

Talvez te interesse ler também:

ESPINOSA E SEUS PRINCÍPIOS DE DESAPEGO, VIDA SIMPLES, DEUS E RELIGIÃO

PRATICANDO O DESAPEGO: HISTÓRIAS INSPIRADORAS DE PESSOAS QUE VIVEM COM POUCO

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!