Vegetariano x Vegano: vamos esclarecer as diferenças?

  • atualizado: 
Vegetariano x Vegano

Atualmente, muitas informações e esclarecimentos sobre os prejuízos que o consumo da carne traz, não só, para os animais, também, para as pessoas e ao planeta, tem contribuído para que, cada vez mais e mais pessoas se tornem vegetarianas ou veganas. Nesse conteúdo vamos entender melhor o que significa cada um desses conceitos, suas diferenças e a confusão que existe em torno deles.

OVOLACTOVEGETARIANISMO

Os ovolactovegetarianos não consomem carne e seus derivados, têm sua alimentação constituída, basicamente, de vegetais, porém, também, se alimentam de ovos, leite e todos produtos provenientes desses 2 alimentos de origem animal.

É importante salientar que, mesmo esses alimentos não envolvendo a morte do animal, eles contribuem para seu sofrimento, pois, ocorre o confinamento, a exploração, a utilização de práticas prejudiciais na criação dele até o processo de produção, e que interferem em sua integridade, no seu desenvolvimento natural e livre, pois o trata como mercadoria e objeto de lucratividade.

VEGETARIANISMO

vegan prato

Por várias vezes, ouvimos alguém dizer:

- Sou vegetariano, mas como peixes. 

Esse exemplo mostra que, realmente, a pessoa não tem a compreensão que ser vegetariano é não consumir alimentos de origem animal.

Os ovos, leite e seus derivados, por serem de origem animal não fazem parte da alimentação vegetariana.

Quem adota o vegetarianismo não consome:

  • ovo;
  • leite e derivados (queijos, manteiga, iogurtes)
  • mel (pouco se sabe mas há também muita crueldade na apicultura);
  • alimentos contendo corante de cochonilha e outros aditivos de origem animal (para saber mais veja aqui). 

VEGANISMO

vegan 1

Os veganos adotam uma postura de não consumo de nada de origem animal, não só na alimentação, como fazem os vegetarianos, mas em todas áreas de sua vida:

  • vestuário;
  • beleza;
  • saúde;
  • limpeza;
  • diversão;
  • ou seja, um vegano não utiliza qualquer produto que tenha matéria-prima animal ou envolva crueldade e exploração deles. 

Para entender melhor o que é excluído da vida de um vegano e o que ele com sua conduta e escolhas boicota, em defesa da vida animal, segue alguns exemplos: 

Veganos não usam:

  • Roupas, calçados ou acessórios que sejam feitos de couro;
  • Vestuários de pele, seda ou lã;
  • Enfeites, bijuterias, artesanatos com partes penas de aves, cascos de tartaruga, marfim de elefante e conchas de mariscos que estavam vivos quando foram extraídas.
  • Cosméticos e produtos de beleza feitos com ingredientes de origem animal ou, ainda, que sejam testados em animais;
  • Produtos de limpeza e químicos com ingredientes de origem animal e que sejam testados em animais.
  • Algumas bebidas (cerveja e vinho branco principalmente) contêm cola de peixe, e os veganos não bebem.

Para saber mais sobre o que veganos não consomem, confira essa lista.

Veganos não frequentam:

  • Rodeios;
  • Aquários;
  • Zoológicos;
  • Parques que confinam animais;
  • Circos que utilizem animais em suas atrações;
  • Rinhas e competições com animais.

Veganos não compram animais

A compra de animais envolve sofrimento extremo e prejuízo da saúde das fêmeas que são utilizadas para procriação, visando o comércio e o lucro em detrimento do bem-estar animal.

Não compram, criam ou apreendem animais silvestres, tirando-os de seus habitats e pássaros para criar em viveiros ou gaiolas.

Veganos não utilizam e nem apoiam o uso de animais como:

  • tração ( carroças, charretes, arados)
  • transporte (como animal de montaria)

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES A SE PENSAR

vegan

Para ampliar essas definições, vamos abordar algumas variantes desses conceitos:

Em alguns casos, nem sempre aqueles que adotam o vegetarianismo o fazem pelos animais, e sim, por questões alimentar e de saúde.

Há pessoas que se tornam ovolactovegetarianas como uma forma de transição para o Vegetarianismo, que por sua vez pode ser um passo para o Veganismo.

O Veganismo é um movimento, ético e filosófico, que tem como postura de vida priorizar a defesa, a proteção, a preservação e o respeito à vida animal, por isso, sob sua ótica, o vegetarianismo, mesmo suprimindo alimentos de origem animal, é insuficiente para a prática da compaixão para com os animais, e não contribui para a realização desses objetivos, pois não envolve escolhas que vão além da alimentação.

Ao longo de nossa história, os animais foram e vêm sendo utilizados e explorados de várias formas, em nome do progresso. Porém, cada vez mais, se amplia a quebra desse paradigma, e, mais e mais pessoas se tornam conscientes de fazer o máximo para não apoiar tal condição e, dessa forma, buscam com suas escolhas e estilo de vida, mudar este status e mentalidade.

Devido à essa mudança de postura, mais ética e consciente para com os animais, tem-se buscado, cada vez mais, alternativas para não utilização de animais em vários setores de nossa vida, inclusive na ciência, substituindo o uso de animais, em experimentações científicas por métodos alternativos, sem uso de animais.

Essas transformações representam um avanço para diminuir e, até, terminar com a crueldade para com os animais.
Ainda, é necessário fazer mais para nossa sociedade abandonar, de vez, a exploração animal, mas, com certeza, a mudança começa, em cada um de nós, e, de forma bem contundente, através de nossa alimentação, que é uma área de nossa vida que contribui muito, devido à sua amplitude e nível de exploração, para o sofrimento animal.

Para o crescimento e expansão dessa consciência de respeito e valorização à vida animal, precisamos nos mover, definitivamente, rumo à proibição e o fim de qualquer forma de exploração, experimentação e sofrimento animal.

O Homo sapiens não é melhor que as outras espécies

O Veganismo é contra o especismo, praticado pelo ser humano que trata os animais como seres inferiores e não levam em conta que as outras espécies também são seres sencientes (sofrem, sentem prazer, se alegram, querem viver e amam, assim como nós).

Se pensamos de sermos melhores que as outras espécies (mais inteligentes, dizem) devíamos simplesmente proteger os menos favorecidos em vez de explorá-los e maltratá-los.

E, para finalizar, é importante frisar que a atitude compassiva, libertária e revolucionária, visando a paz, a justiça, a consciência e a defesa da vida que embasa o Veganismo, se estende aos humanos, à natureza e ao planeta.

Para estender ainda mais a abrangência do Veganismo em nossas vidas, leia: 

ALIMENTAÇÃO E ESPIRITUALIDADE: A ESPIRITUALIDADE INFLUI EM NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES E VICE-VERSA

E, para reforçar e sintetizar as definições que foram abordadas neste conteúdo, deixamos com vocês o vídeo abaixo onde a nutricionista Paula Pignanelli tira dúvidas a respeito das diferenças entre vegetarianismo e veganismo. Confiram: