Quanto você apostaria em você mesmo? Estes casos vão te animar!

Quanto você apostaria em você mesmo? Estes casos vão te animar!

Quantos de nós falimos em 2020? Comércios fechados, turismo parado, shows e espetáculos cancelados, milhares de trabalhadores demitidos. E agora José? Quem é que no rabo da pandemia consegue ter esperança? O quanto você apostaria na tua capacidade de se reerguer das trevas?

O ano foi ruim para muitos, para a maioria. Mas para algumas pessoas foi ótimo. Elon Musk que nos diga, ele saltou de 4° para o segundo homem mais rico do mundo. E daí?

E daí que a sua história é muito inspiradora.

Hoje o carro elétrico mais vendido do mundo é o seu Tesla Model 3. A Tesla, que esse ano teve suas ações tão bombadas que levou Musk ao topo da lista dos bilionários, esteve um dia a um passo do falimento.

Os dias sombrios, infernais, da empresa foram contados pelo próprio Musk em um twitter recentíssimo desse ano: “estranho mas verdadeiro”, relembra:

“Durante os dias sombrios do programa Model 3, procurei por Tim Cook para discutir a possibilidade da Apple comprar a Tesla (por 1/10 do seu valo atual).

E Cook? sequer pensou, e se recusou a marcar um encontro.

Por sua vez, nos nostálgicos anos 70, à Carlo De Benedetti, empresário italiano, ex presidente da Olivetti e ex CEO da Fiat, lhe fora ofertada a compra de 20% da Apple por 200 mil dólares. “Se eu penso sobre isso, atiro em mim mesmo todas as manhãs enquanto estou me barbeando”, contou ele à Forbes Itália.

Quer mais uma história incrível?

Em 2000, a Netflix que na ocasião tinha 3 aninhos de idade, e hoje está derrubando a potente Hollywood, chegou um dia a bater à porta da Blockbuster (lembram da Blockbuster?) para vender-se e hoje, nem precisa dizer o fim dessa história. Poucos meses depois de recusar a oferta da Netflix, a Blockbuster faliu e a Netflix está aí: é mais uma empresa que com a pandemia deu saltos estrelares.

E tem muitos outros exemplos… Só para ilustrar alguns:

Trabalhava na Kodak a pessoa que inventou a primeira câmera digital, o engenheiro Steven J. Sasson. Nos anos 1970 ele chegou a propor sua nova tecnologia à Kodak, à época líder no setor cinematográfico. Como os seus “superiores” não entenderam o que tinham à frente deles, deu no que deu: um pedido de falência da empresa em 2012.

E o que dizer do Yahoo que desprezou a ideia de Larry Page e Sergey Brin, hoje GOOGLE!, para colocarem em ação um plano de busca na net?

A história do Steve Jobs é “A” história da rejeição. Adotado praticamente duas vezes (ele seria dado a uma família rica mas foi rejeitado porque a família queria uma menina) ele acabou sendo adotado por uma família pobre e deu no que deu. Por causa da pobreza, rejeitaram a potencialidade mental e econômica em pessoa, na pessoa do admirado JOBS!!!

Quantas pessoas desacreditaram em outras pessoas e se arrependeram depois?

Mas o segredo não é acreditar no outro e sim, em si próprio, como ensina o próprio Musk:

“O meu segredo? Acreditei em mim mesmo quando ninguém acreditava”

E se a pandemia deixou, justamente, todo mundo pra baixo, paciência:

“A paciência é uma virtude. E eu estou aprendendo a tê-la. É uma lição difícil.”, diz Elon Musk

Essa é a última mensagem da gente para 2020 esperando, de verdade, que dias melhores virão.

A fé não costuma falhar.

Compartilhem! Feliz Ano Novo!

Talvez te interesse ler também:

Quando tudo dá errado, lembra da Clarice

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *