Ebola: a escalada mundial da doença

Ebola: a escalada mundial da doença

Até dezembro de 2014, os casos de Ebola deverão crescer em até 100%, segundo a Organização Mundial de Saúde. Assim, haveria o crescimento dos atuais 5 mil para 10 mil casos semanais.

Embora o diagnóstico sobre as áreas mais atingidas seja positivo, com a diminuição do número de ocorrências, houve uma expansão geográfica da doença, que agora atinge outras localidades dos países africanos atingidos e mais nações vizinhas.

Outras questões alarmantes a respeito do Ebola se referem à taxa de mortalidade que aumentou de 50% para os atuais 70%; com isso, o Ebola se classifica como uma doença de alta taxa de mortalidade e já é a doença mais grave dos últimos tempos no mundo.

A expansão do Ebola traz à tona outra questão frágil: o despreparo das nações para enfrentar esse tipo de ameaça, chegando até mesmo a significar o fracasso de alguns Estados em oferecer proteção a seus cidadãos.

Muito embora o crescimento do Ebola se deva ao fato de ter surgido em países pobres, como os pertencentes ao continente africano: Libéria, Guiné e Serra Leoa; o que ocorre agora é uma expansão indistinta entre nações do mundo, como os recentes casos na Alemanha e na Espanha e nos Estados Unidos. No Brasil, o caso suspeito felizmente revelou-se negativo no teste laboratorial.

Inclusive, o nosso plano de contingência colocado em ação no caso suspeito, fora elogiado mas, existe uma necessidade bastante grande de novos centros de tratamento eficazes que garantam maior tranquilidade à população, além de um controle mais apurado nos aeroportos.

Leia também: Emergência ebola: suspeita de caso no Brasil. Avaaz convoca voluntários

Fonte foto: fotospublicas.com