/viver/saude-e-bem-estar/8513-setembro-amarelo-prevencao-suicidio

#SetembroAmarelo: prevenção ao suicídio, como podemos ajudar 

  • atualizado: 
#SetembroAmarelo

Setembro Amarelo é uma campanha realizada anualmente, que tem por objetivo sensibilizar e conscientizar as pessoas sobre os sinais e as causas que podem levar uma pessoa a cometer suicídio. Vamos combater o suicídio?!

A Campanha Setembro Amarelo foi criada em 2015 pelo CVV-Centro de Valorização da Vida em conjunto com CFM-Conselho Federal de Medicina e ABP-Associação Brasileira de Psiquiatria e tem por finalidade chamar a atenção do público para as causas que levam ao suicídio e como estas precisam ser tratadas, entre todas as faixas etárias, desde crianças até pessoas de idade avançada.

Nessa Campanha, especialistas em saúde mental e comportamento humano divulgam informações claras para ajudar a combater esse mal de nosso século.

Durante essa Campanha, temas como depressão, ansiedade, estresse, bulling, solidão, discriminação, alienação e os cuidados com a saúde psíquica são colocados em pauta nas mídias sociais e palestras ao vivo.

Esses conteúdos visam desconstruir o preconceito de que melancolia ou depressão é frescura, falta do que fazer ou falta de Deus no coração, levando à compreensão que as causas desse problema podem estar atreladas não só a fatores psicológicos, mas, também, sociais ou orgânicos como: diabete, anemia, deficiência nutricional, hipertensão ou hipotensão, entre outros.

Crianças e adolescentes, um cuidado especial

E para reforçar essa Campanha, o Ministério da Saúde brasileiro irá no mês de Setembro, realizar a conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio, destacando a necessidade de atenção especial ao bem-estar e a saúde mental de crianças e adolescentes, já que estatísticas têm apontado para o crescente índice de suicídio nessas fases de vida do ser humano

Sobre isso, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, esclarece:

"Acho que a saúde vai ter que ir para as escolas e organizar esta interface junto à educação. E acho que são os próprios adolescentes, dialogando entre si, que com orientação vão achar as necessárias válvulas de escape. Porque eles não vão achar com quem falar dentro de casa. Não acham na família. O meio está hostil, os amigos estão vivendo no mundo virtual e, no mundo real, esses jovens se deparam com as exigências e frustrações do dia a dia".

Assim sendo, o  foco das ações desenvolvidas pelo Ministério da Saúde durante o Setembro Amarelo 2019, será o público jovem, que vem de forma crescente apresentando casos de suicídio pois, o índice desse mal entre adolescentes cresceu 24% em nove anos.

Vida virtual, desemprego, desinteresse

O aumento do suicídio entre os jovens é algo que está ocorrendo no mundo inteiro e vem causando grande preocupação. 

O contexto que favorece essa realidade é que os jovens estão entre as pessoas que passam mais tempo conectados à Internet e têm dificuldade para lidar com a realidade do dia a dia fora do mundo virtual, sofrendo de ansiedade por falta de vínculos afetivos e sociais, reais.

Outro fator que pesa na forma de lidar com as causas do suicídio, tanto em jovens como em adultos, foi explicado pela psicanalista Soraya Hissa para o Jornal O tempo, onde ela destaca que somente medicamentos não resolvem esse problema de saúde mental, é necessário aliar o tratamento com a terapia.

Além disso, os agravantes dos índices de suicídio, principalmente entre jovens, segundo uma pesquisa da Unifesp, são os determinantes sociais como a desigualdade social e o desemprego e  essa constatação é alarmante, já  que, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há em nosso país, 4,6 milhões de desalentados (pessoas que desistiram de procurar trabalho) e 3 milhões sem emprego há mais de dois anos e, segundo índice do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 23% dos jovens não trabalham e nem estudam, sendo assolados por grande falta de perspectiva diante da vida.

E, de forma mais abrangente, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio tem afetado mais de 800 mil pessoas por ano, sendo a segunda maior causa de morte no mundo inteiro, entre pessoas de 15 e 29 anos. A situação é tão grave que esse órgão tem como meta reduzir as taxas de suicídio em 10% até 2020.

Formas de Buscar Ajuda

CVV

O Centro de Valorização da Vida oferece apoio emocional e de prevenção do suicídio, com atendimento gratuito e sob sigilo àqueles quer precisam conversar. 

Telefone 188 ou busque  endereço, email ou contato no chat no site dessa instituição, clicando AQUI.

Raps

A Rede de Atendimentos Psicológicos Sociais responde ao contato após cadastro no site: sapientiacordis.org/raps

Orientações do Ministério da Saúde sobre a Prevenção ao Suicídio

Veja este vídeo do canal do Ministério da Saúde com a especialista Livia Vitenti, que explica como podemos ficar atentos aos sinais de alerta que levam ao suicídio, o que fazer caso alguém próximo precise de ajuda e onde buscar apoio para Prevenção ao Suicídio.

Como podemos ajudar

Cada um de nós pode fazer sua parte, ajudando pessoas de seu círculo que apresentam algum fator de risco que leva ao suicídio, procurando ouvi-la sem julgamentos, compreendê-la, incentivando a procurar ajuda acessível e especializada.

Para finalizar, deixamos esse vídeo como uma mensagem de amor porque sim, você importa!

Talvez te interesse ler também:

JOVEM É PREMIADA POR ESPALHAR MENSAGENS CONTRA A DEPRESSÃO E EVITAR SUICÍDIOS

BANCO DA AMIZADE: COMO SE COMBATE, COM SUCESSO, A DEPRESSÃO NA ÁFRICA

DEPRESSÃO INFANTIL EXISTE. CONHEÇA OS SINTOMAS E AJUDE AS CRIANÇAS

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!