Arnica montana para curar medos e traumas

  • atualizado: 
Arnica montana

A arnica é uma planta que sempre foi usada para tratar de contusões e outros processos inflamatórios. Os mais velhos fazem infusões da planta e a utilizam-nas para passar na região contundida. Mas parece que essa planta tem, também, outros poderes.

Que planta é essa

Arnica é o nome popular da espécie cujo nome científico é Arnica montana, uma planta originária das montanhas da Europa e da Sibéria que é utilizada há muitos séculos na medicina alternativa para o tratamento da dor e inflamação de diversas condições.

Para esses tratamentos, é muito comum a pomada, o gel e o chá feitos à base de arnica.

Seu uso é bastante popular no Brasil. Quem tem ou teve uma vovó curandeira em casa, lembra-se do vidro pronto de arnica imersa em álcool para tratar qualquer contusão (aquele roxo causado por uma batida).

Arnica contra medos e traumas

Mas o uso da arnica passou da sabedoria popular para fitoterapeutas e homeopatas, que a receitam em casos de processos inflamatórios.  A Homeopatia utiliza a planta, inclusive, em casos de bloqueios psíquicos que acompanham traumas de médio e grande porte, devido ao seu princípio ativo protetor da estrutura psíquica do paciente. Ela é aplicada com vistas ao equilíbrio emocional e físico do paciente, bem como para o fortalecimento de sua energia vital.

A arnica brasileira 

No Brasil, algumas plantas são conhecidas genericamente como “arnica”, como a “Arnica do Campo” (Lychnophora pinaster), a qual tem as mesmas indicações da Arnica montana e pode ser utilizada para a recuperação da acertividade, lucidez mental, objetividade, auto-estima, sentimento de poder pessoal, entre outras indicações. O terapeuta fitoterápico Túlio Americano relata em seu site que passou a indicar a imersão com Arnica do Campo a pacientes com quadros de Síndrome de Pânico, Depressão Reativa, Angústia, os quais reagiram de forma positiva ao tratamento.

Usos e contraindicações

Apesar de seus efeitos terapêuticos, a substância ativa da Arnica montana pode apresentar efeitos indesejados, conforme alertado pelo Consultar Remédios.

Pacientes com histórico de hipersensibilidade e alergia à Arnica montana não devem utilizar a planta, bem como crianças menores de 12 anos e mulheres grávidas. Quem está fazendo tratamento odontológico, também deve consultar o dentista.

Como a arnica tem álcool em sua composição, ela deve ser evitada para quem está fazendo tratamento de combate ao alcoolismo.

Não são conhecidas, ainda, a intensidade e a frequência das reações colaterais do medicamento à base de arnica. Por isso, mais uma razão para consultar um médico ao utilizar a planta, pois ela pode, também, mascarar ou agravar sintomas.

Fique de olho nas interações medicamentosas e nunca se automedique, principalmente se estiver fazendo uso de outros medicamentos.

Consulte um homeopata

Muitas vezes recorremos à homeopatia ou à outras terapias alternativas para tratar doenças psicossomáticas ou após termos vivido traumas decorrentes de uma cirurgia, morte de familiares ou outros eventos traumáticos em geral.

Para o tratamento homeopático contra traumas e medos com arnica, bem como para aumentar auto-estima ou tratar outros problemas de fundo psicológico, consulte um homeopata que poderá indicar este e ou outros tratamentos, considerando o teu problema em particular.

Agora que você conhece o uso da arnica para este fim, converse com seu médico sobre a possibilidade de usá-la.

Talvez te interesse ler também:

GUACO - PODEROSA ERVA MEDICINAL, SANTO REMÉDIO NÃO SÓ PARA TOSSE. COMO USAR

ORÉGANO: O MELHOR ANTIBIÓTICO RECONHECIDO PELA CIÊNCIA

UVA-DO-MATO, A CISSUS VERTICILLATA É CONSIDERADA INSULINA VEGETAL

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!