Elmo, um capacete de respiração assistida para evitar a intubação por Covid

Elmo, um capacete de respiração assistida para evitar a intubação por Covid

Uma iniciativa de parceria público-privada, tornou possível a criação do capacete de respiração assistida denominado Elmo, com a finalidade de ajudar pacientes de Covid-19, que necessitam de respiração artificial.

O Elmo é um capacete de respiração assistida para tratar pacientes com quadro leve ou moderado de Covid-19, a fim de evitar a intubação.

Esses aparelho começou a ser testado clinicamente em junho do ano passado, em pacientes com Covid-19, internados no Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza.

Após passar pelos testes clínicos com bons resultados, para atender os requisitos exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os capacetes começaram a ser produzidos em escala industrial.

E já existem hospitais de outros estados do Brasil adquirindo esse equipamento.

A criação desse capacete foi possível graças à força tarefa envolvendo:

  • Secretaria da Saúde do Governo do Ceará
  • Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE)
  • Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap)
  • Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec)
  • Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Ceará)
  • Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Universidade de Fortaleza (Unifor)
  • Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH)
  • Indústria Esmaltec, subsidiária do Grupo Edson Queiroz

A FIEC, por meio do SENAI-Ceará, está desde o início neste projeto já que o protótipo do Elmo foi desenvolvido no Instituto SENAI de Tecnologia em Eletrometalmecânica.

O SENAI-Ceará foi um parceiro fundamental para torna viável  a criação desse capacete, pois essa instituição cuidou:

  • da elaboração do projeto técnico
  •  do desenvolvimento e construção do protótipo
  • da busca de parceiros industriais para a produção de alguns componentes e a execução dos testes

Fases de viabilização deste equipamento

A Universidade de Fortaleza se envolveu nessa iniciativa em três segmentos:

  • projeto das peças do capacete
  • testes de validação do protótipo
  • promoção da integração das ações com as empresas do Grupo Edson Queiroz

Capacitação para o emprego do Elmo

Atualmente, a Escola de Saúde Pública está com a missão de instruir profissionais da saúde em como fazer uso do Elmo, nos pacientes.

As responsáveis por essa missão são:

Elas capacitarão profissionais de saúde como:

  • médicos
  • enfermeiras
  • fisioterapeutas
  • engenheiros clínicos

Vantagens do capacete Elmo

As vantagens que o emprego do capacete Elmo traz são:

  • reduz em 60% a necessidade de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI)
  • não é invasivo
  • tem menor custo
  • e é mais seguro para os profissionais de saúde, devido ter um filtro que evita contaminação do equipamento, por vírus e bactérias
  • Oferece uma pressão positiva contínua nas vias aéreas
  • Oferece uma quantidade de oxigênio em níveis elevados
  • Melhora o quadro respiratório do paciente
  • O mecanismo desse equipamento permite ser utilizado fora de leitos de UTI
  • Pode ser desinfetado e reutilizado
  • Em pacientes acometidos pela Covid-19, em risco de evolução para ventilação invasiva, o Elmo teve a capacidade  de evitar, na primeira hora de uso contínuo, até 60% a intubação orotraqueal, promovendo rápida recuperação da função pulmonar e aumento do percentual de oxigênio no organismo

Como funciona

Veja neste vídeo, do canal Esp-Ceará, como é o capacete Elmo e as vantagens que seu emprego oferece a médico e pacientes:

Embora todas essas vantagens, o idealizador do Elmo e superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará, Marcelo Alcantara, fez um esclarecimento:

“É importante deixar claro que não é uma solução para a cura da Covid-19: estima-se que os pacientes ainda podem necessitar de intubação em aproximadamente metade dos casos. Mas, sem dúvida, o equipamento será um grande legado para a saúde no estado e no tratamento de doenças respiratórias.”

Como foi a avaliação da eficácia do Elmo

A avaliação da eficácia do Elmo teve início em abril de 2020, na fase do protótipo inicial em que foram avaliados os requisitos terapêuticos, antes de partir para a usabilidade em pacientes no Hospital Leonardo da Vinci no mês de junho de 2020.

A primeira paciente foi uma senhora de 77 anos, apresentando insuficiência respiratória, causada pela pneumonia por Covid-19, que teve melhora no quadro respiratório, após a utilização do Elmo.

Sobre esse resultado, Marcelo Alcantara, declarou:

“Obtivemos resultados preliminares satisfatórios já na primeira paciente que testou o Elmo, no Hospital Leonardo da Vinci.

Nos primeiros minutos, a saturação da paciente aumentou de 90 para 96 a 97%, que apresentou melhora no quadro respiratório, com o emprego do Elmo.”

Veja mais informações sobre as fases de avaliação deste equipamento hospitalar, neste vídeo, do canal Esp-Ceará:

Essa iniciativa mostra que a união de vários grupos da sociedade podem ajudar a aliviar e a reduzir a crise que estamos vivendo em nosso país, no contexto da pandemia.

Por mais iniciativas como esta!

Parabéns, a todos os envolvidos!

Para saber mais iniciativas em prol da prevenção da Covid-19, confira:

Para fazer máscara: empresa desenvolve tecido que elimina quase 100% de coronavírus em 2 minutos

SprayCov: pesquisadores brasileiros criam spray AntiCovid que dura até 3 dias

Esperança: pesquisadores da UNB criam máscara para inativar o coronavírus

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *