maconha
maconha

Homens que fumam maconha têm mais espermatozoides e melhor fertilidade

Uma notícia que parece mentira: homens que fumam maconha têm mais espermatozóides e níveis mais altos de testosterona.

Depois que a Organização Mundial de Saúde enviou uma recomendação aos governos para eliminar a cannabis da lista IV da Convenção Única sobre Drogas Narcóticas, agora de acordo com os especialistas da Universidade de Harvard, a exposição a um baixo nível de cannabis poderia de alguma forma promover a produção de espermatozóides, melhorando a fertilidade de um homem.

Portanto, a maconha não comprometeria a saúde reprodutiva masculina, como se pensava até agora, mas ao contrário, poderia até mesmo melhorá-la.

Os resultados vêm da prestigiada Escola de Saúde Pública “T. H. Chan” da Universidade de Harvard, que colaborou com colegas de alguns departamentos da Universidade de Boston e do Hospital Geral de Massachusetts.

O estudo

Entre 2000 e 2017, os pesquisadores coletaram mais de 1.100 amostras de sêmen de 662 homens com uma idade média de 36 anos, todos em uma condição de fertilidade reduzida, e de cerca de metade deles também foram colhidas amostras de sangue para uma avaliação das concentrações de hormônios sexuais.

Todos receberam questionários que também continham perguntas sobre o uso da cannabis. As estatísticas mostraram que 55% deles relataram ter fumado maconha em algum momento da vida. Destes, 44% disseram que ter sido fumantes de maconha e 11% se classificaram como fumantes atuais. Cruzando todos os dados, demonstrou-se que os fumantes de maconha (atual e passado), em média, tinham 62,7 milhões de espermatozóides por mililitro contra os 45,5 milhões dos não-fumantes. Apenas 5% dos fumantes de maconha tiveram menos de 15 milhões de espermatozóides por mililitro, em comparação com 12% dos não-fumantes. Além disso, notou-se também uma maior concentração de testosterona nos consumidores da erva.

“Nossas descobertas foram contrárias ao que inicialmente supusemos. No entanto, elas são consistentes com duas interpretações diferentes, sendo a primeira que baixos níveis de uso de maconha poderiam beneficiar a produção de espermatozóides devido ao seu efeito sobre o sistema endocanabinóide, que é conhecido por desempenhar um papel na fertilidade, mas esses benefícios se perdem com níveis mais altos do consumo de maconha”, disse Feiby Nassan, principal autor do estudo e pesquisador de pós-doutorado na Harvard Chan School. “Uma interpretação igualmente plausível é que nossas descobertas podem refletir o fato de que homens com níveis mais altos de testosterona são mais propensos a se engajarem em comportamentos arriscados como fumar maconha.”

Portanto, seriam interpretações diferentes que, em qualquer caso, deveriam ser avaliadas com extrema cautela.

Lembrando que a cannabis não é permitida para uso recreativo no Brasil, no entanto, como medicamento segue sendo cada vez mais estudada e aceita (inclusive por aqui, mediante prescrição médica).

O que acharam dessa pesquisa?

Talvez te interesse ler também:

INFERTILIDADE MASCULINA: A POLUIÇÃO COMPROMETE A QUALIDADE DOS ESPERMATOZOIDES

MACONHA: 10 DOENÇAS QUE PODEM SER TRATADAS COM A CANNABIS

CANNABIS: 10 USOS NOS MAIS DIFERENTES SETORES

Sobre Redação GreenMe

Redação GreenMe
greenMe.com.br é um site de informação sobre meio ambiente e saúde, criado para levar ao grande público, a consciência de que um mundo melhor é possível, através de um comportamento respeitoso com todas as formas de vida.

Veja Também

Covid e vacina, milhões de mortes e microchip: será que a profecia do Bill Gates vai se cumprir?

Em 2015, o empresário Bill Gates disse, em uma conferência para o TED em abril, …