Candidíase na menopausa? Por que? O que fazer?

  • atualizado: 
candidíase na menopausa

A candidíase é um problema que afeta muitas mulheres. Mesmo sendo um desequilíbrio que ocorre a mucosa da vagina, a candidíase não é considerada uma DST (doença sexualmente transmissível) pelo fato de ser causada por um fungo que já vive em nosso corpo. Esse fungo, em condições salutares, não se manifesta prejudicando o organismo.

Para ocorrer proliferação dele, precisa haver ambiente favorável. A vagina é mais suscetível a ser afetada por esse fungo, por ser uma área naturalmente quente e úmida.

A candidíase é um desequilíbrio que se dá pelas condições, hábitos e falta de cuidados que acabam desencadeando esse problema.

Conheça os fatores causadores desse problema, como evitá-lo, tratá-lo e assistam o vídeo que explica como a candidíase ocorre na menopausa.

1. O que é candidíase?

É uma infecção genital causada por fungo Candida albicans. Esse fungo pode se alojar no estômago, intestino, pele, boca e vagina. Surge quando a imunidade da pessoa está baixa ou por condições adversas de higiene, saúde e alimentação.

2. Por que ocorre a candidíase na menopausa?

Neste vídeo, Suely Bernardo explica os fatores desencadeantes da candidíase, o motivo de ocorrência na menopausa e os cuidados naturais para amenizar os sintomas dessa infecção.

Suely Bernardo destaca que os distúrbios que ocorrem na menopausa podem desencadear sintomas que favorecem o surgimento da candidíase, tais como:

  • aumento do ph vaginal
  • desequilíbrio da flora microbiana vaginal
  • desequilíbrio hormonal
  • ressecamento vaginal

Ela dá a dica, para minimizar os sintomas incômodos da candidíase, do banho de assento utilizando na água produtos naturais como:

E lembra que os cuidados acima são paliativos e complementares, não substituindo a orientação de um médico para o devido diagnóstico e tratamento.

3. Fatores desencadeantes da candidíase

Condições que podem favorecer o aparecimento da candidíase são:

  • o fungo Candida albicans pode se alojar na mucosa da vagina através do contato sexual provocando a candidíase vaginal.
  • A mulher com candidíase por sua vez pode contaminar outros parceiros que possam vir a ter a doença.
  • A ingestão de antibióticos altera a flora bacteriana da vagina, favorecendo o desenvolvimento desta infecção.
  • O uso de anticoncepcionais aumenta a carga de estrogênio, o que propicia o surgimento da candidíase.
  • A gravidez também pode provocar o aumento do estrogênio, tornando o ambiente vaginal favorável ao surgimento da candidíase.
  • Na menopausa a resistência da mucosa vaginal cai com a diminuição dos hormônios, ficando suscetível ao aparecimento da candidíase.
  • A utilização de corticosteroides provocam a baixa do sistema imunológico, sendo a condição ideal para a candidíase aparecer.
  • Distúrbios endócrinos como o diabetes, devido ao aumento da concentração de açúcar no organismo, pode facilitar o surgimento desta infecção.
  • A ação de sabonetes e desodorantes vaginais podem fragilizar a mucosa vaginal e desencadear lesões ou inflamações na pele, o que contribui para a ação do fungo da candidíase.
  • Quando a higiene da vagina é falha pode ocasionar a disseminação de microrganismos do intestino para a vagina.
  • Roupas Íntimas confeccionadas com material sintético ou calças apertadas intensificam o calor e a umidade na região da vagina, favorecendo o ambiente para o crescimento do fungo Candida albicans.
  • O contágio da Candidíase pode se dar através de roupas íntimas, escovas de dentes, piscinas, privadas e banheiras.

4. Como identificar a Candidíase

  • O corrimento vaginal esbranquiçado, espesso e aderente
  • alteração na secreção vaginal
  • coceira na região da mucosa da vagina
  • vermelhidão, inchaço e sensação de ardência na vulva, podem ser indício de candidíase. Fique alerta!

Ao sentir qualquer um desses sintomas, a pessoa deve procurar um médico, para ter um diagnóstico e orientação do melhor tratamento para o caso.

5. Cuidados para evitar candidíase

Alguns cuidados podem evitar o surgimento da candidíase ou a reincidência, tais como:

  • Use calcinhas de algodão, pois não retêm umidade.
  • Na hora de lavar a parte íntima, a higiene deve ser feita da vulva para o ânus e não ao contrário.
  • Use produtos neutros, sem corantes e perfumes, tais como papel higiênico, sabonetes e absorventes íntimos.
  • Evite compartilhar toalhas e roupas íntimas de outras pessoas
  • Seque bem o corpo, após o banho
  • Evite roupas íntimas de nylon e calças apertadas.
  • Mantenha uma alimentação saudável e alcalina, baseada em alimentos vegetais, pois ambiente ácido é a condição satisfatória para os fungos se proliferarem e desenvolverem.
  • Condições como obesidade, ingestão de muito açúcar, excesso de exercícios físicos intensificam o calor e a umidade da vagina, favorecendo a candidíase.
  • Nao deixe a roupa íntima secando no banheiro.

Temos vários microrganismos em nosso corpo e a convivência com eles pode ser pacífica, se cuidarmos de manter nosso organismo equilibrado e nossa imunidade protegida e preservada.

Por isso a importância de todos os cuidados descritos neste conteúdo.

O melhor remédio é a prevenção!

Talvez te interesse ler também:

CANDIDÍASE: TRATAMENTOS QUE FUNCIONAM E QUE NÃO FUNCIONAM

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!