apneia do sono
apneia do sono

Apneia do sono – tudo que é preciso saber!

Quem nunca ouviu falar sobre apneia ou, àqueles que vivem esse problema, vem este conteúdo trazer informações para se entender as causas, como lidar com essa disfunção e informações de como tratar ou prevenir esse problema, que prejudica a qualidade do sono e a respiração.

A apneia é um distúrbio que desencadeia interrupções da respiração durante o sono, devido ao encolhimento total ou parcial do trato respiratório quando se está dormindo.

Um dos efeitos da apneia é o ronco, provocado pelo não recebimento de ar pelos pulmões, por conta das interrupções provocadas por esse distúrbio.

Outra consequência da apneia é a diminuição dos níveis de oxigênio no sangue.

A apneia é caracterizada por 10 ou 15 suspensões respiratórias durante o sono.

Mesmo a respiração voltando ao normal, o efeito da apneia é prejudicial ao corpo, pois provoca a diminuição de oxigênio no sangue, causando a liberação de hormônios do estresse, toxidade, radicais livres e doenças relacionadas a esses fatores.

Para saber mais sobre esse problema, serão explicados os seguintes tópicos:

{index}

O que é

A apneia do sono é um bloqueio respiratório nas vias aéreas superiores, que estão atrás do nariz e da boca, que causa interrupções respiratórias nos momentos de sono.

Devido à apneia, as vias aéreas durante o sono, encolhem ou se fecham e, dessa forma, os pulmões não recebem ar.

Quando ocorre a diminuição acentuada de oxigênio no organismo, o cérebro envia impulsos nervosos para endurecer o pescoço e os músculos do trato respiratório superior, como uma reação automática das funções vitais do corpo.

A diminuição frequente de oxigênio no sangue pode levar à liberação de adrenalina, a um aumento da frequência cardíaca, ao surgimento de hipertensão e a um quadro de derrame ou infarto do miocárdio.

Tipos de apneia

Apneia Central do Sono

Este tipo de apneia é desencadeada por um desequilíbrio dos centros nervosos que controlam a respiração.

Neste caso, o impulso nervoso que o cérebro deveria enviar para que os músculos respiratórios se movimentem, não acontece.

Esse tipo de apneia pode ser desencadeado por certas doenças neurológicas, tais como: lesões centrais, distrofia muscular e esclerose lateral. Pode ocorrer, também, por causa de insuficiência cardíaca congestiva.

A manifestação mais conhecida de apneia central é a “Síndrome de Ondina” ou síndrome de hipoventilação central congênita.

Apneia do sono obstrutiva

Esse tipo de apneia acontece devido a um bloqueio fisiológico do trato respiratório durante o sono, ocorrendo episódios de fechamento parcial ou completo das vias aéreas superiores, desencadeando interrupção respiratória.

As causas que podem provocar este tipo de apneia estão mais relacionadas com fatores anatômicos das partes que compõem ou se relacionam com as vias respiratórias.

A apneia do sono obstrutiva é o tipo mais comum da doença.

Causas

apneia do sono 2

Fatores de risco ou agravantes da apneia podem ser:

  • obesidade
  • envelhecimento
  • amígdalas aumentadas
  • hereditariedade

As causas principais da apneia são:

  • epistaxe (hemorragia nasal)
  • hipertrofia adeno-tonsilar
  • período pós-menopausa, alterações hormonais que afetam órgãos relacionados com as vias respiratórias
  • alcoolismo
  • sedação por uso de medicamentos que provocam sonolência
  • distúrbios neuromusculares
  • vício do cigarro
  • asma
  • rinite alérgica
  • alterações anatômicas cranio-faciais
  • formas cancerígenas da tireóide
  • síndrome metabólica
  • síndrome de Down ou outras síndromes genéticas

A apneia pode estar associada à doenças crônicas como hipotireoidismo, diabetes, arritmias, insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral e refluxo gastro-esofágico.

Sintomas

Em geral, os principais sintomas da apnéia durante o sono são:

  • ronco
  • acidose respiratória
  • arritmia
  • astenia (fraqueza)
  • boca seca ou garganta
  • fibrilação atrial (frequência cardíaca irregular)
  • insônia
  • cianose (coloração azul-arroxeada da pele, por causa da má circulação do sangue)
  • dor de cabeça
  • dispneia (falta de ar)
  • patina branca na língua
  • língua amarela
  • letargia
  • mioclonia (uma contração breve e involuntária de um músculo)
  • noctúria (precisa parar o sono para levantar-se, várias vezes, para urinar à noite)
  • sonambulismo
  • suores noturnos

Os sintomas que podem se revelar após o sono, durante o dia, se manifestam das seguintes formas:

  • agitação
  • nervosismo
  • dificuldade de concentração
  • falha na memória
  • indisposição
  • falta de energia
  • fadiga
  • dificuldade de concentração
  • dor de cabeça matinal
  • transtornos do humor
  • sonolência diurna excessiva.

Consequências:

A apneia do sono pode desencadear outros problemas, tais como:

  • hipertensão arterial
  • doenças cardiovasculares
  • insuficiência respiratória
  • distúrbios metabólicos
  • diabetes
  • obesidade
  • insuficiência cardíaca
  • batimento cardíaco anormal e arritmias
  • acidentes de trabalho ou na condução de veículos

Tratamentos

Se uma pessoa suspeita que tem apneia, o recomendável é buscar atendimento médico, para um diagnóstico preciso com exames como: polissonografia e poligrafia respiratória.

O tratamento abrange o controle dos fatores de risco e os sintomas de apneia.

Pode ser indicado pelo médico, a aplicação de um aparelho de pressão positiva contínua das vias aéreas ou a aplicação de dispositivos orais ou cirurgia das vias aéreas, caso exista alterações anatômicas ou doença intratável.

Seguem os tratamentos médicos para apneia:

Ventilador de pressão positiva contínua

Esse tratamento consiste no uso de um aparelho com uma máscara que cobre o nariz e a boca, ou apenas o nariz, e estimula a respiração durante o sono.

Aparelhos ortodônticos

Nesse tratamento são utilizados dispositivos de plástico, feitos sob medida, para o tratamento da apneia do sono, com a finalidade de restruturar a mandíbula e a língua, ajudando a manter as vias aéreas abertas durante o sono.

Cirurgia

O procedimento cirúrgico tem por objetivo aumentar as vias aéreas, podendo remover, enrijecer ou encolher o excesso de tecidos da boca ou garganta, ou restrutur a mandíbula.

Estilo de vida

A apneia pode ser minimizada ou até curada, conforme o caso, com a adoção de um estilo de vida saudável, com a prática dos seguintes hábitos:

  • manter a forma com uma alimentação saudável e balanceada
  • abolir o vício do cigarro ou do álcool
  • evitar o uso de medicamentos que causem sonolência, por terem como efeito colateral causar o fechamento da garganta durante o sono
  • dormir de lado, ao invés de costas (decúbito dorsal)
  • atividades como Yoga e meditação contribuem para equilibrar a respiração, oxigenar o sangue e relaxar o corpo

A intensidade e frequência dos sintomas da apneia indicam o grau de gravidade dessa doença, por isso, a pessoa precisa ter certos cuidados, para não agravar esse distúrbio, transformando um problema em muitos outros.

Cuide-se!

Leia mais:

PARA TER UM SONO BOM → POSIÇÕES, TRAVESSEIROS E OUTRAS DICAS

INSÔNIA? CONHEÇA AQUI ERVAS QUE VÃO TE AJUDAR A DORMIR MELHOR

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

Covid e vacina, milhões de mortes e microchip: será que a profecia do Bill Gates vai se cumprir?

Em 2015, o empresário Bill Gates disse, em uma conferência para o TED em abril, …