Hiperemese gravídica: causas, tratamentos e formas de lidar com esse distúrbio

  • atualizado: 
Hiperemese gravídica

Na gravidez é comum ocorrerem os enjoos, mas em algumas mulheres esse problemas acontecem de forma intensa, provocando muito mal-estar e fraqueza. Nesta matéria, vamos entender como ocorre a hiperemese gravídica e como lidar com esse distúrbio que incide na gravidez.

1. O que é hiperemese gravídica

A hiperemese gravídica é uma reação acentuada do organismo às mudanças orgânicas, metabólicas e hormonais que ocorrem na mulher durante a gravidez.

Uma dessas alterações é o aumento da gonadotrofina coriônica que estimula os ovários a produzirem estrogênio, o hormônio causador dos enjoos. Esse distúrbio acomete entre 0,3 e 2% das grávidas.

Esse problema é caracterizado principalmente pela manifestação de fortes e contínuos enjoos e vômitos, que deixam a grávida enfraquecida e sem disposição, podendo até ocorrer frequentes desmaios. Por conta das náuseas e dos excessivos vômitos, a grávida não se alimenta direito, o que leva à perda de peso e desidratação, requerendo cuidados contínuos e acompanhamento médico.

2. Causas

Entre os fatores que podem desencadear a hiperemese gravídica estão:

  • primeira gravidez;
  • gravidez de gêmeos;
  • obesidade;
  • histórico na família;
  • doença trofoblástica gestacional;
  • deficiência alimentares;
  • problemas hormonais;
  • altos níveis sanguíneos de beta HCG ( gonadotrofina coriônica), que estimulam s ovários a produzirem estrogênio, hormônio causador de enjoo;
  • deficiência de vitamina B.

3. Quando começa e quando termina

A náusea é um dos primeiros sintomas da gravidez, que pode ocorrer já no primeiro mês da gestação. No caso da hiperemese gravídica também, a náusea e os enjoos dão suas caras neste período mas devem começar a melhorar por volta do 4° mês. Na maioria dos casos, na metade da gestação, este distúrbio já deve ter passado, embora haja casos em que as náuseas e os vômitos persistem até o final da gravidez.

O que diferencia a náusea normal da hiperemese gravídica é a intensidade dos sintomas.

4. Diferenças entre náusea e vômito comuns na gravidez, e os que ocorrem na hiperemese gravídica

A diferença entre a náusea e o vômito que ocorrem de forma comum nas mulheres grávidas, para os que caracterizam a hiperemese gravídica é a intensidade e a quantidade. A náusea e o vômito desencadeados na hiperemese gravídica incidem de forma excessiva durante a gravidez, ocorrem várias vezes por dia, sempre ou quase sempre que se come alguma coisa e acaba fazendo com que este doce período da vida de uma mulher, se torne invalidante, ou seja, a grávida não consegue fazer mais nada além de vomitar e de se sentir mal.

Isso obviamente acaba por se tornar um problema. A mulher grávida emagrece porque nada do que ela faz adianta para que a situação melhore.

Esse quadro de hiperemese gravídica provoca vários desequilíbrios na grávida, tais como:

  • desidratação;
  • perda de mais de 5% do peso;
  • diminuição de potássio no organismo;
  • surgimentos de corpos cetônicos na urina;
  • desmaios;
  • fraqueza;
  • falta de apetite;
  • aumento da densidade urinária.

Outra causas de náuseas e vômitos na gravidez, que não têm relação com a hiperemese gravídica, são: infeções do trato urinário e hipertiroidismo

5. Tratamentos

O tratamento para hiperemese gravídica envolve cuidados específicos durante a gravidez, tais como:

  • constante alimentação, hidratação e repouso;
  • terapia de reidratação oral, quando for necessário;
  • suplementação ou uma dieta rica em tiamina e proteína, conforme o estado nutricional da grávida e prescrição médica;
  • soro por via intravenosa, em situação que ocorra desidratação.
  • em casos sérios, medicações conforme diagnóstico e indicação do médico;
  • quando os sintomas persistem e continuam intensos, se faz necessária a internação hospitalar, para melhorar o quadro clínico da grávida.

6. Como lidar com o problema

Alguns cuidados e hábitos contribuem para a grávida lidar e se recuperar da hiperemese gravídica:

  • Beber líquidos, várias vezes ao dia, em pequenas quantidades, devido ao enjoo.
  • Se alimentar, de forma fracionada e em pequenas quantidades com intervalos curtos entre as refeições, à cada duas ou três horas
  • Não ficar com o estômago vazio, fazer lanches leves entre as refeições.
  • Ao acordar e antes de levantar da cama, comer um biscoito água e sal.
  • Abolir da alimentação frituras, alimentos gordurosos, condimentados ou picantes.
  • Fazer repousos, principalmente, nos momentos de enjoo.
  • Tomar suplementos de vitaminas B1(tiamina) e B6 (piridoxina), para isso, consultar o médico, antes
  • Ingerir alimentos, chás e sucos à base de gengibre, hortelã ou limão, pois ajudam a diminuir náuseas e vômitos, mas consumir com moderação, para não provocar outros tipos de distúrbios.

A gravidez traz muitas mudanças para a mulher e quando vem acompanhada de hiperemese gravídica exige, ainda mais atenção, cuidados e adaptação, para lidar com essa fase.

Ao término da gestação, todo sofrimento vivido durante a gravidez é minimizado pela alegria da chegada de um novo ser.

Sobre gravidez, talvez te interesse ler também:

TONTURA NA GRAVIDEZ MÊS A MÊS – QUANDO SE PREOCUPAR

QUANDO A RELAÇÃO TERMINA E VOCÊ ESTÁ GRÁVIDA

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!