Varizes: causas, sintomas e tratamentos

  • atualizado: 
Varizes

Avanço tecnológico e outros fatores mudaram o estilo de vida humano que, hoje, é marcado pelo sedentarismo. Bem por isso muitas pessoas são acometidas por problemas circulatórios e nas veias. Um destes problemas são as varizes, principalmente, nas pernas. As varizes nas pernas comprometem a qualidade de vida daqueles que sofrem com esse problemas, devido à dor e aos incômodos que ela provoca, limitando os movimentos e causando indisposição. Neste conteúdo vamos saber suas causas e efeitos, como evitá-las e tratá-las.

1. O que são varizes

varizes 1

Varizes são alterações nas veias marcadas por dilatação ou entupimento delas. As causas das varizes estão relacionadas com danos provocados no sistema venoso superficial.

As consequências graves geradas pela formação das varizes estão atreladas à insuficiência venosa profunda secundária. As varizes podem agravar e desencadear mais problemas circulatórios, tais como: flebotrombose (tromboflebite) ou varicose reticular (derrame).

2. Tipos de varizes

Existem dois tipos de varizes:

2.1. Varizes primárias

O aparecimento das varizes primárias, geralmente, tem ligação com tendência hereditária e são visíveis através da pele, na forma de linhas vermelhas ou azuis ou veias azuladas proeminentes, são mais simples de tratar, por não apresentarem sintomas e complicações graves.

2.2. Varizes secundárias

Estas surgem,em geral, em decorrência, de doenças adquiridas ao longo da existência, e afetam as veias internas do corpo, geralmente manifestando, externamente, sintomas como vermelhidão e espessamento da pele. O comprometimento da veia afetada, determinará o seu grau de gravidade e o surgimento de outros problemas de saúde, que veremos mais adiante.

Existe uma classificação científica padrão para os tipos de varizes que foram citadas (primárias e secundárias): o Sistema de Classificação de Doenças Venosas Crônicas (CEAP) foi criado por um Comitê Internacional no Fórum Venoso Americano em 1994, para propiciar um melhor diagnóstico médico dos vários problemas de varizes que acometem os pacientes. Esse sistema se tornou padrão para a classificação de doenças venosas crônicas.

Os princípios da classificação CEAP levam em conta os seguintes aspectos:

  • descrição da classe clínica (C) baseada em sinais objetivos;
  • a etiologia (E);
  • a distribuição anatômica (A) do refluxo e a obstrução nas veias superficiais, profundas e perfurantes;
  • a patofisiologia (P) seja devido ao refluxo ou à obstrução.

São sete as categorias clínicas reconhecidas, como segue abaixo:

2.3. Classificação Clínica - CEAP de insuficiência venosa crônica

  • C0 Sem sinais de doenças venosas sensíveis ou palpáveis
  • C1 Telangiectasias e veias reticulares
  • C2 Veias varicosas
  • C3 Edema
  • C4a Pigmentação ocre ou eczema
  • C4b Lipodermatoesclerose ou atrofia branca
  • C5 Úlcera venosa cicatrizada
  • C6 Úlcera venosa aberta

S = Sintomático: inclui dor, desconforto, sensação de aperto, irritação da pele, sensação de peso, e cãibras musculares e outras queixas relacionadas com a disfunção venosa

A = Assintomática: sem sintomas.

2.4. Classificação Etiológica, Classificação Anatômica e Patofisiologia

Ec: congênita As: veias superficiais Pr: refluxo

Ep: primária Ap: veias perfurantes Po: obstrução

Es: secundária Ad: veias profundas Pr,o: refluxo e obstrução

En: sem causa venosa identificada An: sem localização venosa identificada Pn: sem patofisiologia venosa identificável

No Brasil, a Clínica Naturale, desenvolveu uma nova Classificação Clínica, definida como Classificação Estético Funcional ou "Classificação de Francischelli".

Visando definir o melhor tratamento, esta classificação divide os pacientes portadores de varizes em 4 Tipos ou Grupos de Insuficiência Venosa, que são os seguintes:

2.5. Tipo 1 ou IVIPE - Insuficiência Venosa de Importância Predominantemente Estética

São caracterizadas pela presença de varizes pequenas, denominadas cientificamente de telangiectasias (vasinhos), e veias reticulares (microvarizes). Podem acometer membros, como: a coxa, a perna, o glúteo e, em alguns casos, até a região das costas. As veias reticulares (microvarizes) são maiores, e se apresentam como trajetos longos, azulados, sob a pele. Estas pequenas veias não causam riscos sérios, de imediato, mas por ser um problema estético atinge mais a auto-estima do paciente. A longo prazo, alguns casos das varizes Tipo I, podem se tornar problemas sérios e graves.

2.6. Tipo 2 - IVIFE - Insuficiência Venosa Funcional e Estética

Este tipo de insuficiência venosa é marcada pela a presença de veias de médio e grande calibre. É uma doença que, além de envolver a estética, provoca riscos e problemas sérios de saúde para o paciente. Para o tratamento do Tipo II, é necessário tratar a doença (funcional) e cuidar da aparência ( a estética).

2.7. Tipo 3 - IVFA - Insuficiência Venosa Funcional Assintomática

Corresponde à todas as situações que apresentem varizes, sem o problema da questão estética e complicações mais sérias de saúde. O tratamento, neste caso, será mais voltado para as questões funcionais (causas e sintomas) da doença venosa.

2.8. Tipo 4 ou IVFS - Insuficiência Venosa Funcional Sintomática

Esta situação envolve todos os casos onde existam varizes com complicações graves de saúde, deixando de lado a questão estética. As complicações, deste tipo de Insuficiência Venosa, podem ser:

  • Tromboflebites;
  • Úlceras varicosas;
  • Hiperpigmentações;
  • Eczema Venoso;
  • Hemorragias;
  • Fibrose;
  • Dermatite Ocre;
  • Infecções;
  • quadro de Dor;
  • Embolia de Pulmão.

Este tipo de varizes, geralmente, ocorre em pacientes, nos quais o problema perdura há tempo, sem tratamento,e em decorrência deste fator, apresentam complicações graves e, até, fatais, conforme o caso. Neste caso, o médico precisa focar mais na complicação da doença, que pode causar sérios danos ao paciente.

2.9. Observação

Varizes não tratadas podem evoluir e mudar de Tipo, aumentando o grau de gravidade. Existem casos, que a solução requer cirurgia, isto veremos mais adiante, neste conteúdo.

3. Varizes: causas e sintomas

São várias as causas que podem levar ao aparecimento das varizes, mas a principal delas é a genética.

Além deste fator, outros como:

  • vida sedentária,
  • uso de hormônios,
  • excesso de peso,
  • trabalhar muitas horas em pé ou sentada,
  • fatores hormonais como durante a gravidez,
  • e idade avançada

representam causas ou fatores de risco para o aparecimento das veias alteradas. Varizes também podem, no entanto, representar sinais de algumas doenças ou problemas de circulação como coágulos de sangue, bloqueio nas veias, veias ou vasos danificados ou anormais e até tumores.

Como vimos, as causas e também as consequências das varizes são várias, desde problemas estéticos até doenças mais graves. Veremos, agora os sintomas gerais desencadeados pelas varizes:

  • dor;
  • sensação de peso ou tensão;
  • prurido e ardor;
  • aumento da pressão venosa;
  • pode ocorrer em situações mais graves, edema da região afetada.
  • outro sintoma sério é a reação inflamatória com endurecimento cutâneo e do tecido celular sub-cutâneo (lesão pré-ulcerosa);

3.1. Observação

O tratamento da úlcera varicosa requer drenagem da parte afetada. Os vários tratamentos que existem para problemas de varizes veremos a seguir.

4. Tratamentos médicos das varizes

varizes 3

Existem várias técnicas de tratamento para varizes dependendo do grau de complicação deste problema.

Alguns destes tratamentos são:

4.1. Tratamento de varizes com espuma

Este tratamento é um procedimento não cirúrgico. Consiste em aplicar, no interior da veia, um medicamento com a consistência de espuma. Este medicamento com a consistência de espuma, adere às paredes das veias, promovendo o fechamento delas. Esse tratamento não requer anestesia e tem baixo risco de infeção.

4.2. Tratamento à laser-EVLT, Endovenous Laser Treatment

Esta técnica não é tão invasiva, pois as veias não são retiradas e trata desde as veias menores, mais finas, até as veias mais grossas. Nesse tratamento é introduzido dentro da veia uma fibra ótica, fina que, ligada ao laser, fecha a veia doente. Este tratamento requer anestesia local e sedação.

4.3. Radiofrequência

É um procedimento cirúrgico que consiste em introduzir um cateter dentro da veia, utilizando aradiofrequência para emitir calor, com a finalidade de fechá-la. É necessário repouso de 7 dias para recuperação e cicatrização, após esse procedimento.

4.4. Cirurgia de remoção da veia de safena

Para solucionar casos de varizes maiores ou mais profundas, tem a cirurgia de remoção da veia de safena. Esta técnica visa a eliminação da safena interna e dos segmentos venosos dilatados. Este procedimento consiste em efetuar um corte na perna e retirar (ablação) a veia de safena interna, que está comprometida e não funciona bem. Essa técnica é a mais evasiva do que as outras.

É fundamental controle e cuidados permanentes, com acompanhamento médico, para evitar reincidência do problema.

IMPORTANTE

Para evitar que as varizes cheguem ao ponto de que a única alternativa seja a cirurgia, existem os cuidados, as atitudes preventivas, os tratamentos naturais e os remédios caseiros. É o que veremos mais adiante.

5. Tratamentos naturais

Existem formas naturais de tratar o problema de varizes, seguem algumas delas:

Mirtilo: este fruto possui propriedades anti-hemorrágicas e vasodilatadoras e, por isso, estimula a circulação sanguínea.Basta consumi-lo cru ou tomar seu suco.

Aloe vera (babosa): a babosa tem propriedades cicatrizante, adstringente e hidratante e para tratar varizes se utiliza o gel de sua folha, espalhando-o na parte afetada.

Outra forma de tratamento é fazer uma mistura de aloe vera com algumas colheres de sopa de cenoura ralada e vinagre de maçã e aplicar como uma pomada, na parte afetada, deixando agir por 20 minutos.

Cavalinha: esta erva melhora a circulação sanguínea e, consequentemente, previne e reduz as varizes. A cavalinha é planta medicinal de uso antigo e a sua utilização é na forma de chá, é contra-indicada para mulheres grávidas ou pessoas com problemas cardíacos ou tromboflebite.

Calêndula: esta planta é cicatrizante e tem propriedade regeneradora, ajudando na saúde das veias. A infusão desta flor restaura o tecido lesado, diminui o inchaço das pernas e alivia a dor. Para isso, tritura-se algumas flores de calêndula e acrescenta-se um pouco de água, fazendo uma pasta. Aplica-se esta pasta, todas as noites, na área afetada antes de dormir. Não enxaguar.

Cipreste: a casca desta árvore tem propriedade cicatrizante tratando várias doenças do sistema circulatório. Para tratar das veias varicosas, se utiliza 2 colheres de sopa de folhas e casca da árvore (20 g) em 1 litro de água fervida. Coloca-se as folhas em decoção por 10 minutos. Coa-se e, quando esfriar, toma-se este chá na dose de 7 colheres de sopa, por dia. Pode-se usar esse remédio de forma tópica, embebendo algodão com o chá e espalhando pela área afetada.

Castanha da Índia: um dos remédios caseiros mais usados e conhecidos para varizes é a castanha da índia. Esta planta estimula a circulação do sangue e restaura a função das veias e das suas respectivas válvulas. Para fazer uso da castanha da índia, se utiliza 5 colheres de sopa de casca de castanha da índia (50 gr.) em um litro de água fervida, deixando em infusão por 10 minutos. Coa-se este chá, deixando-o esfriar antes de tomar. Beber esse preparado de manhã e de noite, todos os dias, até melhorar.

Alho: este ingrediente contém compostos sulfurosos com propriedades anti-inflamatória e anticoagulante. Para usufruir do efeitos benéficos do alho no tratamento das varizes, é só comer um dente de alho cru, em jejum, com um pouco de suco de limão ou em água quente.

Observação: atenção às contraindicações do alho, especialmente à ingestão de alho cru por pessoas com dispepsia e problemas digestivos. Outra forma de uso é fazer uma pasta de alho, adicionando um pouco de azeite de oliva e massagear as áreas afetadas pelas varizes.

Argila verde: a argila verde tem propriedades revigorante e anti-inflamatória e, em forma de compressa, alivia o desconforto das varizes. Para isso, basta fazer uma pasta com argila umedecida com um pouco de água morna e, em seguida, aplicar sobre as áreas afetadas.Deixar secar bem, durante 30 minutos e enxáguar com água morna. Fazer este procedimento, pelo menos, três vezes por semana.

Infusão de salsinha: as propriedades diuréticas e anti-inflamatórias da salsinha servem para o tratamento das varizes e para problemas circulatórios. A salsinha auxilia na eliminação da retenção de líquidos nos tecidos e, ao mesmo tempo, estimula a circulação. Para este fim, se faz um preparo de um litro de infusão de salsinha. É aconselhável beber, esse preparado, de três à quatro porções ao dia. Pode-se também aplicar o líquido sobre as pernas e massagear até ser bem absorvido pela pele.

Borra de café: a borra do café tem ação anti-inflamatória e estimulante, promovendo a boa circulação do sangue e diminuindo as veias dilatadas. Ajuda à eliminar células mortas da pele, melhora a elasticidade das veias e previne o envelhecimento precoce. Para aproveitar os benefícios dessa opção natural de tratamento, faz-se uma pasta adicionando água ou azeite à borra do café. Em seguida se aplica esta pasta nas áreas afetadas, com suaves massagens circulares.Deixa-se o preparado agir por 15 minutos e, em seguida, enxágua-se. Realizar esse procedimento de duas à três vezes por semana.

Neste vídeo do Canal Naturais-Cura Natural tem mais uma dica para tratar varizes, confiram!

6. Prevenção: como evitar varizes

Existem várias maneiras de evitar as varizes. Vejamos algumas delas:

6.1. Atividades físicas moderadas

Andar de bicicleta, exercícios aeróbicos, caminhada e yoga.

Vida sedentária é fator causador de má circulação e varizes.

6.2. Manter a boa forma com alimentação balanceada e saudável:

Excesso de peso e alimentação pobre de nutrientes saudáveis pode desencadear varizes.

Alimentos ricos em proteína e vitamina C propiciam ao organismo componentes para formação do colágeno, Os tecidos das veias e artérias necessitam do colágeno para sua boa constituição e formação.

Uma alimentação saudável consiste em consumir, diariamente, frutas, verduras e grãos.

6.3. Não ficar muito tempo em uma posição só

Alternar os movimentos e não ficar, muito tempo, em uma só posição contribui para que o sangue flua e circule melhor pelo corpo.

Uma posição que ajuda o sangue circular é deitar com as pernas para cima. É uma maneira de facilitar a circulação do sangue dos pés e tornozelos até o coração. Para quem tem varizes é uma posição que alivia a dor nas pernas e o inchaço. O descanso nesta posição pode ser feito deitando o corpo em um sofá e apoiando os pés no braço dele ou colocar as pernas sob três ou quatro travesseiros ou, ainda, deitar no chão e apoiar os pés no assento de uma cadeira.

Elevar as pernas, intercalando com as atividades do dia a dia, sempre que possível, é benéfico para a circulação sanguínea e saúde das veias.

ALERTA: Posições que aumentam a probabilidade de surgimento de varizes

  • Permanecermos sentados por muito tempo.
  • Sentar e ficar, por longo período, com as pernas cruzadas, pois retarda a circulação das pernas até o coração.
  • Ficar muito tempo com os joelhos flexionados dificulta e bloqueia a circulação.
  • Em viagens longas, para evitarmos esse tipo de problema é recomendável levantarmos e esticarmos as pernas, de vez em vez.

6.4. Usar roupas e calçados confortáveis

Em vez de vestuários apertados, que restringem o fluxo sanguíneo no corpo, é mais indicado o uso de roupas e calçados confortáveis.

À nível terapêutico, para prevenção do aumento de vasinhos ou caso crônicos de varizes existem no mercado meias de compressão que ajudam a circulação sanguínea das pernas.

Para saber o tipo de meia de compreensão mais indicada para determinado tipo de varizes é necessário consultar um especialista vascular.

6.5. Anticoncepcionais

Ter cautela e acompanhamento médico com o uso de anticoncepcionais que provocam varizes. Os anticoncepcionais, em geral, por conterem estrogênio ou progesterona, provocam a dilatação das veias. Os hormônios enfraquecem a parede dos vasos sanguíneos, favorecendo a formação das varizes. É recomendável para a mulher que tem varizes, e faz uso de anticoncepcional, consultar um ginecologista, para encontrar métodos substitutivos ou anticoncepcionais apropriados, que não provoquem danos às veias.

6.6. Quem fuma parar com o vício do cigarro

A nicotina, presente no cigarro, prejudica a circulação sanguínea devido porque acentua a viscosidade do sangue. O sangue mais viscoso tende a se acumular nas veias provocando o entupimento delas, formando, assim, as varizes. Para os fumantes, a melhor forma de prevenir ter varizes ou evitar de piorar o quadro de quem já tem esse problema é parar de fumar.

6.7. Ter uma alimentação rica em antioxidantes

Para termos veias saudáveis é importante ter uma alimentação composta por nutrientes como a vitamina C e os flavonoides, indispensáveis para a formação e proteção das veias e artérias.

Vejam alguns alimentos que ajudam a prevenir as varizes:

  • Abacate: pois contém vitaminas C e E e a glutationa promove a saúde das veias.
  • Trigo Sarraceno: esse alimento composto por rutina, um flavonoide que fortalece a parede dos vasos sanguíneos e prevenindo o surgimento das varizes.
  • Mirtilo: conhecido como blueberry esse frutinho de cor azulada tem grande quantidade de antocianinas, um flavonoide (antioxidante) que evita que os radiciais livres prejudiquem a saúde dos vasos sanguíneos.
  • Alecrim: essa erva estimula a circulação e é fonte de ácido rosmarínico e o ácido ursólico, nutrientes cuja ação conjunta protegem e fortalecem as veias, artérias e vasos capilares sanguíneos.
  • Beterraba: essa raiz contém betacianina, um antioxidante que reduz os níveis de homocisteína, um aminoácido que pode degenerar a parede dos vasos sanguíneos.
  • Gengibre: a raiz do gengibre ajuda a dissolver a fibrina, uma proteína, que quando não bem dissolvida pelo organismo, provoca a coagulação do sangue e como consequência desencadeia as varizes

7. Varizes: quando é necessário operar?

Em casos que a pessoa negligencia as varizes, complicando o quadro e desencadeando outras doenças mais graves e que as outras formas de tratamento não podem erradicar o problema,então, os médicos recomendam a cirurgia.

A cirurgia fecha os pontos de refluxo e retira as veias superficiais dilatadas.

Existem três indicações para o procedimento:

  1. estética, para eliminar o problema e evitar a piora do quadro;
  2. funcional, quando as veias estão dilatadas, desencadeando vários sintomas e incômodos;
  3. urgente, com quadro de flebite (inflamação) da safena magna na coxa e progressão para a crossa da safena (região da virilha) com o risco de embolia pulmonar.

Pela classificação clínica para as doenças venosas crônicas (CEAP), são indicados para tratamento cirúrgico os portadores de varizes de CEAP 2, 3, 4 e 5.

Nível 2: casos de varizes com mais de 4 milímetros de diâmetro.

Nível 3: varizes com mais de 4 mm em conjunto com o problema de edemas.

Nível 4: quadro de varizes agravado pela ocorrência de pigmentação

e eczema.

Nível 5: surgimento de úlcera varicosa.

Casos isentos de intervenção cirúrgica:

Os "microvasinhos" (telangiectasias), que afetam oito em cada 10 mulheres, são vasos de fino calibre, superficiais, intradérmicos e dilatados, podem ser tratados e eliminados com sessões de escleroterapia.

O tratamento de escleroterapia consiste em injetar líquidos que, em geral,é uma solução viscosa de glicose à 75%, que resulta no desaparecimento dos vasinhos.

Vale salientar, que após a eliminação dos vasinhos, será necessário o controle e os cuidados necessários para evitar o reaparecimento deles.

8. Não existe fórmula mágica e, sim, prevenção e cuidado

A tudo que foi dito,vale reforçar e acrescentar que os cuidados profiláticos para termos um sistema circulatório saudável consistem em:

  • alimentação saudável - rica em antioxidantes
  • hidratação - bebendo, no mínimo 2 litros de água, por dia;
  • atividade física equilibrada - movimento, caminhadas ou exercício moderados;
  • oxigenação- respirar com calma, pois, na correira da vida moderna, nem respiramos direito.

Esses cuidados contribuem para que tenhamos uma boa circulação, sangue limpo e oxigenado, veias e artérias saudáveis.

A prevenção e o cuidado são os melhores remédios!

9. Consulte um médico

As informações aqui contidas absolutamente não substituem a visita médica. Consulte um especialista para averiguar o teu caso em particular, e para te aconselhar o melhor tratamento para você em especial! Cuide-se!

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!