Dietas famosas e muito perigosas

  • atualizado: 
dieta

Muitas pessoas querem emagrecer a qualquer custo. Mas, às vezes, esse custo é muito alto, colocando a própria vida em risco. Algumas revistas e sites se aproveitam do desespero de muitas pessoas que querem emagrecer e usam as celebridades como exemplo para as "dietas bem-sucedidas que funcionam". Mas é preciso ter bastante cuidado na hora de querer seguir essas dietas milagrosas.

Sem falar que tais dietas que se apresentam como tendências de moda ficam em alta por um tempo limitado, justamente porque elas não são nada saudáveis.

Com o intuito de analisar as dietas das famosas, a Associação Britânica de Nutrição (BDA, na sigla em inglês), que é formada por especialistas em alimentação e nutrição, divulgou uma avaliação sobre os riscos para quem as segue.

Confira, a seguir, qual foi a avaliação feita de cada uma delas, segundo divulgado pela BBC.

1. Clean Diet

"Clean", do inglês, significa "limpo". Logo, essa seria uma dieta promotora de uma limpeza no organismo. Dentre as celebridades que seguem essa dieta estão a atriz Jessica Alba e a modelo Miranda Kerr.

A ideia dessa dieta é evitar alimentos impuros, como açúcar refinado, não consumir comida industrializada e ingerir produtos em seu estado natural. Algumas versões da dieta excluem glúten, grãos e alimentos derivados do leite.

Contudo, a BDA afirma que ninguém deve evitar certos alimentos, a não ser que tenha alguma alergia ou intolerância a eles. Muitos alimentos são benéficos à saúde, como grãos integrais, frutas e derivados do leite.

2. 'Teatox'

O nome dessa dieta se refere à combinação das palavras "tea" (chá, em inglês) com "detox" (desintoxicar). Essa dieta promete melhorar a pele, reduzir o inchaço e fazer as pessoas perderem peso tomando chás.

Nicki Minaj é uma das famosas adeptas desses chás "milagrosos".

Entretanto, segundo a BDA, esses chás têm grandes quantidades de cafeína, ingredientes diuréticos ou laxantes, os quais não devem ser consumidos por mais de uma semana sem supervisão médica.

A diminuição de peso provocada por essa doença deve-se à perda de líquido, e não somente de gordura.

3. Comprimidos para emagrecer

Parece que algumas celebridades, como Kim Kardashian, usam comprimidos para emagrecer com o intuito de que o corpo não absorva gorduras ou de que o apetite diminua.

A BDA alerta que ninguém deve tomar comprimidos para emagrecer sem consultar um médico ou nutricionista, pois eles podem causar efeitos colaterais muito perigosos.

4. Dieta 6:1

Na dieta 6:1 a pessoa come o que de costume, sem mudanças no cardápio durante seis dias, e não come no sétimo. Ou seja, faz um dia jejum por semana. O perigo dessa dieta é que, ficar em jejum mesmo que por apenas um dia, sem supervisão médica, pode provocar vários problemas, como perda de concentração, cansaço e desânimo. Hoje, muito se fala dos benefícios do jejum, mas somente quando este é feito com acompanhamento médico.

Leia mais: Jejum: 10 bons motivos para fazê-lo de vez em quando

5. Sucos verdes

Suco verde é saudável, já que são feitos com verduras e frutas. As atrizes Gwyneth Paltrow e Blake Lively são muito adeptas deles.

Os seus benefícios são a desintoxicação, o rejuvenescimento e a perda de peso. Mas a BDA afirma que esses sucos não são necessários se você já tiver uma alimentação saudável.

Há pessoas que acrescentam a eles alimentos calóricos, como nozes e óleo de coco, fazendo com que um copo de suco verde acabe virando uma bomba calórica de 400 calorias.

Estas dietas não funcionam mesmo?

A recomendação dos especialistas britânicos é que se deve consumir cinco porções de frutas e verduras por dia, buscando escolhê-las pela gama diversa de cores para garantir a ingestão de vitaminas, nutrientes e fibras.

Deve-se incluir no cardápio comidas ricas em amido, como cereais, batatas, arroz, aveia e massas integrais.

O consumo de carnes magras e peixes, pelo menos duas vezes por semana, também é sugerido pela BDA.

Além disso, alimentos derivados do leite e com baixo teor de gordura, iogurtes e queijos frescos, por exemplo, também são recomendados pela Associação, podendo ser consumidos em até três porções diárias.

Mudança de hábitos

Logo, para ser saudável e emagrecer, como consequência, não há segredo nem milagres. Você deve adotar uma alimentação equilibrada e que privilegie uma variedade de alimentos saudáveis em quantidades adequadas. E, claro, comer bem aliado à prática de exercícios físicos vai potencializar o objetivo de perder peso e ter uma vida mais saudável.

Confira aqui o relatório da BDA (em inglês).

Especialmente indicado para você:

DIETA DUKAN: COMO FUNCIONA E O QUE COMER NAS 4 FASES

DIETAS RESTRITIVAS FAZEM MAL À SAÚDE