Use protetor solar: o alerta de Wolverine contra o câncer de pele‏

Hugh Jackman

O ator Hugh Jackman, conhecido pela sua interpretação da personagem Wolverine, fez um apelo para o uso do protetor solar após ter feito a segunda cirurgia para a retirada de um carcinoma, o tipo mais comum de câncer de pele, que, geralmente, desenvolve-se nas partes do corpo mais expostas ao sol, tais como rosto, ombro, pescoço, braços.

No verão, devido à força do sol e ao calor excessivo, muitas pessoas capricham no uso de protetor solar. Outras, no entanto, se descuidam da pele. No Brasil, onde o sol aparece grande parte do ano, mesmo em outras estações, é indispensável o uso do protetor solar.

O que é o câncer de pele?

O câncer de pele é o tipo de câncer que mais mata no Brasil. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima, para 2016, 181.430 novos casos de câncer de pele no país.

O câncer de pele se apresenta sob duas formas: o melanoma e o não melanoma. Os primeiros, que são carcinomas basocelulares e espinocelulares, são os mais comuns.

A epiderme é a camada mais fina da pele, que tem três camadas: a superior, formada por células chamadas queratinócitos, a média e a mais interna, formada pelas chamadas células basais. Estas dão origem a células que produzem queratina, funcionando como impermeabilizadoras da pele, e, também, aos melanócitos, células que produzem a melanina, o pigmento que dá cor à pele e cuja função é proteger as camadas mais profundas da pele contra os efeitos nocivos da radiação solar.

O maior fator de risco para os dois tipos de câncer de pele é a exposição excessiva à radiação solar. Por isso, é fundamental proteger-se do sol com o uso de protetor solar e procurar um médico em casos de surgimentos de manchas ou sinais de pele.

Sintomas e quando procurar um médico

Lesões cancerizáveis da pele

A maioria dos tumores de pele são benignos e dificilmente se transformam em um câncer. Mas qualquer mancha que apareça na pele pode ser um sinal de que algo está errado em sua pele e, por isso, você deve procurar um especialista.

Queratose actínica

São lesões pré-cancerosas provocadas pelo efeito cumulativo da exposição aos raios ultravioleta. Surgem pequenas lesões ásperas, avermelhadas ou cor da pele no rosto, orelhas, dorso da mão, braços e até na cabeça de homens calvos. É mais comum em pessoas de meia-idade e pele clara.

Carcinoma espinocelular in situ ou doença de Bowen

É o estágio inicial do câncer de pele de células escamosas. O câncer ainda está restrito ao local onde se originou e se caracteriza pelo aparecimento de manchas rosadas na pele, também provocadas pela exposição ao sol. A cirurgia é o tratamento de escolha, porém a radioterapia, crioterapia e quimioterapia também são usadas no tratamento.

Leucoplasia oral

É caracterizada por mancha ou placa branca localizada na mucosa oral ou língua. As lesões são desencadeadas por trauma mecânico (próteses dentárias) ou trauma químico (fumo). O tratamento consiste no afastamento do mecanismo de trauma, seja ele mecânico ou químico, e avaliação periódica. Cirurgicamente, podem ser realizadas biópsia excisional para lesões pequenas e a crioterapia ou eletrocoagulação para lesões maiores.

Carcinoma in situ da mucosa oral

O diagnóstico histológico é obrigatório. No tratamento cirúrgico das formas localizadas, pode-se utilizar a crioterapia ou curetagem e eletrocoagulação. O uso do etretinato sistêmico também é realizado com boas respostas.

Queratoacantoma

Assemelha-se ao carcinoma espinocelular. Localiza-se, geralmente, em áreas descobertas como rosto, antebraço, dorso das mãos e pescoço. A exérese total da lesão é importante para o diagnóstico e o exame histopatológico é de praxe.

Leia também:

TOMAR SOL É MAIS PERIGOSO DO QUE SE PENSAVA

MANCHAS NA PELE: 10 TRUQUES E REMÉDIOS NATURAIS

Fonte foto: savethestorks.com