Comprar compulsivamente: causas, sintomas e remédios

Comprar compulsivamente

Você acha que sofre de compras compulsivas? Olha que metade dos brasileiros compram por impulso. Talvez você tenha notado haver uma certa tendência para fazer compras inúteis e acumular roupas, sapatos e objetos de vários tipos, comprados por uma inexplicável compulsão.

Racionalmente você percebe como tais compras podem ser desnecessárias ou excessivas, mas a sua mente não consegue reagir, controlar e frear na hora do shopping. Se você se identificou com esta descrição, talvez suas compras sejam mesmo motivadas por um impulso que pode te prejudicar inclusive em termos de desenvolvimento social, econômico, profissional e relacional.

As compras compulsivas não são reconhecidas como um transtorno pela American Psychiatric Association (APA). Fala-se sobre a Síndrome da Compra Compulsiva, um distúrbio do controle do impulso que leva ao desejo compulsivo de comprar, e da dependência de compras (“oniomania”).

Causas da oniomania

As compras compulsivas fazem parte dos transtornos de controle dos impulsos. Ocorre geralmente em pessoas jovens que atingiram recentemente a independência econômica.

Comprar compulsivamente pode estar relacionado com o desejo de preencher um vazio emocional, tentando intervir nesta “falta”, comprando objetos materiais que podem dar, pelo menos momentaneamente, um contentamento. Só que a satisfação da nova compra não dura muito tempo, e então se parte, em um curto espaço de tempo, para comprar algo novo.

As causas do comprar compulsivo podem estar vinculadas à presença de algumas condições especiais que podem afetar a esfera psicológica das pessoas, tais como: transtornos de ansiedade, de humor e o controle do impulso, mas também aos transtornos alimentares e ao uso de drogas.

Sintomas do comprar compulsivamente

O principal sintoma da compra compulsiva é o ardente desejo de comprar algo. A pessoa percebe que esta é uma situação fora do controle e é incapaz de saciar o seu desejo de comprar e vai às compras por impulso, apesar de se esforçar em evitar novas compras.

Em episódios de compra compulsiva se adquirem coisas que a pessoa realmente não precisa, ou até mesmo já as possui. Devido ao hábito de acumular coisas, a pessoa até se esquece dos objetos que já tem e também pode se encontrar em um estado de ansiedade ou de tensão, pouco antes de ir às compras.

Depois de concluídas as compras, surgem sentimentos de euforia e satisfação. Tem-se a impressão de que elas fizeram bem aos seus desejos, e a pessoa se sente gratificada e aliviada.

Pouco depois porém, chegam as inevitáveis emoções ​​bastante diferentes da satisfação de ter comprado algo: frustração e culpa. A pessoa percebe que agiu por impulso e não se sente realmente feliz e satisfeita com o que acabou de comprar.

Daí se sente outra vez uma vontade urgente de comprar algo novo, juntamente com tristeza, raiva, tédio e sentimentos que empurrarão a pessoa novamente a planejar onde ir, o que comprar, como pagar, e, finalmente, o ciclo vicioso das compras compulsivas se estabelece, e a pessoa passa a comprar tudo que ao momento lhe parece lindo, fabuloso e indispensável. A alegria momentânea é seguida de uma imediata sensação de vergonha e decepção consigo mesmo.

Algumas pessoas ficam pensando sem parar no objeto que gostariam de comprar. Sentem-se ansiosas ou deprimidas quando não conseguem ir às compras e a até se endividam para atender às suas necessidades de fazer compras. Para ir às compras, adiam seus compromissos de trabalho e tendem a esconder dos amigos e familiares o que elas compraram, quando chegam para casa.

Remédios para para de comprar compulsivamente

As compras compulsivas podem ser um meio de apaziguar um estado de ansiedade, depressão, insatisfação ou falta de afeto. Nas últimas décadas, cada vez mais homens e mulheres recorrem a um psicólogo para resolverem seus problemas relacionados à dependência por comprar.

A mania de comprar já pode aparecer entre os 16-17 anos e tornar-se compulsiva ao longo do tempo.

Se comprar compulsivamente está relacionado à ansiedade ou à depressão, deve-se investigar, com a ajuda de um especialista, quais são as causas desses estados psicológicos. Depois de resolver estes problemas pessoais, os episódios das compras compulsivas podem diminuir e desaparecer.

As compras compulsivas também podem estar relacionadas a distúrbios alimentares. Mesmo neste caso, seria necessário a intervenção de um especialista para entender o quadro geral do estado psicológico da pessoa e a sua experiência de vida.

Se você perceber que o seu vício de compras ocorre principalmente quando você está sozinho, tente sair o máximo possível em companhia de amigos para que estes te aconselhem sobre as reais necessidades das aquisições.

Outro remédio muito simples para evitar compras compulsivas é deixar o dinheiro, cartão etc, em casa, e sair com o dinheiro contado para fazer compras. Estas são soluções momentâneas que salvam, mas que não agem sobre as causas mais profundas, que, como dissemos antes, devem ser averiguadas e tratadas.

E quando o problema é representado pelas compras na internet, você deve tentar usar de forma diferente o seu tempo livre, ficando longe dos smartphones, tablets e PCs.

Mas quem realmente sente a necessidade de comprar, encontra sempre uma maneira para fazer compras, mesmo nas condições mais difíceis. Portanto, se comprar está te causando sérios problemas de relacionamento e ou econômicos, ansiedade e depressão, não hesite em procurar por um especialista para resolver esta situação.

Leia também: Praticando o desapego: histórias inspiradoras de pessoas que vivem com pouco