Conheça os alimentos que fazem a diferença no tratamento do câncer de ovário

alimentos que fazem a diferença no tratamento do câncer de ovário

O câncer de ovário é o um dos que mais matam mulheres em todo o mundo. Cerca de 20 mil delas nos EUA, anualmente, são diagnosticadas com a doença – algumas delas, inclusive com diagnósticos imprecisos. Diferentemente de outros tipos de câncer, pesquisadores não conseguiram identificar muitos fatores de risco para câncer de ovário que as mulheres possam controlar.

Um estudo de cientistas da prestigiada Escola de Medicina de Harvard, de Brigham e do Women´s Hospital em Boston, nos EUA, bem como a University of East Anglia, na Inglaterra, apontam algumas escolhas alimentares que podem fazer a diferença.

Alimentação para evitar ocorrência de câncer de ovário

Observando hábitos alimentares de 171.940 mulheres, entre 25 e 55 anos, conseguiu-se descobrir o link entre o tumor epitelial de ovário e certos alimentos.

O foco da pesquisa foram os flavonoides. Flavonoides antioxidantes podem ser subdivididos em 6 subclasses, as quais incluem: flavonóis, antocianinas, flavan-3-óis, flavonas e flavonoides poliméricos.

Assim, o estudo chegou à conclusão de que as mulheres que ingeriam a maior parte de seus alimentos, contendo duas classes de flavonoides, conseguiam a redução significativa do risco de desenvolvimento de câncer epitelial de ovário.

Os flavonoides mais efetivos são os flavonóis – encontrados em chá, vinho branco, maçã e uva –, e flavonas – encontradas em frutas e sucos cítricos. Isso foi observado, por que as mulheres que estavam entre os 10% maiores consumidores, conseguiram uma taxa 29% (flavonóis) e 28% (flavonas) e tiveram menor de risco de câncer epitelial de ovário.

Que alimentos eram esses que evitavam a doença de ovário?

Pasme: laranja e suco dessa fruta, já eram responsáveis pelas flavonas. Chá preto, cebola e maçãs, pelos flavonóis. Dentre esse grupo, o chá preto foi o mais eficaz. Consumir apenas duas xícaras de chá preto diariamente foi associado a uma redução do risco de doença em 31%. Chá verde também foi ligado à diminuição.

Alimentação ajuda a retardar efeitos de câncer de ovário

Nos casos de mulheres que já têm a doença, pesquisadores da Universidade de Illinois, em Chicago, EUA, relacionaram a alimentação de 341 portadoras de câncer epitelial de ovário a um maior tempo de sobrevivência. Isso tudo, fazendo um histórico dos hábitos alimentares individuais, entre 3 a 5 anos antes do diagnóstico.

Entre os alimentos, os mais benefícios apresentados ao público são as frutas e vegetais sobretudo, foram os principais heróis da luta pela vida dessas mulheres. Brócolis, couve-flor, couve de Bruxelas, repolho, couve, entre outros.

E os grandes vilões da sobrevivência feminina foram as carnes processadas, vermelhas ou curadas. Laticínios também foram relacionados a tempo menor de sobrevivência ao câncer epitelial de ovário.

Leia também: 10 tratamentos e remédios naturais para cólicas menstruais

Fonte foto: freeimages.com