Onde o recém-nascido deve dormir segundo o método Montessori e a AAP

Onde o recém-nascido deve dormir segundo o método Montessori e a AAP

Independência e autonomia: esses são os conceitos que melhor definem o método Montessori. Mas como propiciar independência e autonomia a um bebê, um ser totalmente dependente dos pais?

Antes mesmo da criança nascer, é natural que haja toda uma expectativa da família para montar o quarto do bebê, pensando já na “autonomia” da criança. Mas qual é o melhor lugar para fazer dormir um ser tão indefeso como é um recém-nascido? Com os pais ou sozinho no quarto?

Conhecer o método montessoriano e as recomendações da American Academy of Pediatrics (AAP) pode ajudar os pais, principalmente os de primeira viagem, a não comprarem itens desnecessários e tomarem decisões que facilitem a vida da família e, sobretudo, acolha o bebê da melhor forma possível.

As recomendações da AAP

De acordo com a AAP, cerca de 3.500 bebês morrem a cada ano nos Estados Unidos de mortes relacionadas ao sono, ou à síndrome da morte súbita infantil.

Com relação ao quesito onde fazer o recém-nascido dormir, a associação recomenda o compartilhamento de quarto sem compartilhamento de cama.

Ou seja, os bebês devem dormir no quarto dos pais, perto da cama deles, mas em uma superfície separada.

O berço, ou um berço portátil, deve ser colocado no quarto dos pais por pelo menos 6 meses de vida da criança, mas de preferência por um ano.

Embora não seja recomendado que os bebês durmam na mesma superfície que os pais, há momentos em que estes podem adormecer enquanto alimentam o bebê. As evidências sugerem que é menos perigoso adormecer com o bebê na cama de um adulto do que em um sofá ou poltrona, caso os pais adormeçam.

A recomendação de dormir no quarto dos pais mas não na mesma cama é exatamente por esse fato: os pais podem se adormentar e sem querer sufocar os filhos, ao dormirem sobre eles.

Além dessa dica primordial, a associação sugere às famílias as seguintes recomendações para criar um ambiente de sono seguro aos bebês:

  • O bebê deve ser colocado para dormir de decúbito dorsal (ou seja, de barriga pra cima) até completar 1 ano de idade;
  • Dormir de lado não é seguro e não é recomendado;
  • O contato pele a pele é recomendado para todas as mães e recém-nascidos, independentemente da alimentação ou método de parto, imediatamente após o nascimento (assim que a mãe estiver clinicamente estável e acordada) por pelo menos uma hora. Depois disso, ou quando a mãe precisar dormir ou cuidar de outras necessidades, o bebê deve ser colocado em decúbito dorsal em um berço;
  • O bebê deve dormir em uma superfície firme, coberto por um lençol leve sem outra roupa de cama ou objetos macios por perto para reduzir o risco de sufocamento;
  • O bebê nunca deve dormir em sofás, poltronas ou móveis para sentar;
  • Acolchoados e outros objetos macios continuam sendo um risco para crianças com mais de 4 meses. Objetos macios e roupas de cama soltas devem ficar longe dos bebês porque podem causar inadvertidamente asfixia, sufocamento, aprisionamento ou estrangulamento;
  • Travesseiros e brinquedos semelhantes a travesseiros, colchas, edredons e roupas de cama soltas podem obstruir o nariz e a boca de um bebê;
  • Roupas infantis para dormir são preferíveis a cobertores e outras coberturas para manter o bebê aquecido;
  • Uma grande porcentagem de bebês que morrem de sufocamento é encontrada com a cabeça coberta por lençóis. Portanto, não devem ser colocados na cama travesseiros, lençóis, cobertores ou qualquer outro item que possa obstruir a respiração do bebê ou causar superaquecimento;
  • Evite superaquecimento e cobertura de cabeça em bebês;
  • Em geral, os bebês devem estar vestidos apropriadamente para o ambiente, com no máximo uma camada a mais do que um adulto usaria para se sentir confortável naquele ambiente.
  • A amamentação é sempre recomendada. A menos que haja contraindicações, as mães devem amamentar exclusivamente ou alimentar com leite ordenhado (ou seja, não oferecer qualquer fórmula ou outros suplementos à base de leite não humano) por 6 meses;

São tantas as recomendações da AAP que é normal os pais ficarem perdidos.

É aí que o método da médica e pedagoga italiana Maria Montessori pode ajudá-los.

Por que “Montessori”?

A filosofia de Maria Montessori se organiza a partir do espaço onde a criança vive, que deve ser seguro para que ela possa usá-lo tanto quanto possível sozinha, respeitando suas necessidades e seu tempo de amadurecimento.

O amadurecimento é considerado do ponto de vista psíquico e sensível, que vai sendo adquirido através da interação da criança com o meio em que vive, que é, segundo Montessori, um dos fatores mais cruciais para o desenvolvimento infantil. Por isso, a criança deve ter à disposição os estímulos e as oportunidades adequados para exercitar habilidades que vão sendo desenvolvidas gradativamente.

Entretanto, quando se trata de um recém-nascido, pode parecer difícil empregar a filosofia montessoriana.

Como estruturar um quarto montessoriano para um bebê de 0 a 3 meses?

Ele deve dormir no berço sozinho ou com os pais, o quarto já deve ter uma caminha montessoriana?

A escolha do melhor ambiente

Quando um bebê vem ao mundo, está totalmente indefeso, afinal, ele passou 9 meses aconchegado no útero da mãe, que lhe dava tudo de que necessitava para desenvolver-se. Logo, a escolha do lugar onde o bebê vai dormir é fundamental para cuidar do trauma que é o nascimento.

Claro que escolha é muito pessoal, pois depende de muitos fatores. Mas do ponto de vista do desenvolvimento afetivo e cognitivo da criança e da segurança dela, estudos recentes mostram que dormir na cama com os pais, principalmente nos primeiros meses de vida, pode ser benéfico para o bem-estar do filho, garantindo uma melhor respiração, manutenção da temperatura corporal e promoção do desenvolvimento psicomotor.

Esses estudos também avaliam que quanto maior a proximidade da criança com os pais, mais confiante ela se torna.

Contudo, há de se considerar o estilo de sono dos pais pois o risco de se adormentar sobre a criança existe, até porque nos primeiros meses de vida de uma criança estão todos muito cansados. Por isso, a ideia da AAP de colocar a criança no mesmo quarto, mas não na mesma cama é boa. Talvez do ladinho, como uma extensão da cama dos pais.

Dormir no berço

Para muitos pais, o importante é que o bebê tenha um lugar só seu para dormir, no caso, o berço.

Mas o recomendável é que o berço fique no quarto dos pais nos primeiros meses de vida da criança, até mesmo porque isso facilita bastante a vida de todos. Geralmente os bebês acordam o tempo todo por isso, quanto mais perto para acudi-los melhor.

Dormir na cama dos pais

Há pais que preferem acomodar o bebê em sua própria cama por praticidade. Pelo fato de estar em contato direto com a mãe, o recém-nascido tem uma sensação semelhante a de estar no útero.

Se, por um lado, para a mãe trata-se de uma facilidade, porque ela pode até seguir dormindo enquanto o bebê mama, por outro, muitos pais temem que essa opção possa deixar o filho mal acostumado, interferindo, posteriormente, na vida do casal.

Mas o mais importante é nesse momento de vulnerabilidade da criança pensar no que é melhor para ela, considerando, como dissemos, o estilo de sono dos pais. Morte súbita infantil, infelizmente, é muito comum.

Berço bedside

O bedside é uma opção vem ganhando cada vez mais adeptos por sua comodidade, já que é um berço de três lados que funciona como uma extensão da cama materna. Depois, ele pode ser levado para o quarto do bebê. Existem até alguns modelos multifuncionais que se transformam em trocador e em mesinha.

Qual é, então, o melhor ambiente?

Independentemente de o bebê dormir no próprio berço sozinho ou com os pais na cama destes, o ambiente deve ser preparado para um bom sono para o recém-nascido.

O quarto deve ficar em uma temperatura agradável e constante entre 20 ° C e 22 ° C, pois os bebês sofrem tanto com o calor quanto com o frio.

O nível de umidade deve ser em torno de 50% para facilitar a respiração do bebê. Durante o dia, deixe as janelas abertas por alguns minutos para arejar o quarto e, também, deixe entrar nele luz natural, para que o bebê comece a distinguir o dia da noite.

Onde quer que o bebê durma, o colchão deve ser firme, o travesseiro não deve ser usado e não deve haver no berço objetos que possam limitar a sua respiração (por exemplo, bonecos, pelúcias, travesseiros, lençóis, mantas) por, pelo menos, até os 3-6 meses de vida.

Recomenda-se que os lençóis sejam substituídos, preferencialmente, por saco de dormir ou pijama acolchoado.

Claro que a decisão de criar um filho deve ser conversada e planejada pela própria família. Como se diz: “gente para dar palpite há aos montes; para ajudar, há poucas”. Converse com pessoas que já passaram pela experiência da maternidade e paternidade e que você considere sensatas. Conhecer essas experiências pode ser importante para você ir moldando a sua própria.

Entretanto, convém não criar muitas expectativas porque é no cotidiano que a família vai se adaptar ao novo membro. O mais importante é que, seja lá qual for a escolha do ambiente onde o bebê irá se desenvolver, ele tenha a segurança de que está sendo acolhido e amado.

Talvez te interesse ler também:

O silêncio no método Montessori. Crianças quietas e felizes

Como educar sem punições ou recompensas, seguindo o método de Maria Montessori

20 conselhos montessorianos para lidar com a raiva e a birra infantil

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *