O que fazer quando o bebê bate a cabeça e quando se preocupar

O que fazer quando o bebê bate a cabeça e quando se preocupar

Cedo ou tarde, a maioria dos pais vai passar por isso. Por um descuido, o bebê cai e bate a cabeça. Nas primeiras vezes que acontece, a cena é desesperadora, mesmo que o pequeno pareça bem, e siga brincando. Todo cuidado é pouco com eles, já que são frágeis e pequenos, porém saiba que os bebês são mais resistentes do que parecem.

A cabeça deles, por exemplo, tem mais elasticidade, graças a um tecido fibroso que fica entre os ossos, e aguenta mais pequenos aumentos de pressão intracraniana, causados por uma queda. Porém é mais difícil identificar possíveis lesões.

Bebês têm ainda as fontanelas – as populares moleiras – e elas são as partes mais frágeis, já que são pequenas aberturas no crânio, que só fecham entre 12 e 24 meses. Por tudo isso é bom saber como agir quando acidentes do tipo acontecem e quando há motivo de preocupação.

O que fazer quando o bebê bate a cabeça

Bebês caem. E isso acontece, principalmente, por que eles têm uma cabeça grande e pesada, em relação ao corpo. A cabeça deles tem 1/3 do tamanho total corporal. Esse fato gera desequilíbrios, principalmente quando eles começam a andar. Já que essa situação é quase inevitável, confira abaixo o que fazer quando isso acontece:

  • Verifique se há sinais de hematomas, sangramentos ou fraturas – Caso note alguma alteração, nesse sentido, procure ajuda médica;
  • Observe o comportamento do bebê depois a queda – Nesse sentido, é aconselhável mantê-lo acordado justamente para verificar as reações dele, mas vale lembrar que o fato do bebê dormir não vai piorar a lesão. É comum que o bebê fique cansado depois da queda, se isso acontecer, você pode deixa-lo dormir uns 20 minutos e acordá-lo, em seguida. O importante é observar o comportamento dele, se há sinais de desorientação, sonolência excessiva, vômitos, dores de cabeça, choro excessivo;
  • Olhe como está a moleira – Caso a fontanela inche ou afunde, é recomendado procurar um especialista para avaliar se não houve danos;
  • Acalme o bebê – Cair de algum lugar pode deixar o pequeno irritado e assustado, por isso dê bastante colo e tente acalma-lo. Você pode ainda envolver gelo em um pedaço de tecido e colocar no local afetado pela queda, mas isso não é imprescindível. O uso de analgésicos só deve ser administrado com prescrição médica.

Quando se preocupar

Existem alguns sinais que podem indicar que a queda pode ter sido grave e que necessita de uma ida ao hospital, entre eles é possível destacar:

  • Quedas que impactam as fontanelas ou as laterais da cabeça, atrás das orelhas, costumam ser piores, pois as moleiras são frágeis e a lateral da cabeça, uma área muito vascularizada;
  • Sinais de fratura no crânio – Observe se há uma área “fofa” dos lados da cabeça, sangue ou líquido rosa saindo pelo nariz, orelhas ou no branco dos olhos;
  • Sinais de que houve concussão – Se a criança apresentar vômitos constantes, muita sonolência, pupilas dilatadas ou alterações significativas no comportamento, como desordem mental, procure um Pronto-Socorro imediatamente;
  • Sintomas como perda de consciência, grito ou choro contínuo, sangramento, vômitos, sonolência excessiva, convulsões e dores de cabeça indicam que a queda foi séria e é necessário avaliação médica urgente.

Uma última recomendação importante

Uma outra recomendação importante é evitar recorrer a exames médicos, como Raio-X e tomografia, sem necessidade, pois, muitas vezes, apenas clinicamente o especialista consegue fazer o diagnóstico, o que evita exposição desnecessária do bebê às radiações emitidas por esses procedimentos.

Com estas dicas, esperamos ter ajudado. Procure ajuda se for necessário, mas mantenha sempre a calma.

Talvez te interesse ler também:

FURAR OU NÃO A ORELHA DAS RECÉM-NASCIDAS? PENSE BEM!

5 MITOS SOBRE OS CUIDADOS COM RECÉM-NASCIDOS

COMO FAZER AS CRIANÇAS GOSTAREM DE LER

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on google