Reino Unido proíbe publicidade de junk food para crianças

  • atualizado: 
publicidade-crianças

Em uma resposta a demandas populares cada vez mais fortes, o Comitê de Publicidade do Reino Unido (CAP) anunciou novas regras para a publicidade de alimentação para crianças que entrará em vigor no dia 1 de Julho de 2017. A nova regulamentação têm como objetivo controlar o invasivo investimento das indústrias na publicidade de junk food, diretamente responsável pela obesidade infantil (e também pela obesidade entre adultos).

Crianças passam mais tempo online que na TV

A necessidade de alteração de regras de publicidade vem como reposta aos hábitos das crianças que mudaram drasticamente nos últimos anos. Segundo uma pesquisa coordenada pela Ofcom, órgão independente que analisa a mídia e a comunicação, pela primeira vez, jovens com idade entre 5 e 15 anos estão gastando cerca de 15 horas online, mais do que o tempo gasto assistindo a televisão.

Leia mais: SEDENTARISMO É UMA DOENÇA? AS CONSEQUÊNCIAS ESPECIALMENTE EM CRIANÇAS

Para James Best, presidente da CAP, “a obesidade infantil é uma questão séria e complexa. Estamos determinados a desempenhar nosso papel para controlar e combater isso. Essas restrições reduzirão significativamente o número de anúncios vistos por crianças de produtos com alto teor de gordura, açúcar ou sal”, mostrando a preocupação com a alimentação saudável que deveria estar vigente.

James exemplifica que a única forma de desempenhar um papel eficaz no combate à obesidade infantil é através da aplicação de novas regras para a publicidade: “nossas regras novas e duras são uma clara demonstração de que a indústria de anúncios está disposta e pronta para agir em suas responsabilidades e coloca a proteção das crianças no centro do seu trabalho”.

O comitê reconhece, no entanto, que muito além da publicidade há diversas outras condições que podem influenciar numa alimentação saudável ou de junk food. Para o Comitê, “embora existam muitos fatores que têm um forte impacto sobre a obesidade infantil, as evidências disponíveis mostram que além da publicidade, a obesidade infantil pode ser decorrente das influências parentais”, relacionando então que, além da mídia, os pais, mães e cuidadores são os principais responsáveis pelo quadro de saúde da criança.

Obesidade infantil é um dos maiores problemas de saúde do mundo

A preocupação do CAP é pertinente quando nos deparamos com os alarmantes dados sobre obesidade. Segundo estimativas da OMS (Organização Mundial da Saúde), a projeção é que cerca de 700 milhões de pessoas sofram com obesidade até 2025, enquanto outras 2,3 bilhões terão sobrepeso.

Além dos fatores genéticos, a obesidade infantil também pode ser desencadeada pelo sedentarismo e pela má alimentação. O grande gargalo atual reside justamente nos dois últimos casos. Enquanto passam mais tempo online (no computador, no celular, tablet e etc.), as crianças ficam expostas aos mais variados tipos de anúncios alimentares, geralmente da categoria “junk food” (lanches, sanduíches gordurosos, doces, industrializados, congelados e etc.) que não possuem nenhum nutriente.

Ademais, a presença online das crianças é também um forte reflexo do sedentarismo contemporâneo. A falta de movimentação corporal causada pelas estáticas usabilidades das máquinas trazem inúmeros prejuízos para a saúde, como a obesidade infantil. Assim, quando não tratada cedo, a obesidade infantil poderá se desenvolver e se consolidar, originando toda ordem de problemas cardiovasculares.

A solução

A solução reside em um estilo de vida saudável. As crianças devem ingerir pelo menos duas frutas por dias (uma pela manhã ainda em jejum) e evitar a todo custo alimentos industrializados. Além disso, os pais, mães e cuidadores devem ter a responsabilidade de propor atividades saudáveis ao ar livre, de preferência bem longe das telas do computador.

Leia mais:

BRINCADEIRAS DE CRIANÇA: IDEIAS DIVERTIDAS E GRATUITAS PARA AS FÉRIAS!

BRINCADEIRAS DE RUA: VÍDEO VIRA HIT E FAZ PENSAR

Em termos gerais, a doença e a saúde são duas facetas da mesma moeda, o lado que se abate sobre nós depende exclusivamente de nossos hábitos alimentares e físicos.

Especialmente indicado para você:

SOBRETAXAR BEBIDAS DOCES PARA COMBATER A OBESIDADE É A NOVA PROPOSTA DA OMS

COMO O USO DE ELETRÔNICOS INTERFERE NO DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS?

CRIANÇA QUE “TRABALHA” NÃO DÁ TRABALHO. O FANTÁSTICO MÉTODO DE MARIA MONTESSORI

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!